Luthier Ricardo Lelis e a W Custom Guitars

Luthier Ricardo Lelis e a W Custom Guitars

por 30/06/2020

Há cerca de cinco anos, após enfrentar um período de desemprego, o engenheiro civil Ricardo Lelis resolveu apostar em seu sonho – produzir instrumentos musicais custom shop. 

Para tanto, adquiriu uma máquina CNC e buscou aperfeiçoamento profissional, estudando e dialogando com profissionais mais experientes que já atuavam no mercado. Começava assim a história da W Custom Guitars, empresa sediada em Mogi Guaçu/SP, que fabrica guitarras, contrabaixos e violões customizados com muito carinho, precisão e atenção aos anseios dos clientes. 

Ao longo do bate-papo, ele nos contou um pouco sobre o seu envolvimento inicial com a luteria, o surgimento da marca W Custom Guitars, os serviços que oferece aos consumidores, dentre outros assuntos.

Como surgiu a W Custom Guitars?

Logo W Custom GuitarsRicardo Lelis: Sempre fui apaixonado por música, artes, criações e, em especial, guitarras. Trabalhar com madeira também era algo que me atraía. Com a crise de 2014, a minha área profissional (engenharia civil) e a empresa em que eu trabalhava sofreram forte impacto com cancelamentos de obras. Não demorou muito tempo e fui demitido. A luteria pra mim era algo distante ainda, vista somente por YouTube, até que descobri um luthier em minha cidade (Fábio Gonçalves), que hoje considero como meu mestre (embora quem me passou os primeiros conhecimentos foi outro luthier de minha cidade – o Rogério Biazotto) que constrói violas e violões. Construí meu primeiro violão, mas eu queria mais, queria construir uma Les Paul. Com o tempo livre, e em um pequeno cômodo no fundo de casa, fui aprendendo muito na base de erros e acertos, contando com poucas ferramentas, muitas leituras, muitas horas de conversas com o Fábio e visualização de vídeos. Além disso, fiz um curso excepcional com o João Cassias, que é uma referência no ramo.

 Acabei comprando uma máquina CNC sem saber ao certo o que era e para qual finalidade usaria. Sabia trabalhar muito bem com desenhos e meu primeiro desafio foi produzir o tampo de uma Les Paul. Quando fiz o primeiro, achei o máximo o resultado, mas hoje, com a experiência, vejo que existiam muitos erros. Logo depois, saiu a primeira guitarra de cedro com tampo de imbuia, escala em jacarandá e braço em mogno, modelo Les Paul. Uma grande conquista! Fui tentando outros modelos como a Tele e a Strato. Todas com muitos erros, mas também com muitos acertos e, principalmente, muito aprendizado. 

Com o mercado da engenharia em péssimo momento, e com as primeiras construções de guitarras, a ideia de criar uma empresa de construção de guitarras e violões foi amadurecendo. E isso foi muito sério para mim, dormia e acordava pensando só nas guitarras, nos projetos, nos processos, nos erros e nas melhorias a implantar. Com o nome sugerido por minha cunhada Grace, nasceu a Little Wing Guitars. A logo e as asas estilizadas representando a letra W foram criadas por mim, e supervisionado pela Grace que trabalha com propaganda e marketing. Criei páginas no Instagram e no Facebook, e comecei a vender corpos de guitarra no Mercado Livre. A primeira venda foi um corpo de Telecaster em marupá. 

Com o crescimento da marca, e as vendas aumentando através das redes sociais, e principalmente, com a evolução da qualidade do nosso trabalho, alteramos o nome para W Custom Guitars, mantendo as asas estilizadas, que teve uma agradável e surpresa aceitação no mercado. Atualmente, ainda divido as obras da Engenharia Civil com as construções das guitarras, mas a meta é ficar somente com as guitarras. É uma paixão que me faz não reclamar mais das segundas-feiras, nem comemorar a chegada dos finais de semana e feriados. Estar na oficina construindo é um prazer para mim. Se pudesse ficava com todas as guitarras que construo, não entregaria nenhuma.

Quais são os serviços que a W Custom Guitars disponibiliza para o consumidor atualmente?

 Ricardo Lelis: A ideia hoje é manter ao máximo os serviços de customização. O cliente escolhe o formato, peças, madeiras, modelos que sonha. Construo a peça e entrego da forma que o cliente quiser, ou seja, se quiser somente o corpo da guitarra, ou corpo e braço, ou somente o braço, ou o corpo e braço colados, corpo e braços com acabamento (pinturas), guitarras montadas com hardware e eletrônica instalada etc. Não fornecemos as peças de hardware e eletrônica por dois motivos: primeiro, os representantes dos produtos oferecem preços e condições de pagamentos melhores do que eu posso oferecer; segundo, se eu fosse representante de algumas marcas, limitaria a customização e eu não gostaria que fosse assim. Desta forma, caso o cliente queira, é só enviar todas as peças que retornamos a guitarra montada e regulada. 

Não trabalhamos com venda no balcão. Meu balcão são as redes sociais e o WhatsApp, e meus clientes são de todo Brasil. Assim tento ao máximo deixar o cliente mais próximo de suas construções com postagens de fotos e vídeos durante o processo de fabricação. Se estes momentos são prazerosos para mim, imagina pra quem está vendo seu sonho se tornar realidade? Sinto-me muito bem em fazer parte disso. 

Como a formação acadêmica em engenharia civil contribui no seu cotidiano como luthier?

 Ricardo Lelis: Além da graduação em engenharia, tenho MBA em gestão de projetos. Hoje sou eu quem desenho todos os projetos em CAD. Com os projetos feitos, envio para o cliente para aprovação. Este é o momento que ocorre o maior número de revisões, pois quando começa a construção, alguns processos não podem voltar atrás. Uma ótima ideia em um momento errado complica um pouco, embora seja comum. Mas imagino que estas etapas não são exclusivas da engenharia. A minha formação hoje ajuda nas escolhas para o caminho da W Custom Guitars, o certo e o errado, como tomar a decisão correta e em qual momento. A W Custom Guitars é bem melhor que ontem, com sonhos e metas para o amanhã, com muito espaço para crescer e melhorar. Estamos correndo atrás disso.

Quais foram as maiores dificuldades que você encontrou ao abraçar uma nova profissão?  

Ricardo Lelis: A minha maior dificuldade ainda é dividir este trabalho com a engenharia. As duas profissões hoje me dividem, e ainda tenho que arrumar tempo pra ficar com a família. A convivência com eles me ajuda e me fortalece. Mas não me considero um luthier. Sou um construtor de guitarras e de sonhos dos clientes. A profissão luthier é linda e seu conhecimento centenário é muito mais que isso. Eu ainda chego lá. Estou sempre estudando e me atualizando. Tive e tenho sorte que meus clientes me ajudam muito neste crescimento. Não dá pra ficar naquele “mais do mesmo”. Os pedidos mais diferentes, aqueles que você nunca fez, te desafiam e te fazem crescer. Estou recebendo muitos desses pedidos todos os dias. Dificilmente nego um trabalho. Desde que a guitarra afine tá valendo. Quem sou eu para minimizar o sonho de um cliente?

Já apareceu em sua oficina algum projeto inusitado? 

Ricardo Lelis: Inusitado acho que não é a palavra, mas o mais desafiador. Cada época tem o seu. No início, foi o tampo de um modelo Les Paul, depois a construção de uma Les Paul completa, multiescalas, a primeira modelo PRS, a primeira corpo inteiriço, marcações de escala etc. Ultimamente, foi uma guitarra de viagem com o tamanho de escala de Les Paul, tampo abaulado, headless, efeitos de distorção e amplificador de fone embutidos. Levou o apelido de “guitarrinha” pelo tamanho, mas para sua proposta, teve um resultado grandioso.

 O limite da customização é a funcionalidade do instrumento ou existem outras variáveis?

 Ricardo Lelis: Nada adianta se a guitarra não afinar. Simples assim. Mas a customização não passa necessariamente pela ciência e origem das notas musicais, pelo cálculo matemático de uma escala. Não vamos criar a roda. As variáveis são: acabamentos, curvas, cores, madeiras, formatos, marcações, elementos e pequenos detalhes que servem para eternizar pontos que são importantes para o cliente, além de ser financeiramente viável. A escolha deste conjunto deve soar bem aos ouvidos e aos olhos de seu dono. O sonho é dele, não é? Isso tem limites? São estes detalhes que tornam os instrumentos únicos.

 Você planeja alguma novidade para este ano? 

 Ricardo Lelis: Além de fortalecer a presença da marca W Custom Guitars no mercado, este ano a meta é lançar um site que facilite para o cliente customizar sua guitarra e enviar o pedido. Hoje nossas vendas são feitas pelas redes sociais e WhatsApp. Embora o atendimento seja à distância, trabalho de forma a minimizar este fator deixando o cliente mais confortável para realizar a compra e dar um passo na conquista de seu sonho. Você percebe como isso é delicado e de muita responsabilidade? Na maioria das vezes tratamos de sonhos, e eu não posso fazer nada errado. Pretendemos com o site agilizar a compra, mas sem perder o vínculo de confiança e respeito que fornecemos aos nossos clientes. Além disso, outras metas são construir a primeira archtop e diminuir o prazo de entrega. Participar como expositor em feiras da área é um sonho, mas este ano talvez não aconteça ainda, mas quem sabe?

Maiores informações no Facebook, site, Instragram e YouTube da W Custom Guitars.

Autor: Álvaro Silva é apaixonado por música, guitarra e luteria. Criador do blog Guitarras Made In BraSil – espaço dedicado à divulgação dos trabalhos de profissionais brasileiros que produzem guitarras, contrabaixos e violões custom shop.