E agora? Agora, meditemos

E agora? Agora, meditemos

por 29/03/2016

A economia do País, a crise institucional, a agressividade dos concorrentes são as causas da perda de seus clientes, das suas oportunidades, dos seus negócios?

Será que devemos acreditar nisso? Não há nada que possa ser feito? Os clientes que o abandonaram estavam errados ao escolherem a sua loja, ou o abandonaram pelos motivos errados? O que você deixou de fazer ou fez errado para perdê-los? A resposta para essas indagações está intimamente ligada aos fundamentos! Você está seguindo os fundamentos de uma boa gestão?

O que é fundamento?

Fundamento é sustentáculo, base; alicerce, conjunto de regras básicas de organização e funcionamento de uma instituição, estabelecimento, esporte etc. Exemplos de alguns fundamentos: a visão, a missão, a cultura, os valores, os objetivos, as metas e o alinhamento com a organização.

Mais ainda: a execução de estratégias, fazer acontecer, motivação, incentivos, avaliação de desempenho, performance, e por aí vai. Tudo isso, somado, gera os fundamentos de uma boa gestão.

Pense nas suas ações!

Captura de pantalla 2016-03-16 a las 0.00.10Para não complicar as coisas, vamos converter esses elementos que geram fundamentos em palavras comuns, palavras que possamos entender:

1. Como está a fachada da sua loja?

2. E a vitrine?

3. Os seus colaboradores estão uniformizados, asseados, convidando as pessoas a interagir com eles?

4. A visualização dos seus instrumentos musicais é clara?

5. Os equipamentos estão ligados, prontos para arrasar qualquer pessoa que se atreva a ‘tocar’ nos maravilhosos instrumentos da sua loja?

6. A linguagem dos seus colaboradores diante do cliente é clara, estudada por você e a direção da empresa; ou é uma linguagem particular, carregada de individualismo?

7. E o networking? Você tem se interessado em buscar informações sobre todas as pessoas que entram na sua loja? Mais ainda: elas saem com informações suficientes sobre você, o produto de interesse e o seu negócio?

8. O seu mailing é ativo?

9. E a agenda dos seus colaboradores, é particular, individual ou é de propriedade da empresa? A agenda existe?

10. Nos dias de vale e adiantamento (meio do mês) e nos dias de pagamento (começo do mês) você ataca o seu cliente por meio das diversas formas de contato?

11. As datas festivas, carnaval, Páscoa, Dia dos Namorados, Dia das Mães, e assim por diante, você se veste desses personagens para encantar o seu cliente?

12. O fluxo de caixa da sua empresa é da loja ou seu?

13. Treinamentos e reuniões motivacionais fazem parte da sua estratégia de potencializar os colaboradores?

14. Você tem uma estratégia clara para derrubar qualquer tipo de ‘leilão’ que o seu cliente apresente?

Diligente ou inteligente?

Vou ficar por aqui para não gerar mais confusão. Existem dois tipos de negócios de sucesso: o diligente e o inteligente.

O diligente é aquele que durante a jornada comercial se apodera positivamente de todos os itens descritos acima.

O inteligente é aquele derruba a jornada comercial, atua 24 horas por dia, sempre com inovação, motivação, competência e empreendedorismo.

Isto gera sucesso; o resto, fracasso! Então, o que você vai fazer?

Texto Luiz Carlos Rigo Uhlik