Como avaliar os pedidos de endorsement

Como avaliar os pedidos de endorsement

por 24/09/2020

Recebi um pedido de endorsement, o que eu faço? Você lojista, importador ou fabricante, com certeza já deve ter perdido a conta de quantos e-mails e directs já recebeu de músicos pedindo patrocínio, o famoso endorsement! 

É, eu sei bem como é isso. E na nossa correria do dia a dia é quase impossível analisar tantas solicitações. E quando pensamos na nossa verba de marketing então, daí realmente fica quase impossível pensar nesse tipo de parceria.

Mas o endorsement, se bem analisado e planejado, pode ser um excelente negócio! Em alguns casos, esse tipo de parceria pode ser a melhor forma de divulgar o seu produto, seja para uma determinada região do país ou determinado nicho musical.

A linguagem de um músico é diferente de qualquer coisa que você já tenha estudado em uma faculdade de marketing ou publicidade. 

Se você optar por este tipo de comunicação para divulgação de um produto, alguns pontos precisam ser levados em consideração e analisados por você e sua equipe de marketing.

O que devemos analisar?

Primeiramente é a relevância do músico e como ele trabalha a sua própria divulgação. Hoje, como todos sabem, os artistas de menor expressão são responsáveis por sua própria divulgação, que envolve gerar conteúdo para as mídias sociais, principalmente fotos e vídeos, e no mercado brasileiro temos muitos músicos fazendo um excelente trabalho de auto divulgação, que podem gerar excelentes resultados comerciais para a sua marca!

Um importante ponto também é você criar um contrato com prazo de validade, pode ser um ou dois anos, por exemplo, onde estejam bem claros quais as entregas que este músico deve fazer a marca, e como vocês vão apoiá-lo, seja com doações de instrumentos e equipamentos ou pagamento de cachê. Tem que haver um compromisso assinado entre ambas às partes.

Talvez você ache que este pode ser um investimento alto a ser feito, mas já parou para analisar o quanto você gasta criando campanhas nas mídias sociais ou em gastos de viagens com sua equipe para visitas e treinamentos? Sem contar o quanto gastamos quando fazemos algum evento. 

Pois bem, às vezes um bom relacionamento com um músico profissional, sério, que nem seja tão famoso, pode te ajudar e muito nessas questões!

E será que vale a pena investir em um artista muito famoso, aqueles com milhões de seguidores e views no YouTube? Bem, neste caso tudo precisa ser muito bem analisado. O artista combina com a sua marca? Vai transmitir credibilidade? Ele realmente vai usar seu produto? Você vai poder contar com ele em algum evento específico ou vai somente usar a sua imagem para divulgação nas mídias sociais? Esse investimento vai impossibilitar você de fazer outras ações necessárias no mercado? Faça essa análise com cuidado e com a sua equipe, de marketing e comercial. 

Em resumo, acredito que o investimento em artistas ainda pode ser um bom negócio para o mercado de instrumentos musicais e áudio, mas tem mais um ponto que é muito importante antes de fecharmos uma parceria, e para isso gostaria de contar uma história pessoal.

Na NAMM SHOW de 2012 eu tive uma reunião com o diretor de relações artísticas de uma grande multinacional que trabalhei. Ele era o responsável por parcerias com artistas como Elton John, Paul McCartney, Norah Jones, Jamie Cullum entre outros. Perguntei a ele qual era o critério da empresa para fechar uma parceria, se era a quantidade de seguidores ou a quantidade de views no YouTube, etc. Eu me lembro muito bem da sua resposta. Ele me disse “Ricardo, olhe bem no fundo dos olhos do artista e veja se ele tem caráter”.

Bem, por experiência própria, já tive algumas decepções, mas na maioria dos casos as parcerias com músicos e artistas deram muito certo e trouxeram excelentes resultados nas empresas que trabalhei. 

Analise com carinho essa questão! Tenho certeza que será um sucesso! 

*Autor: Ricardo Cassal, vocalista e produtor musical. Veja mais nas redes sociais: Instagram: @cassalvocal, LinkedInFacebook  e YouTube.