Mulheres luthiers: Paula Marinho dos Santos

Mulheres luthiers: Paula Marinho dos Santos

por 27/08/2020

Paula Marinho dos Santos, luthier de Diadema, em São Paulo, cria guitarras e baixos, além de oferecer manutenção para outros instrumentos e equipamentos.

Paula sempre gostou de música, principalmente rock, heavy metal e música clássica. Inspirada nas bandas que curte, aprendeu a tocar guitarra. “Comprei uma com ponte flutuante, que é mais complicada de afinar, mas aprendi sozinha o processo de regulagem”, comentou.

“Depois que comprei um baixo novo, percebi que ele trastejava as cordas. Levei em um luthier que não resolveu o problema. Foi aí que eu mesma comprei as ferramentas e fiz a retífica dos trastes do jeito que eu queria”.

Alguns anos depois, ela comprou uma guitarra com o headstock quebrado para consertá-la. Fez a colagem necessária, comprou tarraxas, ponte, trastes, captadores, mandou pintar e deixou a guitarra funcional.

::: Leia também:

Em 2016, ela entrou na escola B&H com o intuito de reparar e construir instrumentos. Fez os cursos básico (manutenção) e intermediário, onde terminou a construção de um baixo. Continuou com o curso avançado e agora está terminando uma guitarra estilo Les Paul. Também em 2016 abriu a sua própria oficina que chamou de Blue Luthieria.

Mais tarde, em 2018, fez um curso de manutenção de instrumentos clássicos.

Conheça mais nesta entrevista.

M&M: Então você estudou bastante para oferecer o serviço certo…

Paula Marinho dos Santos: Sim. Estudei na escola B&H Luthieria do Henry Ho e do Marcio Benedetti, e na escola O Instituto com o professor Victor Ahumada.

M&M: Que instrumentos você faz?

Paula: Construo guitarras e baixos. Também faço a manutenção de outros instrumentos de cordas, além de teclado, órgão e piano eletrônicos e amplificadores, caixas, mesas de som, pedais, entre outros.

M&M: Faz tudo, desde o design até a fabricação mesmo?

Paula: Sim, faço desde o projeto até a fabricação com máquinas e ferramentas específicas.

M&M: Por que escolheu esse tipo de instrumento?

Paula: Porque são instrumentos que sempre apreciei a sonoridade.

M&M: É difícil (ou tem sido difícil) ser mulher e trabalhar neste segmento, que normalmente é ocupado por homens?

Paula: Antes de ser luthier, eu sou técnica em eletrônica que também é uma área ‘ocupada’ por homens. Sim, não é fácil, principalmente no início. Vou citar algumas situações. Por exemplo, mais de um fornecedor de ferramentas já me chamou de ‘Paulo’, mesmo eu dizendo meu nome correto.

Outra vez, para eu comprar uma serra fita, um amigo meu negociou com o vendedor como se ele comprasse para mim, pois o vendedor não deu muita atenção quando eu conversei com ele.

Porém, nenhum obstáculo me impediu de continuar nas áreas que atuo.

M&M: Uma mulher cria para outra mulher ou os conceitos podem atrair também público masculino?

Paula: Uma mulher pode criar para qualquer pessoa, independente do gênero.

M&M: Gostaria de destacar algum modelo feito por você?

Paula: Construí um baixo na escola B&H e no momento estou finalizando uma guitarra no estilo Les Paul. Além disso, estou trabalhando na encomenda de um cliente para uma guitarra personalizada. 

 


Para mais informações, pode visitar o Facebook da Blue Luthieria, o Instagram, ou enviar mensagem no [email protected] ou (11) 99776-8441.