Encordoamentos SG Strings feitos no Brasil com qualidade internacional por 22/07/2021

A SG Strings é uma marca da Izzo que oferece encordoamentos a preços acessíveis para o músico brasileiro com matéria-prima e maquinário de primeira qualidade.

A SG Strings nasceu no ano de 2004 com a ideia de atender a uma demanda de cordas de padrão de qualidade internacional.

As cordas da SG Strings, ou Sound Generation, são feitas com matéria-prima e maquinário de primeiro nível, com o objetivo de oferecer um produto para o público mais jovem com tonalidades sonoras mais diversificadas.

“A mudança ocorreu em todo o processo fabril com a melhoria no controle de qualidade. Adquirimos máquinas com alta tecnologia e adotamos a metodologia de Lean Manufacturing, criada pela Toyota nos anos 1950 e utilizada até hoje por empresas referência em efetividade, ou seja, o benefício hoje não é somente para a SG, e sim para todas as cordas fabricadas pela Izzo”, comenta Edgard Ribeiro, gerente de Marketing da Izzo. “Com relação à SG em específico, a marca teve um cuidado maior não só na questão fabril, mas também no aspecto visual, que traz um apelo contemporâneo, atual, moderno, tudo isso transmitido por suas embalagens diferenciadas: uma flowpack cromada que faz referência à própria sonoridade brilhante que a corda entrega.”

O ano de 2016 foi de mudanças para a marca. A SG foi reinventada com grandes investimentos, pesquisas de mercado, pesquisas com os consumidores por meio de testes cegos, novo logo e novas embalagens. A marca é vendida em mais de 35 países, sendo a Europa responsável por mais de 50% das exportações.

A fábrica se rege pelos sensos de utilização, ordenação, limpeza, autodisciplina e saúde, com a implantação do Lean Manufacturing e da produção enxuta, visando eliminar o desperdício no processo produtivo.

Na SG foram implementadas diversas metodologias, incluindo manutenção produtiva total, flexibilidade das linhas de produção, estrutura e fluxo de material, implantação do Kanban (ferramenta de fluxo de trabalho visual), postos de trabalhos ergonômicos e gestão visual de produção.

Edgard conta mais na entrevista a seguir.

M&M: A São Gonçalo e a SG oferecem o mesmo tipo de cordas?

Podemos dizer que o processo fabril das duas é o mesmo, até para manter o padrão de qualidade Izzo. O que as distingue é que a matéria-prima SG recebe um tratamento de banho diferenciado da São Gonçalo. Além disso, o processo de embalagem é distinto também. Ambas as marcas possuem produtos para atender a diferentes demandas de instrumentos musicais. No portfólio da SG podemos destacar as cordas para violão aço e náilon, guitarra, baixo, baixolão, ukulele, viola, entre outros. E no da São Gonçalo, a consagrada corda de cavaco e também violão.

M&M: A fábrica passou por alguma mudança para fazer as cordas SG?

A fábrica passou por diversas modificações, estruturas e endereços. Hoje ela é a maior planta de encordoamentos da América Latina (3.000 m2) e exibe um maquinário novo, importado, colaboradores treinados e altamente qualificados, além da metodologia Lean Manufacturing, que torna o processo fabril mais ágil e menos custoso, resultando em quantidade sem, de forma alguma, abrir mão da qualidade e da sonoridade já comprovadas das cordas SG.

M&M: Que tecnologias podemos encontrar nas cordas SG?

Em relação à matéria-prima das cordas de aço, a SG hoje possui o núcleo das cordas em aço estanhado com os fios hexagonais para a segurança da cobertura da corda na alma. Outra tecnologia se encontra na embalagem, que é protegida contra a ação dos raios UV e oxidação, mantendo a corda livre da ação da ferrugem. Em terceiro lugar, a tecnologia das novas máquinas trouxe ganhos tanto em velocidade, com controladores na passagem do fio, quanto em qualidade, no controle do diâmetro deste.

M&M: Que estratégias comerciais e de posicionamento a Izzo usa com a SG? 

Com relação à estratégia comercial, o objetivo foi ampliar a capilaridade que já existia das marcas que a Izzo fabrica e a SG propocionou escalar isso graças a um mix de produtos mais abrangente — são 48 modelos de cordas. A estratégia de posicionamento da marca é de um produto de alta qualidade, variedade no mix e acessível — inclusive, um dos atributos que estampa a embalagem (Export Quality) refere-se ao alto padrão de qualidade.

M&M: Foi difícil posicionar o nome com a concorrência estrangeira?

O segmento de encordoamentos é bastante concorrido, com marcas já consagradas, principalmente ao considerarmos os nomes internacionais. É sempre desafiador posicionar uma marca em meio a um mercado concorrido, mas um produto de valor acessível, que realmente entrega qualidade, vantagens ao seu revendedor e é endossado por figuras renomados encontra seu espaço na mente e no coração do consumidor.   

Com certeza nosso time de artistas valida o grande trabalho feito por trás das cortinas. Nomes como Andreas Kisser, Juninho Afram, Marcinho Eiras, Samuel Rosa, Canisso, Toni Bellotto, Branco Melo e Sérgio Britto, entre outros, não apenas listam nosso time, mas realmente gostam e endossam o nosso produto. Nossos consumidores ficam seguros e confiantes em usar uma marca com nomes de peso, que tocam e utilizam SG em grandes shows, pequenas gigs, durante um aquecimento no camarim ou mesmo em casa com a família.

M&M: Que benefícios trazem as cordas SG para as lojas?

A SG é, sem dúvida, um produto fácil de vender, de giro rápido no ponto de venda, com excelente margem e ótimo custo-benefício. É uma corda com excepcional durabilidade, afinação, brilho e sonoridade, muito bem-vista pelos profissionais da música, semiprofissionais e entusiastas dos instrumentos de cordas.

M&M: E no exterior?

A marca tem grande aceitação em mercados como Europa, Ásia e América Latina, com um posicionamento de opção acessível com excelente qualidade.

M&M: O que a SG significa para a Izzo?

É uma marca que tem grande conexão com a empresa, que iniciou há mais de 100 anos fabricando cordas. Um projeto bem-sucedido que chegou com uma nova proposta que foi adotada pelo seu público consumidor. A SG foi um marco para o início das exportações na empresa, abrindo novos mercados e apresentando a marca e um produto de alta qualidade para novos consumidores.

M&M: Com a pandemia e as pessoas ficando mais em casa, houve mais vendas de cordas?

Tivemos, sim, um crescimento em vendas durante o período da pandemia, não somente pela alta demanda que surgiu, mas também por estrategicamente construir um estoque para atender a esse pico de demanda enquanto o mercado sofria com a falta de matéria-prima e a alta do dólar.

A Izzo também promoveu uma série de ações incentivando as pessoas a ficar em casa, aprender e praticar um instrumento musical, o que, em consequência, gerou um movimento indireto de vendas de cordas. A SG não para e não vai parar de inovar e crescer. Em breve vocês verão novidades em relação à atuação da marca em mercados internacionais, embalagens, novos produtos com novas tecnologias e campanhas mais próximas ao consumidor. Welcome to the team!

https://www.youtube.com/watch?v=0STf-KUmRIY&t=5s

m