ANAFIMA planeja estudo tributário para áudio e instrumentos musicais e faz mudanças em sua estrutura

ANAFIMA planeja estudo tributário para áudio e instrumentos musicais e faz mudanças em sua estrutura

por 01/11/2019

Spotlight

A ANAFIMA – Associação Nacional da Indústria da Música – propôs em audiência realizada no dia 29 de outubro um estudo tributário para produtos de áudio e instrumentos musicais

29 de outubro –  A ANAFIMA – Associação Nacional da Indústria da Música – propôs mudanças em sua estrutura organizacional na entidade e propôs um estudo tributário para o setor de áudio e instrumentos musicais.

A ANAFIMA formará um novo Conselho Consultivo, aberto para associados e novos associados, dividido por verticais. “A entrada do Conselho Consultivo é tornar a ANAFIMA participativa para todos”, explica Daniel Neves, presidente da entidade. Com a mudança a ANAFIMA também abre as portas para novos associados: desde fornecedores de áudio, luz e instrumentos de variados tamanhos até lojistas, representantes, escolas, luthiers e profissionais liberais do mercado musical.

Veja no gráfico abaixo o Conselho Administrativo e como será o Conselho Consultivo da ANAFIMA.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Estudo Tributário para Áudio e Instrumentos Musicais

A ANAFIMA trouxe os sócios e diretores da renomada consultoria PwC para um diálogo sobre tributos. Para a entidade, a principal necessidade recai para o setor de áudio profissional, que necessita de uma análise mais profunda e equiparação entre os impostos Estaduais. “A ANAFIMA está trabalhando seriamente junto ao mais alto nível dos Governos Estaduais e Federal, além do Legislativo. Nossa missão é tornar a cadeia da música presente na agenda dos governantes, trabalhando questões sobre a música como base para o turismo, educação, saúde e entretenimento”, colocou Daniel Neves, na ocasião da reunião.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os próximos passos estão no afunilamento do escopo do briefing do estudo tributário. A ANAFIMA manterá os associados informados.

Filie-se a ANAFIMA: www.anafima.com.br


Leia também:

Comentários