Dicas para os empresários não se endividarem no trabalho e em casa

Dicas para os empresários não se endividarem no trabalho e em casa

por 21/12/2015

Controlar de forma organizada para onde seu dinheiro vai pode ajudar a melhorar a sua saúde financeira. Veja neste artigo algumas recomendações para considerar e melhorar o seu foco

Um dos grandes problemas encontrados pelos empresários é a dificuldade em obter créditos pelos bancos. As instituições financeiras costumam exigir garantias reais ou não aprovam o valor integral do empréstimo solicitado.

Para não precisar do dinheiro das redes bancárias, o ideal é tomar medidas preventivas, como desenvolver um planejamento e ter o controle administrativo. Um dos fatores que também podem atrapalhar é não ter o fluxo de caixa realizado e previsto — medida essencial para a tomada de decisões e correção da rota.

Outro erro muito comum cometido pelo empresariado é o desconhecimento a respeito da margem de contribuição. Esse termo — que representa a diferença entre o valor das vendas e os custos necessários para gerá-las — soa de maneira estranha aos ouvidos de algumas pessoas.

Além desses fatores, é necessário ter o controle de estoque; saber o ponto de equilíbrio da empresa, ou seja, qual é o faturamento mensal mínimo para cobrir os custos fixos; e não deixar de determinar um valor compatível com a capacidade financeira da empresa para o pró-labore, a remuneração do próprio empresário.

A vida pessoal também não pode deixar de ter planejamento. Aquele cafezinho no trabalho ou o brinquedinho para o cachorro ajudam a comprometer e até a provocar verdadeiros estragos no orçamento. Outro vilão da saúde financeira, sobretudo das mulheres, são os cuidados pessoais, como cabeleireiros, manicures e cosméticos.

Atenção às despesas!

Quando contabilizadas, essas despesas acabam somando valores expressivos durante todo o ano. Na compra de um carro, por exemplo, é muito comum as pessoas fazerem contas com base apenas nas parcelas e no seguro, e se esquecerem de impostos, combustível, lavagem, estacionamento, revisão, mecânico, entre outros. Certamente esses compromissos inadiáveis são responsáveis por quase meio carro zero-quilômetro a cada ano.

Para não ter um susto no final do mês, é importante listar todas as despesas, desde o lanchinho da tarde até o conserto do carro. Fazer anotações semanalmente é uma boa alternativa para ter um relatório completo, que permite a mensuração do que poderia ter sido poupado e do que será corrigido nos próximos meses.

Saúde financeira

O balanço financeiro pode ser realizado por meio de uma planilha que contenha as principais despesas obtidas desde o início do ano, para que gastos supérfluos não sejam repetidos no segundo semestre. Outra sugestão é que, para as dívidas contraídas em longo prazo — especialmente em cheques, carnês e cartões de crédito —, deve-se checar o prazo de vencimento desses débitos.

Entrar em situação de endividamento é algo que tira o sono de qualquer pessoa. Por isso, o mais indicado é ter bom senso e evitar os atos impensados. Para fugir de complicações financeiras, é fundamental que os consumidores menos prevenidos se programem, mantenham o foco em gastos realmente imprescindíveis e evitem, desse modo, o acúmulo de dívidas para o final de ano, época em que sempre queremos um dinheiro extra para gastar.

Esses pequenos deslizes podem sair do controle e ser tão representativos quando uma prestação. Saber para onde cada parte do dinheiro vai, na vida pessoal e profissional, é muito importante para a saúde financeira de qualquer pessoa. Evitar gastos supérfluos pode ser o ponto principal para a conquista de um sonho ou para não se endividar. Fique atento ao controle das despesas extras.

*Por Dora Ramos. É educadora financeira e especialista em contabilidade e controladoria. Fundadora e diretora responsável pela Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial