Takamine e Sonotec trazem novos modelos por 10/06/2020

Os violões da Takamine são altamente reconhecidos no mercado brasileiro, e não é à toa, pois a distribuidora Sonotec vem fazendo um trabalho destacado com eles há três décadas. Conheça os novos modelos para 2020.

Quando se fala em violões é impossível não citar a Takamine. Criada na cidade de Sakashita, no Japão, aos pés do Monte Takamine, há quase 60 anos, a companhia é um marco na história dos instrumentos musicais devido às inovações tecnológicas e ao design de seus produtos.

O que começou como uma empresa familiar hoje é uma das principais marcas do mundo, distribuída em mais de 60 países. Os negócios internacionais da Takamine ganharam força comercial em 1975. A produção de violões elétricos e seus modelos de captadores definiram um padrão de qualidade e sofisticação para a indústria, além de a empresa ser pioneira no controle deslizante para o pré-amplificador estilo acústico.

A fábrica da Takamine e o escritório estão em Gifu, no Japão, e também existem companhias irmãs na Coreia do Sul e na China. A empresa negocia seus produtos diretamente com os distribuidores de cada país onde atua.

Para garantir um posicionamento positivo das vendas, a Takamine tem como estratégia trabalhar em forma de triângulo: do topo (marcas high-end) ao mais baixo (menos expressivas).

Além disso, a indústria tem de estar atenta às matérias-primas dos violões. Como são feitos de madeira, antes de exportar seus produtos, sempre consideram as mudanças no meio ambiente.

A Takamine iniciou negócios com a América Latina há mais de 30 anos e este ainda é um mercado sedutor para a empresa, pois nesses países se utilizam instrumentos com cordas de náilon, como na música folclórica, flamenca e no samba, sendo que cerca de 10% da produção da empresa é de produtos com esse perfil.

Quando se fala em crescimento, a Takamine não cruza os braços. Investe constantemente em novas ações para adequar-se ao mercado em que atua.

No Brasil

A Sonotec assumiu a distribuição dos produtos da Takamine em 1991, quando houve a abertura dos portos para importações por parte do governo Collor. Desde então, a marca pôde chegar às lojas brasileiras com mais facilidade e seus violões ocupam uma posição privilegiada no ranking, colocando-se como alguns dos melhores no País. É um produto de qualidade, com uma variedade de modelos que permite ao consumidor escolher aquele que melhor atenda à sua necessidade, além do suporte que recebe da Sonotec, é claro.

Northon Vanalli, gerente de marketing da Sonotec (parte do Grupo Renaer), conta mais a seguir.

Northon Vanalli

M&M: Como foi a evolução da Takamine no Brasil desde que a Sonotec virou distribuidora da marca?

Northon: A chegada foi em 1991 e, como qualquer marca que aporta em um novo mercado, era relativamente desconhecida. A construção da marca foi feita de forma gradual, porém com constância, seriedade, solidez e investimento, o que, ao longo do tempo, trouxe credibilidade tanto para o produto quanto para a empresa, ambos sólidos até os dias de hoje.

M&M: Como é hoje o trabalho que a Sonotec faz com a Takamine? 

Northon: O trabalho é feito com muito esmero e profissionalismo, qualidades que se estendem também para as outras marcas que distribuímos. Em 2021, celebraremos 30 anos como distribuidores da marca Takamine no Brasil. Durante esse tempo, tivemos oportunidade de aprender com o mercado, lojistas, músicos e artistas a melhor maneira de conduzir o trabalho com a marca. E, assim, fomos nos adequando conforme a necessidade.

O mercado brasileiro é um pouco diferente do dos outros países da América Latina, pois temos um território enorme, idioma diferente, música distinta — características que nos levaram à criatividade e à inovação. Tendo ciência disso, desde o início, a Sonotec procurou uma maneira peculiar de construção de mercado, pois sabíamos que somente assim a marca subsistiria, como realmente tem acontecido.

M&M: A Sonotec tem uma equipe especial que se encarrega só dessa marca? 

Northon: Sim e não. Explico: temos uma equipe de revisão interna que verifica individualmente todos os nossos instrumentos/produtos antes de enviá-los para o mercado. No entanto, uma parte dessa equipe é técnica especializada em Takamine. Isso proporciona uma grande segurança para nós e para os lojistas, diminuindo enormemente o retorno dos instrumentos para algum tipo de reparo. Todo o restante da equipe, como vendedores internos, marketing, representantes comerciais, logística, financeiro e administrativo, é o mesmo que trabalha para todas as nossas marcas conjuntamente e sem distinção. Temos uma assistência técnica e luthieria que são reconhecidas pelo mercado por sua eficácia e agilidade, conferindo credibilidade e fortalecimento à marca.

M&M: Conte sobre os artistas que usam Takamine no Brasil.

Northon: Hoje a Takamine tem um casting grande e relevante de artistas que estão posicionados entre os mais variados estilos musicais, tais como sertanejo, pop, rock, samba/pagode, gospel e reggae, entre outros. Esse trabalho, que se iniciou logo que a marca chegou ao Brasil, foi, de certa forma, inovador e inédito. Acredito ter sido um divisor de águas para que a marca alcançasse prestígio no mercado. Atualmente, devido à grande quantidade de artistas renomados usando a marca Takamine, ela é vista com muita frequência em DVDs, programas de TV, redes sociais como YouTube, Instagram e Facebook, e shows ao vivo.

Fica até difícil para nós, da Sonotec, quantificar a importância de toda essa mídia realizada por meio dos nossos patrocinados, mas com certeza foi e continua sendo fundamental. Posso me arriscar a dizer que essa “força artística” elevou a Takamine ao patamar de “objeto de desejo”.

M&M: O que significa para a Sonotec ter a Takamine entre suas marcas representadas?

Northon: Para nós, hoje, a marca Takamine tem uma enorme relevância, pois abre portas comerciais. Inclusive para os lojistas parceiros, tornou-se importante tê-la em seu mix de produtos. Um segundo significado a ser ressaltado é o orgulho que temos por — durante esses quase 30 anos — termos conseguido edificar uma marca tão importante no âmbito comercial e extremamente desejada pelo universo artístico.

M&M: Quais os produtos mais recentes da marca?

Northon: Destacamos os modelos da G Series, como GY93E (New Yorker eletroacústico com faixa em quilted maple no fundo), GD90CE ZC (Dreadnough eletroacústico com fundo e laterais em ziricote), GN75CE TBK (Nex eletroacústico na cor Trans Black), GN75CE WR (Nex eletroacústico na cor Wine Red), GN77KCE Nat (Nex eletroacústico com corpo em koa) e ainda o modelo GC6CE, um clássico náilon com boca oval.

Dentre os modelos Made in Japan, ressaltamos os flats TSP138C TBS e TSP148NC NS, da série Thinline, já disponíveis no Brasil, além do LTD2020 “Peace”, a série limitada da Takamine que chegará ao nosso país ainda no primeiro semestre. Como você pode notar, a Takamine tem um carinho especial pelo Brasil e renova sua linha com a frequência que o mercado brasileiro exige.

 

takamine