10 caixas compactas de PA de 2020

10 caixas compactas de PA de 2020

por 08/10/2020

Apresentamos aqui 10 opçoes de sistemas de PA portáteis de marcas internacionais para bandas ou músicos de rua, compactos e de montagem simples.

Então, quem precisa de um PA? Bem, se você é um cantor e quer ser ouvido através da bateria, seção de trompete estridente ou qualquer instrumento amplificado em sua banda, isso não acontecerá a menos que você esteja cantando em um microfone e esse microfone esteja conectado a um dos alto-falantes de PA – ou caixas – neste guia.

Caso você esteja se perguntando, PA significa ‘public address’ e, a menos que você seja do tipo totalmente acústico tocando para bebedores de cerveja no canto de um pub, não será capaz de se dirigir ao seu público sem esse tipo de sistema.

Agora estamos todos familiarizados com os PAs com enormes montagens de caixas vistos em festivais e estádios, bem como os sistemas menores instalados comumente em locais de música mais compactos, mas não vamos falar sobre eles aqui. Se você estiver fazendo esse tipo de show, é improvável que leve seu próprio PA.

Este guia para as melhores caixas de PA é sobre sistemas de PA móveis compactos que se adaptam a qualquer pessoa que toque em locais pequenos; e isso inclui bandas completas com bateria, artistas solo, duos, trios ou outros conjuntos que apresentam vocais, instrumentos como guitarras elétricas, guitarras acústicas e teclados que não têm seu próprio amplificador e talvez até faixas de acompanhamento… e não vamos esquecer de tocar ao ar livre: os artistas de rua também precisam ser ouvidos.

Nosso foco é em pequenos sistemas independentes, em vez de um PA que você pode montar comprando um mixer, amplificadores e alto-falantes separados. O tipo de equipamento que pode ser facilmente carregado na parte de trás de um carro e, para músicos que realmente precisam fazer sua música ser ouvida na rua, opções que você pode transportar à mão ou em uma mochila.

Dicas de compra

Há algumas coisas a serem consideradas antes de gastar dinheiro em um novo sistema de PA. Primeiro, pense no que precisa ser ouvido: ao contrário de grandes PAs de concerto, você não amplificará todos os instrumentos e vocais que estão no palco, mas precisará de entradas suficientes para vocais e quaisquer outros instrumentos que não tenham um amplificador e precisam ser conectados diretamente a uma caixa DI.

Dê uma olhada no número total de entradas de microfone XLR e quaisquer instrumentos e entradas de linha e veja se ele fornecerá tudo que você precisa no futuro imediato, mas também para qualquer projeto em que você possa estar envolvido no futuro. A conectividade Bluetooth também pode ser um recurso útil se você planeja fazer streaming de música antes, durante ou depois do seu set.

A próxima coisa a considerar é quão potente deve ser o seu PA? Quantas pessoas você precisa atingir? Pense no tamanho dos locais em que tocará regularmente (e não se esqueça do espaço de ensaio) e considere a potência nominal de saída: 50 W pode ser adequado para tocar na rua, mas pode elevar sua voz acima do nível de uma bateria.

Se você é um artista solo, um artista de rua ou apenas prefere a vida fácil, a portabilidade também pode ser um fator importante a se considerar; talvez não tanto se você tiver um caminhão ou carro de tamanho decente, mas se você for um artista de rua no centro da cidade, você precisará de algo compacto e leve o suficiente para levar com você. Se você tem corrente elétrica onde está tocando, não deve haver problema, mas se você planeja ir na rua ou talvez apenas queira se divertir tocando música ao ar livre, vale a pena ver quanto tempo as baterias duram nas unidades portáteis que suportam energia de bateria.

Também dê uma olhada nos outros recursos que eles oferecem. Existe uma quantidade útil de controle sobre o EQ? E os efeitos integrados, como reverberação? Mantenha tudo isso em mente e você não terá problemas em se concentrar na escolha de uma das melhores caixas de PA deste guia.

1. Roland Cube Street EX

Uma das melhores caixas de PA para guitarristas de rua

 

 

Saída de potência: 50 W | Componentes: 2 drivers HF de 2”, 2 drivers LF de 8” | Conectividade: 2 entradas combo XLR/jack, entrada de áudio i-CUBE LINK estéreo (tipo de telefone em miniatura de 4 pólos), 2 entradas de linha jack de 1/4”, entrada link estéreo/entrada auxiliar de 1/4″, 2 saídas de linha de 1/4”, jack de teléfono estéreo de 1/4” | Efeitos: efeitos de guitarra COSM, Chorus/Delay, Reverb | Fonte de energia: bateria (8 x tamanho AA) ou rede elétrica (adaptador 13V DC incluído)

+ Leve e portátil

+ Sons integrados para guitarristas

+ Parte traseira inclinada para localização no chão

– O custo adicional ao substituir as baterias

Portátil e alimentado por bateria, o sistema de alto-falantes para PA Cube Street EX da Roland possui quatro canais independentes para conectar uma variedade de microfones e instrumentos, incluindo iPhone ou iPad para reproduzir música de fundo, mas parece especialmente voltado para guitarristas com seus sons de amplificadores COSM modelados. Opções de simulador Acoustic, Clean, Crunch e Lead para guitarra elétrica e um pré-amplificador para eletroacústica.

Há também um afinador, EQ de 3 bandas, reverberação e opção de chorus ou delay. Uma configuração de 50 W oferece saída máxima, mas também existem modos de saída de energia mais silenciosos de 25 W e 10 W, economizando bateria. Também possui gravação para iPhone/iPad via i-CUBE LINK e o aplicativo CUBE JAM gratuito.

2. Bose L1 Compact

Uma solução sem cabos que pode ser configurada em muito pouco tempo

 

 

Saída de potência: 130 W | Componentes: 1 caixa line array com 6 drivers HF de 2”, 1 driver LF de 8” | Conectividade: entrada XLR, entrada de instrumento de 1/4″, entrada estéreo RCA (phono), entrada estéreo minijack, saída de 1/4”, saída estéreo RCA (phono) | Efeitos: Não tem | Fonte de energia: rede elétrica (conector IEC)

+ Fácil de montar sem cabos

+ Boa difusão de som que pode ajudar com o monitoramento no palco

– Sem efeitos ou EQ

– Só funciona com rede elétrica

O sistema L1 Compact da Bose é o menor e mais portátil da linha L1 da empresa, combinando um PA e monitores em uma única unidade, com componentes interconectados que, segundo palavras da Bose, podem ser facilmente configurados em apenas um minuto.

O componente principal é uma caixa line array fina de aproximadamente 2 m de altura e possui seis pequenos drivers montados em ângulos precisos. Ela é colocada verticalmente e inserida em um suporte de alimentação com um subwoofer integrado. A vantagem de um line array é que ele dispersa o som espacialmente, não apenas para preencher toda a sala para o público, mas também no palco para monitoramento.

3. Mackie FreePlay Live PA

Uma opção simples para instrumento e voz com conectividade Bluetooth

 

 

Saída de potência: 150 W | Componentes: 2 drivers HF de 1″, 1 driver LF de 6” | Conectividade: 2 entradas combo XLR/jack, entrada auxiliar minijack, Bluetooth, saída para monitor jack TRS de 1/4” | Efeitos: Reverb | Fonte de energia: bateria de íon de lítio incorporada e rede elétrica (adaptador incluso)

+ Leve e portátil

+ Boa integração com o aplicativo incluído

+ Streaming de áudio por Bluetooth

– O aplicativo poderia oferecer mais – compressão, talvez

Com um tamanho fácil de transportar e bateria recarregável, o sistema de caixas FreePlay Live PA da Mackie oferece a oportunidade de conectar e reproduzir música em qualquer lugar (ou sem conectar, se você optar por transmitir música via Bluetooth). Basta colocá-lo sobre uma mesa ou em um suporte de microfone com o adaptador incluso.

Dois canais oferecem amplificação para um instrumento e uma voz. Um equalizador master tem presets selecionados com botões para ‘Music’ ou ‘Live’ e também há um reverb global selecionável. É básico, mas emparelhar o Bluetooth com o aplicativo gratuito FreePlay Connect para Android ou iOS oferece controle estendido sobre os níveis e reverberação, além de EQ de 3 bandas para cada canal.

4. Yamaha Stagepas 400BT PA

Um PA de aparência tradicional com muita conectividade

 

 

Saída de potência: 400 W | Componentes: 1 driver HF, 1 driver LF de 8” | Conectividade: 2 entradas XLR, 2 entradas combo XLR/jack, 4 entradas jack de 1/4”, entrada estéreo RCA (phono), Bluetooth, saídas de caixa, 2 saídas de monitor jack de 1/4”, saída de subwoofer jack de 1/4” | Efeitos: Reverb | Fonte de energia: rede elétrica (conexão IEC)

+ Muitos canais

+ EQ de duas bandas nos canais

+ Streaming de áudio por Bluetooth

-Não é tão portátil – você definitivamente precisa de um transporte

Este PA compacto da Yamaha apresenta o formato de PA tradicional com um mixer amplificado autônomo e duas caixas passivas, mas com um toque especial – o mixer removível se encaixa na parte de trás de uma caixa para facilitar o transporte.

Com uma capacidade de 400W, tem 8 canais, tornando-o adequado para lidar com várias vozes, com canais de sobra para alguns instrumentos, talvez até um microfone de bateria ou dois, talvez para dar ao bumbo um toque extra.

Também é equipado com uma entrada Bluetooth para streaming de áudio sem fio de smartphones ou tablets. As saídas de monitor e subwoofer permitem capacidade de expansão. Há também o modelo 600BT maior que você pode considerar se quiser um pouco mais de potência.

5. JBL Pro EON ONE Compact

Bom som com efeitos onde você for

 

 

Saída de potência: 150 W | Componentes: 1 woofer de 8″ | Conectividade: 2 entradas combo XLR/jack, 1 entrada de guitarra jack de 1/4″, entrada auxiliar de 1/8″, saída pass through jack de 1/4″, saída de fones de 1/8″, 2 USB, Bluetooth | Efeitos: reverb, chorus e delay | Fonte de energia: bateria recarregável intercambiável

+Compacto e fácil de transportar 

+Streaming de áudio por Bluetooth

+Linha útil de efeitos

-Algumas funções só estão disponíveis através do app

A JBL cobriu muitas opções com essa caixa compacta “tudo-em-um” que é ergonomicamente projetada para fácil portabilidade e pode ser configurada como um monitor ou verticalmente. A bateria oferece 12 horas de operação e é recarregada através de uma tomada IEC enquanto a unidade está em uso.

Quatro canais permitem uma variedade de usos, embora pareça ideal para vocais e guitarristas que desejam tirar proveito dos efeitos integrados, todos controlados por um aplicativo para iOS ou Android. Ela tem conexão Bluetooth e um par de portas USB para carregar dispositivos móveis conectados.

6. Behringer Europort MPA 40BT Pro

Um PA sobre rodas que é apropriado para músicos de rua móveis

 

 

Saúda de potência: 40 W | Componentes: 1 driver HF, 1 driver LF de 8” | Conectividade: 2 entradas combo XLR/jack, entrada estéreo RCA (phono), Bluetooth | Efeitos: Não tem | Fonte de energia: bateria (pack recarregável incorporado) e rede elétrica (conexão IEC)

+ Rodas e alça para mobilidade

+ Streaming de áudio por Bluetooth

+ Preço baixo

– Não tem efeitos

Você toca música no centro da cidade e não gosta de carregar seu aparelho de som? Que tal empurrar? O MPA 40BT Pro da Behringer tem uma alça retrátil e rodas como uma mala.

É um sistema de 40 W muito compacto com duas entradas de microfone/instrumento e uma entrada auxiliar para reprodutor de música, se você não quiser transmitir música via Bluetooth integrado.

Não tem efeitos, mas você tem um EQ geral básico de 2 bandas. É fácil pegar a estrada e se locomover, com o estojo de sua guitarra nas costas, suporte de microfone em uma mão enquanto empurra o sistema de som com a outra, tornando este um dos melhores sistemas de PA verdadeiramente móveis em termos de transporte.

7. Fender Passport Venue Series 2 PA speaker

Conectividade e potência para bandas

 

 

Saída de potência: 600 W | Componentes: 2 woofers de 10″ em uma caixa full-range | Conectividade: 4 entradas combo XLR/jack, 2 entradas de instrumento/linha jack de 1/4″, 2 entradas jack de 1/4″ estéreo, 2 entradas jack de 1/8″ estéreo, Bluetooth, saída para fones/linha de 1/8″ estéreo, saída mono jack de 1/4″, saída de subwoofer jack de 1/4” | Efeitos: Reverb | Fonte de energia: rede elétrica (conexão IEC)

+ 10 canais oferecem muitas opções de conexão 

+ Streaming de áudio por Bluetooth

+ Design fácil de transportar

– Nada especial

Esta última versão da Série 2, a mais poderosa da linha Passport da Fender, é mais um PA de estilo tradicional, já que possui um mixer/amplificador separado e duas caixas. No entanto, todos eles vêm juntos em um pacote para facilitar o transporte.

10 canais (seis mono, dois estéreo), todos com botões Treble, Bass e Reverb de fácil acesso, oferecem ampla margem para várias vozes e instrumentos, e há 600W de potência para preencher a sala. Se você deseja expandir seu sistema, ele possui uma saída de subwoofer com um filtro passa-alto automático para uso de subwoofer ativo.

8. Mackie SRM 450

Uma caixa “cavalinho de batalha” que também pode ser usada como parte de um sistema maior

 

 

Saída de potência: 1000 W | Componentes: driver HD de 1.4”, driver LF de 12” | Conectividade: 2 entradas XLR, 2 entrada jack de 1/4”, entrada estéreo RCA (phono), saída Thru XLR | Efeitos: Não tem | Fonte de energia: rede elétrica (conexão IEC)

+Bastante potência

+Expansível

+Robusta

-Não tem efeitos

A linha SRM é, de acordo com a Mackie, a caixa portátil mais amplamente usada até hoje, e embora o SRM450 seja um PA independente, ele também pode ser usado como parte de um sistema maior e um subwoofer pode ser adicionado a ele, portanto pode ser um ponto de partida para quem deseja expandir suas opções.

Possui dois canais, para que você possa ter confortavelmente duas vozes ou uma voz e um instrumento. O canal 2 também possui conexões para um reprodutor de música. O DSP integrado fornece vozes para PA, DJ, Monitor e Solo com várias atenuações de graves e cortes médios, mas não tem outro equalizador.

9. Peavey P2 Powered Line Array System

Um bom sistema de PA con características ao nível de preço que você paga

 

 

Saída de potência: 130 W | Componentes: 8 drivers HF de 4”, 1 driver LF de 12” | Conectividade: entrada combo XLR/jack, L&R entradas jack de 1/4”, entrada estéreo RCA (phono), 2 saídas XLR | Efeitos: Não tem | Fonte de energia: rede elétrica (conexão IEC)

+Boa difusão de som que pode ajudar com o monitoramento no palco

+O driver LF de 12” oferece muitos graves

-Os conectores elétricos nas colunas são um pouco frágeis

O P2 é um sistema line array no qual várias pequenas caixas são colocadas juntas verticalmente em uma coluna para serem combinadas com um subwoofer separado. A coluna vertical aqui vem em duas partes que são fixadas com porcas borboleta. Possui um mixer de três canais: um mais adequado para vocais, um com um par de conectores e o terceiro com conectores RCA para um reprodutor de música.

Embora cada canal tenha seu próprio botão de nível, o único EQ é global, consistindo em duas chaves de voz; uma oferece, além de operação plana, boost ou corte de graves fixos, enquanto a outra oferece boost de alta frequência para vozes.

10. HK Audio Lucas Nano 305 FX

Tudo o que você precisar em um pacote compacto

 

 

Saída de potência: 750 W | Componentes: 1 subwoofer de 8”, 2 caixas satélites de 3.5” | Conectividade: 3 entradas combo XLR/jack, 2 entradas de linha jack de 1/4”, entrada minijack estéreo, Bluetooth, 2 entradas link jack de 1/4” (para modo Twin Stereo), saídas de caixas satélite, 2 saídas link jack de 1/4” (para modo Twin Stereo) | Efeitos: Reverb | Fonte de energia: rede elétrica (conexão IEC)

+5 canais oferecem opções de conexão

+Streaming de áudio por Bluetooth 

+Design fácil de transportar 

-Possível gasto adicional necessário para suportes/montagem de satélites

Um dos menores sistemas de PA da HK Audio, o Nano 305 FX possui um mixer de 5 canais embutido no mesmo gabinete de seu subwoofer ativo, além de um par de caixas satélite menores que podem ser armazenadas em um compartimento interno para transporte. Essas caixas podem ser cabeadas e talvez montadas em suportes opcionais ou conectadas com um pólo portador de sinal de altura ajustável (S-CONNECT POLE LN).

Cada um dos três canais principais possui EQ de duas bandas, há sete efeitos de reverberação integrados e um reprodutor de MP3 pode ser transmitido via Bluetooth. A expansão para um sistema de caixa de PA maior é possível com outros produtos da mesma linha.

*Autor: Trevor Curwen. Artigo postado originalmente na MusicRadar