Taylor Guitars e WMS reforçam a experiência do cliente nas lojas

Taylor Guitars e WMS reforçam a experiência do cliente nas lojas

por 18/07/2019

A Taylor Guitars está focada em trabalhar com o distribuidor local, a WMS, para melhorar a experiência do cliente dentro das lojas.

IMG

Luiz Fernando Valezin, da WMS

Embora a Taylor Guitars esteja estabelecida há muitos anos, na América Latina era uma marca boutique, conhecida por músicos estudiosos, e não uma marca conhecida pelo grande público. A WMS trabalhou para mudar isso desde 2013, implementando estratégias para ter maior introdução da marca e que as pessoas reconheçam mais a Taylor como um violão acústico de qualidade.

“A Taylor USA e a WMS Brasil vêm se estruturando e adaptando para iniciar trabalhos com eventos em lojas/dealers no Brasil em diferentes formatos. A WMS já iniciou eventos específicos em determinadas regiões desde 2018, porém, estaremos ainda modificando o formato para o segundo semestre de 2019,” conta Luiz Fernando Valezin, diretor executivo da WMS.

A Taylor com a WMS no Brasil

A WMS Brasil vem distribuindo os produtos da Taylor Guitars desde o início de 2013. Luiz Fernando explica: “Nosso planejamento inicial e resultado na atuação para o Brasil vem se realizando com sucesso e com grande dedicação e esforço de todas as partes, mesmo considerando todas as adversidades e variáveis de nosso mercado: desvalorização cambial, redução no poder de compra dos nossos consumidores, contrabando e contínua ineficiência no apoio à cultura e redução dos impostos a produtos importados. Nosso trabalho com a Taylor Guitars, juntamente aos nossos parceiros lojistas, firmam a forte presença da marca no Brasil”.

Atualmente, a Taylor está presente em todo o País por meio de 85 parceiros, onde os clientes têm acesso aos instrumentos da Taylor, desde a linha montada na fábrica em Tecate, México (aproximadamente 40 minutos de distância da planta de El Cajon nos Estados Unidos) até a linha montada em El Cajon.

“O mercado brasileiro já entendeu que não existe qualquer diferença de qualidade na fabricação dos itens montados na planta mexicana em relação à planta de El Cajon. A linha de fabricação/montagem de Tecate é ainda maior para atender o grande volume de produção que compreende desde os Baby Taylor (BT1e, BT2e) até o modelo 214ce DLX.

Itens de especial atenção no Brasil são os instrumentos BT1e, BT2e, Academy10e e 12e, além das séries 300, 500, 600,700 e 800,” detalhou Luiz Fernando.

O mercado de violões

JUAN

Juan Lopera, da Taylor

Juan Lopera, encarregado de desenvolver negócios para a Taylor na América Latina, acredita que agora o mercado de violões acústicos está aumentando no mundo todo, apesar de o mercado das guitarras elétricas estar baixando um pouco. Isso poderia ser em razão de que os canais de redes sociais como YouTube estão proporcionando a oportunidade para que muitas pessoas mostrem sua música, algo que torna o violão acústico a parceira ideal e, por isso, é possível que mais pessoas estejam optando por violões acústicos em comparação com a guitarra elétrica. “Sempre há um boom e, atualmente, é o violão acústico”.

Lopera disse que os músicos latinos estão optando por voltar ao formato acústico que impôs o MTV Unplugged e vêm fazendo mais concertos acústicos. “Sinto que, atualmente, as pessoas querem ver um pouco mais de realidade nas músicas”.

Por essa razão, as estratégias que a Taylor está implementando nas lojas do mercado se baseiam em que, quando o cliente entre na loja, tenha uma boa experiência, que o vendedor esteja realmente treinado sobre a marca, que tenha vontade de conversar, de fazer as perguntas corretas, que possa guiá-lo durante a visita e oferecer as melhores opções.

“Acho que um dos maiores problemas que temos na América Latina é que não concorremos com o serviço ao cliente, e essa é a estratégia da Taylor. A estratégia da Taylor frente a outros é simplesmente garantir que quando escolhemos um dealer, a equipe e a loja ofereçam o melhor estoque, o melhor merchandising, que os intrumentos estejam bem expostos, que tudo esteja perfeito, em bom estado, afinadas, que as cordas estejam limpas, que estejam prontas para serem testadas e isso, somado a um vendedor treinado que possa guiar o cliente, é igual a ter mais sucesso na sua loja. Temos que agir e sempre sermos competitivos”, expressou. “Para desenvolver o mercado local, a estratégia é proporcionar uma excelente experiência na loja”.

Foco na educação

É por isso que entre os planos que a empresa tem para este ano é de investir ainda mais na educação dos usuários sobre os violões. A Taylor Guitars também está trabalhando com alguns artistas que estão ajudando a elevar o nome da marca e obter mais reconhecimento no mercado, entre os clientes.

Por meio do programa “Taylor Roadshows”, a marca realizará eventos em diferentes lojas visando apresentar vários modelos de seus violões, assim como um profissional especializado nos produtos que possa demonstrá-los. Nesses eventos falaremos sobre as madeiras, sua sustentabilidade, de onde provêm e, também, sobre o projeto chamado “Ebony Project” que a marca tem atualmente em Camarões, onde se está reflorestando e garantindo que continuemos a obter madeira de forma sustentável para seus violões.

Com essa iniciativa, pelo lado da WMS, o Luiz Fernando explica: “Seguindo a disponibilidade dos produtos Taylor para a região, a WMS Brasil realizou três eventos entre meados de 2018 e o segundo trimestre de 2019. Desde o início de nossa operação em 2013, nosso maior interesse tem sido o de apresentar os instrumentos Taylor, sua construção, características específicas, sempre com o intuito de responder as perguntas e dúvidas do público final, convidado pelo lojista em parceria com a WMS. Apresentamos em nossa linha desde modelos Academy10e e Academy 12e, até o modelo Grand Pacific / V-Class”.

Além dos eventos realizados juntamente aos lojistas, dedicado ao público local, a WMS Brasil vem realizando desde 2016 constantes treinamentos para os produtos Taylor nas lojas em todo o território brasileiro, informando também nos canais de comunicação da empresa sobre a história da Taylor Guitars, os produtos existentes, os novos produtos e os cuidados com os produtos na loja, “garantindo uma ótima experiência junto ao cliente final”.

oficinas

Casa matriz em El Cajon

E tem mais!

Isso não é tudo. A distribuidora local está trabalhando ainda mais para continuar aumentando a visibilidade da marca norte-americana no território brasileiro. Luiz Fernando adianta: “A WMS vem trabalhando para estabelecermos espaços exclusivos da Taylor junto aos lojistas de todo o Brasil e que estejam dentro de determinada política de exposição da marca e seus modelos”.

“Quem teve a oportunidade de visitar qualquer um de nossos espaços dedicados em feiras do segmento, puderam verificar que sempre priorizamos a qualidade, ‘linguagem’ e cuidado com a exposição dos violões Taylor, oferecendo total liberdade de acesso dos consumidores, garantindo a oportunidade de experiência junto aos instrumentos”.

“Ou seja, claramente permitir que o cliente vivencie a mesma experiência de tocar diversos modelos Taylor nas lojas parceiras, comparando, conhecendo cada modelo e, portanto, entendendo melhor a dinâmica de cada instrumento”.

“Cada músico têm sua preferência. Como decidir sem experimentar e comparar?,” disse Luiz Fernando. “Temos outros projetos em andamento, mas ainda não podemos divulgar ao mercado, mas serão todos voltados a apoiar os lojistas e incrementar nossa presença com a marca no Brasil”.

Marcando a diferença

Segundo Lopera, a diferença dos produtos da Taylor é a inovação que a empresa sempre está buscando como melhorá-los, que soem melhor e oferecer aos clientes uma ótima experiência.

Já para o Luiz Fernando, a Taylor se diferencia das outras marcas, principalmente, pela performance, conforto, segurança e sustentabilidade, “esta última sendo um dos maiores fatores de orgulho por estarmos integralmente conectados a este valor”.

“A Taylor é extremamente dedicada ao uso responsável da madeira na construção de seus instrumentos. Todos os modelos recebem tampo maciço. Para as linhas que utilizam laterais e fundos laminados, estamos ainda falando somente de madeiras, ou seja, sem substituir a madeira por outros tipos de materiais sintéticos”, conta.

“Sendo assim, a maior preocupação da Taylor Guitars é de trabalhar na obtenção da madeira selecionada e de forma sustentável. Bob Taylor sempre diz que um de seus maiores desejos é trabalhar continuamente para que as futuras gerações continuem tendo a possibilidade de adquirir um instrumento de qualidade fabricado com madeira. Uma de suas famosas ações, em Camarões, permitiu seu reconhecimento e premiação em 2014 entregue pelo secretário de defesa norte-americano John Kerry”.

“A preocupação com os trabalhadores locais e suas famílias, instalações e manuseio responsável na exploração do ébano faz parte de toda a filosofia e dedicação da Taylor Guitars com a sustentabilidade e perpetuação do uso da madeira e cuidado com o reflorestamento e o meio ambiente,” concluiu. Fique antenado, pois mais novidades vêm por aí.

Comentários