Os maiores erros que os músicos cometem na carreira 

Os maiores erros que os músicos cometem na carreira 

por 22/09/2020

Ser músico não é fácil. É importante ter disciplina e se preparar corretamente para ter sucesso na carreira. Veja aqui algumas dicas de Aquiles Priester sobre empreendedorismo musical.

Eu vou definir aqui algo que eu amo demais: o que é empreendedorismo musical. Na realidade, isso é uma derivação da noção de empreendedorismo, a qual eu apresento agora. Por definição, temos o seguinte:

1. Disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços, negócios.

2. Inciativa de implementar novos negócios ou mudanças em empresas já existentes, geralmente com alterações que envolvem inovação e riscos.

Você viu quais elementos estão envolvidos no conceito de empreender? 

Coordenar, realizar, negócios, mudanças, inovação, riscos. Todo mundo que se lança ao empreendedorismo entende que há riscos, que nada é seguro, mas também entende que há um mar de possibilidades pronto a ser navegado.

Isso aplicado ao meio musical significa que há passos e ferramentas que você pode implementar a fim de gerir sua carreira como músico, de modo que consiga inovar, ganhar expressividade, e obter resultados positivos para a arte que você faz. Ainda há um pensamento muito antiquado de que não se deve pensar dessa forma quando o assunto é música; quem fala isso geralmente tem mente ultrapassada, um instrumento velho e acabado na garagem, que só sai de lá para ensaiar uma vez a cada vinte dias, carregando sonhos frustrados e mágoas escondidas.

O empreendedorismo musical envolve planejamento de carreira, postura midiática, planejamento de composição e lançamento, gestão de carreira, gestão de crise, análise de mercado, estudo de avatar e nichamento, emprego das ferramentas disponíveis para divulgação, reconfiguração da imprensa musical entre outros elementos críticos para o músico que deseja viver efetivamente de música.

Eu vou apresentar alguns dos maiores erros que todo músico comete por não ter as mínimas noções de como empreender dentro do meio musical.

:: Baterista: preencha a pesquisa setorial da Música & Mercado e concorra à prêmios!

Maiores pecados de todo músico

Eu vou listar para você aqui quais sãos os maiores pecados que todo músico comete ou já cometeu na vida, mesmo sem saber.

Fique de olho e leia atentamente, para que você consiga fazer uma autoavaliação e uma crítica sobre como anda o seu comportamento profissional como músico.  Vamos lá, então, para uma conversa franca sobre o assunto.

1º Erro: não ter foco e disciplina 

Quando o cara entra para o mundo da música, o que ele quer – na maioria dos casos – é um hobby para passar o tempo e se divertir com os amigos. Isso quando o objetivo do cidadão não é tentar chamar a atenção de algumas gatinhas. Não há problema em começar com esse pensamento, o problema surge no momento em que você cresce, mas não abandona essa mentalidade jovial.

Já sabemos bem que isso aí é um sinal de falta de foco. Quando você quer ser grande, você precisa pensar de forma grande também. Além disso, precisa entender que a disciplina é parte essencial desse processo, porque ninguém se transforma no instrumentista ou no vocalista mais fantástico do mundo sem treinar exasperadamente aquilo a que se dedicou.

Eu passei incontáveis horas em minha bateria para poder desenvolver habilidade suficiente para eu mesmo crer que era habilidoso. Sim, existe talento, mas nem mesmo o talento mais destacado supera a disciplina e a DETERMINAÇÃO, e olha que eu já conheci muito cara talentoso que nunca conseguiu sair do seu quarto para mostrar a sua arte ao mundo. Hoje em dia, existem as redes sociais que aproximam e muito as pessoas e, dessa forma, todos podem ficar sabendo o que seus ídolos estão fazendo, mas não existe como mensurar as horas solitárias que os grandes instrumentistas e líderes se dedicam para serem diferenciados aos olhos dos outros. Isso somente cada um, dentro da sua perspectiva, pode mensurar.

Você precisa definir uma meta e trabalhar para que ela chegue, não importa o tamanho dessa meta: tocar em um festival gigante, gravar um disco, compor uma música, tocar na festa dos seus amigos, executar aquela levada que você sempre curtiu. Sem ter um ponto de chegada, você nunca terá um ponto de partida e dessa forma não chegará a lugar algum.

É duro ouvir algumas verdades, mas também é necessário. Por mais que pareça sem objetivo ou monótono, sem sempre será um mar de aventuras e possibilidades sua carreira como músico. Em diversas situações, você será obrigado a fazer escolhas que irão direcionar sua carreira, ou mesmo sua vida para algum caminho extremamente específico!

SEJA DISCIPLINADO

Mantenha uma rotina de treinos para ficar ainda mais hábil naquilo que você faz, exercite-se, tenha uma dieta equilibrada, fuja dos vícios, não caia nas tentações da “diversão” fácil. Ser um músico virtuoso exige tempo e dedicação! Isso é uma realidade!

Aqui eu vou dar um exemplo muito prático para você: quando você está estudando o seu instrumento, há sempre algo que você gosta mais de executar e algo que você acha mais complexo. É normal que a complexidade faça você querer parar de tentar aquilo e ficar na sua zona de conforto, reputando ao que você já sabe fazer melhor qualidade ou maior interesse. Isso é um baita erro! Ainda que você tenha que ficar horas sentado e praticando a mesma coisa, faça isso! É esse o tipo de foco que fará de você um músico diferenciado dos demais que estão por aí!

2º Erro:  não saber o que estudar música

Esse tópico sobre estudo é algo muito importante mesmo! Tem tudo a ver com foco! Vou esclarecer a você: é preciso saber o que você deve estudar a fim de que você consiga se destacar naquele seu nicho a que você se dedica.

Pense comigo: se você quiser ser um músico de orquestra, você precisará ter uma leitura musical muito apurada, porque é o que você irá fazer ao mesmo tempo em que executa o seu instrumento. Se você quiser fazer parte de uma banda, você não precisará ser o cara mais forte em teoria ou leitura musical, mas – provavelmente – será exigido de você que tenha habilidade para compor algumas faixas e que consiga executar algo com a “cara” de quem escreveu a canção. Isso quer dizer que você deverá saber ocupar o seu lugar na banda.

Se você quiser ser um músico de estúdio, que ganha para gravar os trabalhos que lhe passarem, será importante que você tenha uma execução muito forte do seu instrumento, além da capacidade de tirar um som muito bom toda vez que estiver gravando. Um exemplo do erro 2 que todos cometem: sempre que estão estudando alguma coisa nova e estão tendo dificuldades para realizar o exercício, intercalam o tempo de estudo tocando outra coisa que já sabem. Isso, numa carreira musical de 30 anos, acaba se tornando ineficiência de aproveitamento das horas de estudo. Preciso dizer que, às vezes, você deverá aprender a ignorar a sua intuição musical para seguir aquilo que os produtores irão exigir de você.

Eu sei muito bem aquilo que eu toco: tudo que eu estudo ou realizo é – de alguma forma – aplicado ao heavy metal, porque eu decidi que minha vida seria voltada inteiramente para que eu me transformasse em um grande baterista de heavy metal. Ou seja: eu mirei no alvo e treinei infinitas horas, estudando corretamente aquilo quer seria necessário para eu chegar ao ponto a que queria.

3º  Erro: não saber qual é o seu nicho de mercado            

Todo mercado é nichado, ou seja, há uma parcela específica de pessoas com gostos e preferências específicos que povoam cada mercado. Eu costumo comparar isso com o cara que vai para a praia de terno, gravata e sapato. É ridículo imaginar a cena de um cara que tenta surfar de sapatos, não é? Pois é, isso é tão ridículo quanto tentar achar que você irá se encaixar em um nicho de mercado que não é o seu.

O músico precisa entender que ser um side man é uma coisa; ser um freelancer é outra coisa; ser membro efetivo de uma banda também é algo diferente. Saber para quem você toca, o que você toca, qual será o seu público-alvo, o que esperam de você, o que você vinha entregando para ter chegado até ali são elementos a serem considerados seriamente.

O caminho para o fracasso é tocar aquilo de que você não gosta ou aquilo que lhe causa repulsa. Com toda certeza, você poderá fazer isso por um tempo; mas – se insistir nisso – sua vida como músico será curta e frustrada.

Veja quem são seus influenciadores, veja que tipo de som você produz e veja – principalmente – quem está dizendo que gosta daquilo que você está fazendo. Assim, você começará a encontrar melhor o seu nicho de mercado e – certamente – terá mais sucesso.


Quer ter acesso ao material completo? Faça download do meu e-book Mercado Musical gratuitamente, e veja alguns outros erros que você deve evitar.