Saúde: O Ciclo da auto sabotagem

Saúde: O Ciclo da auto sabotagem

por 24/08/2020

Você, profissional da indústria do entretenimento, conhece o que é a auto sabotagem? Será que está acontecendo isso na sua vida e na sua carreira?

Começaremos esse texto com a seguinte pergunta: Se você continuar a repetir as mesmas atitudes e padrões atuais, você conseguirá alcançar os resultados que deseja?

Bem-vindo a um conteúdo muito rico, que mesmo de maneira simplificada e de fácil entendimento poderá trazer uma reflexão profunda sobre sua vida, a auto sabotagem.

Resumidamente a auto sabotagem acontece quando criamos barreiras e impedimentos para realizar aquilo que desejamos, esse processo pode acontecer de forma consciente ou como na maioria dos casos inconsciente, tornando-se um processo de repetição de atitudes autodestrutivas.

Como vimos anteriormente, as crenças limitantes atuam diretamente na forma como agimos e nos comportamos, e vimos que elas são uma verdade individual que passamos a acreditar intensamente, seja por decisão própria ou por inputs externos (quando nos fazem acreditar em algo), e que mesmo de maneira inconsciente pode nos trazer diversos problemas. Agora por outro lado, você tem desejos que conflitam com essa crença, esse choque pode ser um dos motivos da criação da auto sabotagem, pois você sempre acreditou (ou te fizeram acreditar) em algo, mas o seu objetivo é fazer o oposto, nesse momento esse conflito entra em ação e quando a crença limitante é maior do que o desejo de mudança, você se auto sabota, pois seus medos, inseguranças e crenças limitantes assumem o comando, drenando sua autoconfiança e a capacidade de viver em sua melhor versão.

Vamos aos exemplos…

Um homem não consegue estabelecer um relacionamento duradouro, pois sua namorada acaba o traindo, entretanto, quando se relaciona com outra, o mesmo volta a acontecer.

Uma mulher sofre com violência doméstica, mas mesmo assim continua casada, ou quando se separa arruma outra pessoa com o mesmo defeito.

Coincidência ou auto sabotagem?  

Para responder essa perguntar utilizaremos um gráfico ilustrativo que explica esse ciclo.

 

 

Tudo começa com um evento de injustiça, que pode ter acontecido com a pessoa, ou com terceiros e ela presenciou. No primeiro nível, a pessoa fica magoada tende a reclamar do evento de injustiça, no segundo a pessoa fica ressentida e passa a reclamar daquele que cometeu tal injustiça, no terceiro nível, ela se torna vítima generalizando tudo e todos, no quarto nível, começa a fase do não merecimento. E por último, aparecem as consequências, a pessoa tende a procurar pessoas com características semelhantes a quem deu origem a tudo isso.

Aplicando aos exemplos, vemos que o homem procura mulheres com características semelhantes, e sempre acaba com o mesmo destino. Já a mulher que presenciou muita violência do seu pai com a sua mãe na infância, procura pessoas com as mesmas características do agressor. 

Vamos aplicar o conceito em nosso mercado…

Utilizando o exemplo de crença limitante do texto anterior, um músico cresceu ouvindo que isso não era profissão, que não chegaria a lugar algum, pois é um mercado informal e não oferece estabilidade. Porém, tem um desejo profundo de fazer diferente. Ao tentar criar ações e projetos que o levem a meta sonhada, entra em ação um conflito entre o desejo de mudança e a crença limitante, fazendo com que ele se auto sabote, sempre afastando ele do resultado desejado. Começar e não terminar, sempre deixar para depois, colocar dezenas de barreiras que impeçam o resultado e por fim, acaba se julgando incapaz ou não merecedor de tal conquista. E o ciclo se repete…

 

 

Portanto para interromper esse ciclo é preciso tornar o desejo de mudança mais poderoso do que a crença limitante em questão, e para isso, é importantíssimo tomar consciência dessas crenças, refletindo sobre o evento que deu origem a tudo isso.

Agora você é capaz de identificar alguns pontos de atenção. Uma vez identificados, o próximo passo requer ação. Enfrentar um processo de auto sabotagem não é uma tarefa fácil, pois é necessário trazer à tona eventos de injustiça, dores e muitos conflitos, mas é necessário. Por ser uma tarefa complexa, não hesite em procurar ajuda.

Lembre-se que você precisa viver em sua melhor versão, obtendo os melhores resultados dentro dos recursos que você tem. Dito isso, volto a perguntar…. Se você continuar a repetir as mesmas atitudes e padrões atuais, você conseguirá alcançar os resultados que deseja? Segundo o filósofo Francês Jean-Paul Sartre: “ O importante não é aquilo que fazem de nós, mas o que nós mesmos fazemos do que os outros fizeram de nós”.

Enquanto você mergulha nessa profunda reflexão, deixo aqui um pouco do conteúdo incrível que trataremos a seguir. É certo que não temos o poder de mudar o passado, esses eventos que vimos criam alguns nós, será que devemos desatá-los? 

 

*Autor: Tiago Rausini, especialista em desenvolvimento humano e análise comportamental, com certificações internacionais nas áreas de Coaching e PNL. Formado em marketing com especialização em inteligência de mercado orientada a resultados, e desenvolvimento de produtos, marcas e serviços. Gerente comercial e marketing da Luen, atuando em outras importantes empresas no segmento musical nos últimos 12 anos. Fundador e treinador do instituto Kocsi.

Instagram: @kocsi.oficial / E-mail: [email protected]