Cases e pedalboards artesanais da Dantas Handmade por 21/02/2020

Sediada no Rio de Janeiro, a Dantas Handmade constrói cases e pedalboards totalmente feitos à mão pelo seu proprietário João Paulo Dantas.

João Paulo Dantas

João Paulo Dantas, fundador, proprietário e artesão da Dantas Handmade sempre teve contato com o universo da marcenaria e trabalhos manuais por causa do seu pai e irmãos, que trabalhavam nesse segmento. Ele explica: “Apesar de ter estudado informática e outras áreas, sempre estava aprendendo algo desse ofício e trabalhando algumas vezes nele. Desde os 11 anos também tenho contato com a música e o universo da guitarra. Sou músico ‘de fim de semana’, por isso a ideia de juntar a música com o trabalho manual, que inicialmente era um hobby, mas acabou se tornando meu trabalho principal. A Dantas sou apenas eu e tenho colaboração de alguns grandes amigos”.

O início dos produtos

João Paulo começou fazendo pedalboards para uso pessoal. “Os músicos que viam elogiavam, gostavam muito, e como meu espaço de trabalho era bem pequeno, era mais viável fazer produtos que não fossem muito grandes”, lembra. “A Dantas sempre está testando e fazendo algum produto novo. No início eram só projetos personalizados, mas depois comecei a criar linhas fixas e vender pela loja virtual.”

O artesão explica que há um tempo a maioria dos clientes está preferindo os pedalboards inclinados e de tamanho compacto, por isso fez parceria com uma fábrica de bags especiais para oferecer bags seguindo o estilo Dantas.

Onde são feitos

O proprietário da Dantas tem uma pequena marcenaria em sua casa e fabrica tudo sozinho, utilizando ferramentas elétricas manuais e tradicionais de marcenaria. “O trabalho e o ambiente são handmade mesmo!”, disse. “Também  faço a parte de acabamento um por um, à mão. Por enquanto não tenho funcionários.”

Além de trabalhar nos produtos, ele faz fotos, edita e cuida do site, contando com a colaboração de amigos para levar os produtos para despachar e também para ajudar nos detalhes elétricos de alguns projetos. Entre esses, há guitarristas que fazem demonstrações dos produtos na internet.

A matéria-prima principal, como madeira e revestimentos, é adquirida no Rio de Janeiro, onde fica a Dantas, mas há itens importantes, como ferragens e outros materiais, que é preciso comprar fora do estado e até fora do Brasil.

“Tento pensar como é que o músico vai utilizar o produto, pois também sou músico. Após a ideia inicial, faço a maquete 3D no computador e depois construo o protótipo. Sempre testo e uso os produtos antes de lançá-los. Tenho muitas ideias de produto, variações, mas como o trabalho é handmade e tenho limitações de, às vezes, não achar o material que preciso, e também de investimento, procuro vender no site o que a maioria dos clientes gosta de usar. Porém, se o cliente precisar de algo sob medida, faço com maior prazer, mas isso leva mais tempo de fabricação, custos etc.”

A comercialização

João conta que costuma pesquisar muito sobre o que os guitarristas estão preferindo usar em relação a setups de efeitos e pedaleiras. “Gosto é bem pessoal, mas a gente acaba conseguindo ver algumas semelhanças e, como o trabalho é handmade, não é difícil modificar ou lançar algo novo, então vou sempre testando produtos e vendo qual agradou ou vendeu mais. Também tenho a mente aberta para fazer outros produtos desse universo, como gabinetes para alto-falantes, que já estou fabricando.”

Para a comercialização dos produtos, no início a Dantas tentou fazer parcerias com lojas, mas não foi viável por causa dos custos. “Como o esquema é handmade, ou o preço final na loja acabava ficando muito alto ou a loja queria me pagar um valor muito baixo para poder ter os produtos, então a venda direta foi a melhor opção.”

No site, os compradores podem ver os produtos “de linha”, e por meio de outros canais de comunicação, a empresa atende os clientes que querem algo sob medida.

“Atualmente os pedalboards compactos avulsos ou com bag compõem a maior parte das vendas. Os guitarristas têm dado preferência a setups de efeitos bem compactos”, comentou.

“O que tem chamado a minha atenção é a procura por boards compactos. Também tenho atendido clientes interessados em gabinetes para alto-falantes ou para o próprio amplificador. Tenho um grande parceiro que é a Klingen Guitars — todas as suas guitarras saem da fábrica com o case feito por mim.”

João finaliza: “O mercado ainda é bem difícil. Comecei isso tudo na cara e na coragem, errando, acertando, então a meta é estar vivo, funcionando, sempre com qualidade, fazendo o trabalho com amor e estar preparado para o crescimento”.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários