Caso ONErpm: empresa responde ao mercado sobre comunicado da Music News Brasil

Caso ONErpm: empresa responde ao mercado sobre comunicado da Music News Brasil

por 09/06/2020

Notícia intitulada ‘Music News Brasil: ONErpm não repassou valores do Spotify’ é negada pela agregadora

A notícia publicada ontem na página do Facebook Music News Brasil e compartilhada no perfil desta página na Música & Mercado nesta manhã de terça feira (9 de junho) foi contestada pela ONErpm.

 

Música & Mercado conversou com interlocutores da empresa, confira a nota.

Leia o comunicado da ONErpm emitido a pouco

“ONErpm, potência na redefinição da nova indústria da música, é uma das associadas da Merlin, agência global de direitos digitais, que recebeu o repasse financeiro referente à venda das suas ações do Spotify.

Com decisão unilateral, a Merlin vendeu todas as suas ações do Spotify, assim como fizeram outras algumas majors e distribuidoras do mercado não associadas à Merlin. A negociação dessas ações que a Merlin tinha do Spotify ocorreu por meio de uma oferta pública inicial, uma IPO, do inglês Initial Public Offering, um tipo de oferta em que as ações de uma empresa são vendidas ao público em geral na bolsa de valores pela primeira vez, tornando-a em uma empresa de capital aberto.

Após a venda das cotas que a Merlin tinha no Spotify, o valor recebido foi repassado aos seus associados de acordo com o market share de cada um. Com a notificação da venda e recebimento do relatório, que ocorreram em períodos distintos, a desenvolvedora ONErpm começou um extenso e minucioso trabalho de cálculo para o repasse desse valor. E, considerando os tempos de crise e pandemia, nunca antes visto, a ONErpm fez um repasse voluntário do valor recebido pela empresa para os seus clientes no dia 06 de junho.

“Estamos muitos felizes e contentes em compartilhar esta conquista com quem foi parceiro da ONErpm durante todos esses anos. Convidamos o mercado e as outras empresas, que ainda não o fizeram, a seguirem os mesmos passos da ONErpm, ao fazer o repasse justo dos valores recebidos” afirma Arthur Fitzgibbon, presidente ONErpm Brasil.”


Leia também: