Encontro de Negócios: Cajon Percussion lança linha de pandeiros

Encontro de Negócios: Cajon Percussion lança linha de pandeiros

por 10/10/2016

A empresa, que nasceu fabricando cajons, está penetrando em outros segmentos da percussão, dessa vez com a criação de uma linha de pandeiros

Rafael Gomes e Rodrigo Araújo da Cajon Percussion

Rafael Gomes e Rodrigo Araújo da Cajon Percussion

O Rafael Gomes começou a fabricar cajons há 10 anos, mas a participação no mercado da Cajon Percussion cresceu mais há três anos e meio com a entrada na empresa de Rodrigo Araujo. “Estávamos muito tímidos no mercado mas depois que o Rodrigo entrou na empresa, partimos para a linha de frente na questão comercial”, explicou Rafael, atual diretor executivo da Cajon Percussion.

A empresa tem como objetivo lançar uma linha de produtos nova a cada ano para aumentar seu mix de produtos oferecidos ao mercado. Esse ano não foi a exceção e no Encontro de Negócios apresentaram sua nova série de pandeiros que conta com 21 modelos divididos em três linhas: de entrada Start, intermediária Mezzo e profissional Royal. “Mesmo os pandeiros da linha de entrada estão tendo uma boa aceitação em termos de qualidade, acabamento e som. Estamos satisfeitos com o feedback dos lojistas e dos músicos que experimentaram o produto. Foram lançamos em primeira mão na feira e começamos a vender bem eles”, explicou.

“Esse ano foram os pandeiros e para ano próximo estamos com uma ideia que ainda não podemos falar, mas será uma coisa bem interessante!”, adiantou

P1020573Além dos pandeiros, a Cajon apresentou as linhas Elo+Cores e Elo Cores, além de mostrar a linha Elo+ que foi lançada no início do ano.

Todos os produtos são 100% feitos no Brasil. A fábrica fica em Goiânia e inclusive os plásticos injetados são feitos em Goiânia. Cabe destacar que a empresa utiliza madeira de árvores de reflorestamento para seus produtos.

Já sobre o evento, o Rafael comentou:  “É a primeira vez que a gente participa do Encontro de Negócios com estande e para nós é exatamente o que o cliente procura: um espaço para fazer negócios. A questão de não abrir para o consumidor final e ser fechado para os lojistas facilita muito o trabalho da gente, pois todo mundo que está na feira quer vender então foi muito legal. Tivemos muita visitação no estande, revimos muitos clientes que já tínhamos e fizemos novos clientes. Gostamos muito!”.

Mais informações www.cajon.com.br