50 anos de sucesso da Sonotec no mercado brasileiro por 27/07/2021

Reconhecida empresa no mercado nacional, a Sonotec comemora cinco décadas de atuação no setor musical. Conheça sua história de sucesso a seguir.

A história da Sonotec começou em 1971, na cidade de Presidente Prudente, São Paulo, quando o técnico em eletrônica Renato S. Silva, sendo uma referência no setor musical naquela época e com seu espirito empreendedor, visualizou uma nova oportunidade de negócios na área de áudio profissional

Atuando desde sua fundação no segmento de varejo e em função do grande sucesso de seus negócios, em 1990, a Sonotec decidiu ampliar suas fronteiras de atuação, o que resultou na mudança para sua sede própria e paralelamente passou a focar sua atividade comercial no setor musical, ampliando a sua gama de produtos e desta forma conquistando novos horizontes.

Já em 1991, a empresa passou a importar instrumentos musicais. A primeira marca com distribuição exclusiva no Brasil foi a Takamine. Nos anos seguintes, a Sonotec continuou crescendo no setor de importação e distribuição, somando mais marcas destacadas ao seu catálogo.

Em 2009, a Sonotec inaugurou uma nova sede de 3.900 m², na cidade de Regente Feijó, localizada na região de Presidente Prudente, interior de São Paulo, onde está estabelecido hoje o complexo Renaer. Este passo dado pela empresa foi alinhado com as perspectivas de ampliação de sua presença no setor. Logo, em 2016 uma outra ampliação foi necessária, passando a utilizar uma área de aproximadamente 8000m². 

Atualmente a Sonotec, representa mais de 20 marcas globais, como Takamine, Strinberg, Zeus, Gretsch, Karsect, Premium, D-One, LP, Vokal, Vivace, Orleans, Cadenza, Antares, Concert, entre outras. Dessa forma, o mercado brasileiro é abastecido com produtos musicais inovadores, que resultam em um portfólio com mais de 1000 itens oferecidos pela empresa, e atendendo o público musical através de revendas autorizadas distribuídas em todo o Brasil.

“Nosso compromisso é trazer para o público brasileiro o que há de melhor no mercado. Estamos sempre ‘antenados’ às novidades e nos baseamos nas necessidades dos músicos quando pensamos em um novo produto”, comentou Alexandre Seabra, diretor da empresa. 

Quer saber mais? Alexandre conta outros detalhes nesta entrevista. 

M&M: A Sonotec está fazendo 50 anos. O que isso significa para vocês?

Uma mistura de sentimentos como orgulho, satisfação, realização e vitória, pois conseguimos manter uma trajetória de crescimento ao longo desses anos, mesmo diante de tantas adversidades que são enfrentadas pela classe empresarial no Brasil.

M&M: Qual é a análise que fazem da história da empresa?

Consideramos nossa trajetória como altamente positiva e de sucesso, e, para isso, foi necessário tomarmos decisões acertadas em cada momento.

Algumas decisões foram marcantes em nossa história. Entre elas, podemos citar:

– Iniciativa do nosso fundador (Renato Severino da Silva) em vislumbrar e empreender em um negócio no qual acreditou que poderia progredir ao longo do tempo.

– A decisão de, estando no varejo, abrir nosso leque de atuação para a importação e distribuição em grande escala.

– A constância de um trabalho sempre pautado em uma postura ética e honesta com todos os nossos parceiros.

M&M: Como a Sonotec opera hoje?

Nossa estrutura é composta de uma forma bastante comum, como na maioria das empresas, com cargos de diretoria, gerências, supervisão, chefias, coordenadores, técnicos e colaboradores de base, além de um time de representantes comerciais distribuídos por todas as regiões do Brasil, que se encarrega do atendimento direto aos nossos revendedores lojistas. Sempre procuramos identificar novos talentos que possam evoluir e ocupar outros cargos dentro da empresa. Nosso quadro interno atual gira em torno de 80 funcionários no total. 

M&M: Que estratégias vocês acham que deram certo ao longo da história para que a empresa tenha sobrevivido” nesses 50 anos?

Como dissemos anteriormente, mantendo um trabalho sério, sempre pautado na ética e honestidade junto a todos os nossos parceiros, sejam eles clientes, fornecedores, colaboradores etc. Também oferecendo produtos de qualidade que se encaixem no perfil de demanda do mercado em cada momento, conquistando assim um importante espaço no mix de produtos das lojas do segmento musical.

M&M: Conte sobre as marcas com as quais trabalham atualmente.

Nossa primeira marca internacional foi a Takamine, há 30 anos, que acreditou em nossa proposta e nos deu a oportunidade de iniciar e desenvolver um trabalho muito forte no Brasil. O sucesso desse trabalho nos abriu portas para outras marcas, como Karsect, Ovation, Danelectro, Soultone, Gretsch, LP e outras.

Paralelamente a isso, iniciamos também um trabalho de desenvolvimento de marcas próprias. A primeira delas foi a Strinberg, que conquistou lugar de destaque no mercado musical, seguida por tantas outras marcas: Premium, Zeus, D-One, Vokal, Vivace, Concert, Antares, Cadenza, Orleans, Overtone, Class e mais, abrangendo quase todo o portfólio de instrumentos e acessórios musicais.

Quanto ao crescimento das marcas, sempre procuramos dar a mesma atenção a todas elas, porém não podemos negar o grande crescimento que tivemos nos últimos anos com as marcas Takamine, Strinberg, D-One e Zeus.

M&M: Tem alguma novidade de produto chegando este ano?

Mesmo durante um período de restrições imposto pela pandemia, há mais de um ano, conseguimos manter ativo o trabalho de desenvolvimento de novos produtos e oferecemos excelentes novidades ao mercado em 2020. Para 2021 temos muitas outras novidades, que estão em fase de desenvolvimento e logo serão apresentadas ao mercado.

Atualidade na empresa e no mercado

M&M: Como operou a empresa desde o começo da pandemia?

Como aconteceu em todas as empresas, tivemos inicialmente um impacto negativo muito forte, o que nos forçou a repensar estratégias e ações imediatas, como contenção de despesas, redução do volume de compras, introdução de novas modalidades de trabalho, como o home office, replanejamento do trabalho de marketing e uma readequação geral da empresa baseada na nova realidade do mercado.

M&M: De que forma a empresa avalia as mudanças no varejo do mercado musical devido à pandemia?

De maneira geral, as lojas de varejo foram as que mais sentiram, devido à ausência de clientes por causa dos fechamentos e também pela proibição da realização de shows e eventos. Tiveram que se reinventar, focando mais as negociações on-line, delivery e outros meios.

Contrariando as expectativas que tínhamos em função da pandemia, no segundo semestre de 2020 houve uma retomada na demanda, o que nos possibilitou fechar o ano com excelentes resultados. Agora, já em 2021, com o agravamento da pandemia, houve novamente uma redução no volume de negócios, porém estamos conseguindo manter níveis satisfatórios de vendas, o que ainda nos coloca em situação de crescimento em relação ao primeiro semestre de 2020.

M&M: Na sua visão, o que mudou na relação do fornecedor com o varejo?

Tivemos que nos adaptar à nova realidade do mercado e oferecer aos nossos clientes condições de compra mais flexíveis para que eles pudessem se manter em equilíbrio financeiro e também abastecidos com nossos produtos durante o período de maior dificuldade. Essa atitude trouxe um reconhecimento em forma de fidelidade ainda maior por parte de nossos parceiros.

M&M: Grandes marketplaces, como a Amazon e o Mercado Livre, além da chinesa Ali Express, estão transformando o setor, como vem ocorrendo nos demais países. Na sua visão, qual o impacto que isso traz para o mercado de áudio e instrumentos?

Entendemos que a inovação é inevitável em qualquer segmento, e que as empresas devem procurar se adaptar a essa nova realidade. Por ser um assunto novo e extremamente polêmico, estamos em busca dessa adaptação.

M&M: Em 2020, houve quebra de estoque de diversos fornecedores. No final do ano, ainda, a alta do frete China-Brasil trouxe um novo solavanco. O que se pode esperar da Sonotec sob o ponto de vista de aumento de custos, garantia de estoque e política de preços?

Com a alta demanda inesperada ocorrida no início do segundo semestre de 2020, naquele momento nossos estoques também baixaram a níveis mínimos. No entanto, ao percebermos essa reação, aceleramos as compras fortalecendo nosso abastecimento para 2021, o que nos proporciona atualmente um certo “conforto” no atendimento aos nossos clientes.

O grande aumento no valor dos fretes e outros custos de importação provocou uma sensível redução nas margens de lucro praticadas, chegando, em alguns casos, a inviabilizar as negociações. Mesmo assim, até o momento, conseguimos absorver essas variações evitando grandes repasses de preços aos nossos parceiros. Porém, entendemos que as empresas deverão avaliar cuidadosamente os impactos desses aumentos em seus estoques, para que sejam processados coerentemente com a realidade do mercado.

M&M: Estarão comemorando o aniversário de alguma forma? Haverá promoções para os lojistas, por exemplo?

Em função das regras de isolamento impostas pela pandemia, suspendemos a realização do nosso evento Áudio&MúsicaBrasil 2020 e reprogramamos a realização dele para junho de 2021, quando pretendíamos comemorar oficialmente os 50 anos da Sonotec, além de grandes promoções comerciais, como nas edições anteriores.

Cumprindo nosso papel com responsabilidade social, e devido à continuidade da pandemia e das regras de isolamento, achamos por bem suspender novamente nosso evento Áudio&MúsicaBrasil e optamos por trabalhar melhor as condições comerciais de forma pontual no decorrer do ano de 2021.

A maturidade adquirida ao longo desses 50 anos nos trouxe tranquilidade para agir de forma equilibrada e estratégica diante das mais adversas situações, o que nos proporciona grande solidez e nos mantém motivados para novos desafios.

https://www.youtube.com/watch?v=rG_R5enUpfY