O Drive-In está de volta e é a melhor chance para nossa indústria por 29/06/2020

O sistema drive-in não é novidade, pois existe há muito tempo, mas foi a pandemia que fez o formato ressurgir e se apresentar como a melhor chance para a indústria do entretenimento voltar a trabalhar.

Todos sabemos como a vida mudou desde o começo da pandemia e também sabemos como a maioria dos mercados foi afetada pela quarentena, pelo distanciamento social, pelo medo de ficarmos doentes, pela economia e mais.

Até que alguém lembrou do velho e bom formato drive-in: um espaço grande o suficiente para montar a estrutura apropriada para oferecer entretenimento ao público dentro dos seus carros. Antigamente eram só filmes, mas agora poderemos assistir também shows de música ao vivo.

Por que não? Temos que nos adaptar, temos que trabalhar, as locadoras e as equipes técnicas precisam, os espaços para eventos também.

E cada vez estamos vendo mais: o Allianz Parque em São Paulo se adaptou para oferecer o espaço apropiado para realizar shows ao vivo e projeção de filmes para aproximadamente 250 carros, com um máximo de 4 pessoas cada. Nesse formato se apresentou recentemente a banda Jota Quest e teve sucesso. Fora do estádio, funcionários checavam os ingressos e as temperaturas das pessoas que estavam dentro dos carros. Dentro do estádio, as vagas estavam demarcadas por grade e, ao lado da janela de cada carro, foram instaladas caixas de som. O palco, por sua vez, não tinha teto para não atrapalhar a visão, que era boa mesmo para quem estacionou na última fileira, além de uma tela de LED que ajudava a ver a ação no palco. (Fonte: Veja).

 

rogerio flausino

Imagem do Instagram de Rogerio Flausino

 

O Memorial da América Latina, também em São Paulo, inaugurou en junho o Belas Artes Drive-in, espaço criado para projeção de filmes que o público assistirá também dentro de seu próprio carro, respeitando o isolamento social. 

Todos os espaços seguem rigorosamente os protocolos de segurança e saúde determinados para combatir o coronavírus, com regras de distanciamento social, higiene, limpeza de ambientes, comunicação e monitoramento. Entre os cuidados obrigatórios estão a distância mínima de 1,5 metro entre pessoas e carros em todos os ambientes, máximo de quatro ocupantes no carro, pagamentos via aplicativo, exigência do uso de máscaras e aferição de temperatura de funcionários e clientes. (Fonte: Agência Brasil).

Para garantir o distanciamento, o acesso ao áudio do filme é obtido por meio do rádio do próprio carro, sintonizado via FM. Há também a opção de escutar a exibição por meio de um smartphone. (Fonte: Agência Brasil).

Outra opção também em São Paulo é o Arena Estaiada Drive-In, projeto criado pelos sócios Bob Dannerberg, Fernando Ximenes e Thiago Armentano que inaugurou em junho.

O local possui uma área de 5.000 m², onde podem ser estacionados até 100 carros por sessão. As vagas são por ordem de chegada, e os automóveis maiores são direcionados para a parte do fundo, para facilitar a visão geral. 

Destinado a maiores de 18 anos, o evento sugere a presença de apenas duas pessoas por carro, já que, segundo os organizadores, do banco traseiro não se tem boa visibilidade da tela – que possui 16 metros de largura e nove metros de altura. É proibida a entrada de carros conversíveis e todo mundo tem que usar máscara. Os filmes serão legendados, e o áudio será transmitido dentro do próprio veículo por meio de uma estação de rádio FM específica para a experiência. (Fonte: Culturice). Aqui foi realizado um show ao vivo do cantor Ivo Meirelles.

 

Arena Estaiada Drive In

Projeto Arena Estaiada Drive-In

 

Em Santa Catarina estão sendo realizados shows ao vivo seguindo o mesmo formato no Arena Petry.

No Rio do Janeiro, encontramos o Jeunesse Arena na Barra da Tijuca que está se preparando para apresentar não só filmes mas também shows drive-in.

É o jeito, olhar para frente, se adaptar e continuar trabalhando.