OPINIÃO: Guitarra, sensacionalismo e mercado

OPINIÃO: Guitarra, sensacionalismo e mercado
fevereiro 28 08:36 2018

Matérias sensacionalistas, feitas somente para vender, infelizmente são comuns mas isso nunca tinha ocorrido com tanta frequência com noticias sobre instrumentos musicais, mais especificamente com a guitarra elétrica.

Boas matérias relatam a verdade e mesmo que o autor tenha uma opinião conseguimos saber a diferença entre a opinião e o conteúdo.

No ano passado a Washington Post publicou uma matéria que tinha como titulo “Morte lenta e secreta da guitarra”.

Me chamou atenção pelo titulo e depois de ler resolvi verificar as informações. Eles usaram somente dados fornecidos pela Gibson e montaram um cenário catastrófico para a guitarra elétrica.

Ao invés de terem verificado os números do mercado americano para vendas de guitarras elétricas que segundo a music Trades Magazine, os dados do The Annual Census of the Music Industries, mostram que nos últimos 10 anos sempre houve aumento no numero de guitarras elétricas novas vendidas no Estados Unidos, isso sem levar em conta o mercado de guitarras usadas que é gigantesco.

Para os números da Gibson terem diminuído tanto em um mercado crescente, o que ocorreu é que nos últimos trinta anos foram criadas centenas de novas marcas no mundo inteiro e que morderam uma grande fatia das vendas da Gibson, na verdade essa deveria ser uma ótima noticia, mostrando que houve um crescimento no mercado americano de guitarras elétricas.

Leia também: Por que não devemos acreditar que o mercado de instrumentos musicais morreu

Agora foi a vez do Brasil. Com um titulo: “Venda de guitarras despenca quase 80% em cinco anos no Brasil”

Não entendo porque esse sensacionalismo, que pode prejudicar muito a industria. Notícia baseada no numero de guitarras importadas de forma convencional pelos representantes de marcas internacionais e marcas brasileiras com fabricação no exterior.

Eles esqueceram de contar com as centenas de pequenos fabricantes, luthiers, com o mercado informal e de usados, como não é mensurável por falta de uma fonte oficial, não quer dizer que não existe.

Para comprovar minha teoria eu resolvi conversar com os donos de três das maiores escolas de musica do Brasil e segundo eles a guitarra elétrica ainda representa a maior quantidade de alunos e vem crescendo anualmente nos últimos cinco anos, isso não quer dizer que antes não havia crescimento, mas que verificamos os dados somente dos últimos cinco anos.

Comentários
Leia também:  Como reconhecer uma guitarra Gibson falsificada
view more articles

About Article Author

Claudio Ortiz
Claudio Ortiz

Empresário, proprietário da Stone Guitars.

View More Articles