Lorenzo Coppini, CEO da B&C, recebe Ordem do Mérito da Itália

Lorenzo Coppini, CEO da B&C, recebe Ordem do Mérito da Itália

por 16/07/2020

Lorenzo Coppini, CEO e acionista majoritário da B&C Speakers SpA, recebeu a Ordem do Mérito por seu desempenho em produtos fabricados na Itália.

Em 30 de maio, o presidente da República Italiana, Sergio Mattarella, nomeou 25 novos “Cavalieri del Lavoro”, uma ordem de mérito especial pelo trabalho realizado. Intitulada “Cavalheiro do Trabalho”, esta citação reconhece os empreendedores italianos trabalhadores que contribuíram para o desenvolvimento do “Feito na Itália”. Entre a lista deste ano está Lorenzo Coppini, CEO e acionista majoritário da B&C Speakers SpA.

A B&C é uma empresa original, de gestão familiar, que teve um crescimento constante em suas vendas, com quase 60 milhões de euros em 2019, seguindo uma série de valores éticos e de trabalho justos. Valores agora reconhecidos por este prêmio.

Coppini entrou na empresa em 1993, desempenhando funções de cada vez mais responsabilidade, começando nas áreas comercial e de marketing. Sob sua liderança, foram abertas duas filiais de vendas e distribuição nos Estados Unidos e no Brasil e, em 2008, a produção foi consolidada em uma nova instalação automatizada de 10.500 metros quadrados em Bagno a Ripoli, nos arredores de Florença. Em 2017, a B&C Speakers continuou sua expansão com a aquisição da Eighteen Sound, uma concorrente sediada em Reggio Emilia, Itália. Exportando 90% de sua produção, a B&C agora opera duas fábricas com aproximadamente 170 funcionários, 10% deles focados em pesquisa e desenvolvimento.

Com referência à Ordem do Mérito, Coppini pediu que o prêmio fosse dedicado aos fundadores da B&C Speakers, seu tio Fernando Borrani e seu pai Roberto Coppini: “O presidente me concedeu a honra de ‘Cavaliere del Lavoro’, enquanto todo o nosso setor está passando por grande dificuldade. Por esse motivo, quero que esse reconhecimento seja idealmente dedicado a todas as pessoas que trabalham no mundo do entretenimento e da música ao vivo, as primeiras a parar, mas espero que não sejam as últimas a retomar as atividades”, disse.