Stephan Kurzawski explica mudança nas feiras da Messe

Stephan Kurzawski explica mudança nas feiras da Messe
dezembro 21 12:35 2015

As renomadas Musikmesse e Prolight + Sound estão sendo renovadas. Ano passado já anunciaram várias mudanças. Stephan Kurzawski, responsável pela unidade de negócios de ambas as feiras, explica mais sobre o que esperar em 2016

Em 2014, Stephan Kurzawski assumiu a direção da Unidade de Negócios de Entretenimento, Mídia & Criação para as feiras alemãs Musikmesse e Prolight + Sound, além de suas responsabilidades como vice-presidente sênior da Messe Frankfurt Exhibition GmbH.

Para conhecer mais sobre o que acontecerá na edição de 2016 — a ser realizada em Frankfurt, como sempre —, nossa redação realizou uma entrevista exclusiva revelando interessantes detalhes.

plot MesseComo o mundo recebeu as mudanças anunciadas para as feiras?
O mercado tem reconhecido as oportunidades apresentadas pelas mudanças em ambas as exposições. Isso é demonstrado pelos numerosos comentários positivos recebidos pelos expositores e visitantes, além do apoio de importantes associações do setor. Esse feedback nos dá a possibilidade de contatar essas pessoas, obter ideias e críticas positivas para explorar o novo conceito ao máximo em cooperação com o setor.

Quais foram as principais preocupações e aceitações sobre essas mudanças?
Um mal-entendido comum no começo era que o novo conceito resultasse em que a Musikmesse perderia seu foco B2B. De fato, aconteceu o oposto. Por exemplo, há numerosos novos serviços e facilidades que reforçarão a posição da feira como plataforma internacional de negócios para o setor de instrumentos musicais. Com o estabelecimento do setor Business World no Hall 11.1 — cuja admissão será limitada a fabricantes, varejistas e distribuidores —, haverá inclusive mais espaço para falar sobre negócios em uma atmosfera tranquila. Também integrados neste hall estarão o Tulip Club, o VIP lounge para os principais compradores do setor e uma atrativa área de conferências especialmente para varejistas. Adicionalmente, estamos expandindo o programa de benefícios ‘Musikmesse Insider’, que já tem grande sucesso, para o qual 1.700 compradores se cadastraram em 2015. Mais não para aí: novas atividades de geração de clientes também elevarão a qualidade de negócios da feira. Naturalmente, negócios também serão realizados no restante dos halls, como tem acontecido no passado.
Em vista dos altos níveis de satisfação registrados no passado, é nosso trabalho convencer o setor sobre as vantagens oferecidas pelo novo conceito. E estamos fazendo um progresso excelente nesse aspecto. Por exemplo, temos recebido grande suporte para a nova sequência de dias, de quinta a domingo, o que dá a muitos lojistas de menor tamanho a chance de visitar a Musikmesse fora do seu horário comercial. A expansão das atividades de marketing no mundo inteiro via nossa rede global, a qual nos permitirá aumentar o caráter internacional da feira, também tem sido bem recebida por todos os envolvidos.

Leia também:  Izzo Musical apresenta seu gerente comercial

O que você pode adiantar sobre os expositores cadastrados para 2016?
Numerosos nomes-chave de todas partes do setor de instrumentos musicais e tecnologia para eventos já foram cadastrados como expositores. Estamos contentes particularmente com a quantidade de novos expositores e vários pedidos de mais espaço de exposição. Em geral, estamos satisfeitos com os resultados até agora. Estão chegando inscrições todos os dias. Contudo, ainda estamos focados no nosso objetivo: com essas mudanças, queremos que esse show para o mercado musical seja mais atrativo e, logicamente, queremos crescer em todos os aspectos ao mesmo tempo.

Depois das mudanças anunciadas no ano passado, muitos expositores mostraram a mesma preocupação: ‘Preciso pagar dois estandes no lugar de um?’. Você pode explicar como vai funcionar o espaço de exposição para o consumidor final e para fazer negócios?
Os halls temáticos 8.0, 9.0, 9.1, 10.2 e 11.0 oferecem um resumo do mercado internacional de instrumentos musicais. Varejistas de todo tipo têm a chance de descobrir os mais recentes produtos, vê-los e colocá-los em ação. Desse modo, esses halls continuarão sendo uma plataforma destacada desde a qual os expositores podem fazer negócios com varejistas. Além disso, o setor Business World será um ponto de encontro central para o mercado — sem fazer com que os outros halls sejam menos atrativos para esses grupos. Em outras palavras, a área exclusiva B2B complementa os halls temáticos, o qual dá aos expositores maior liberdade ao criar suas apresentações na Musikmesse. Naturalmente, ainda é possível reservar um estande de exposição individual, seja nos halls temáticos ou no Hall 11.1. E, certamente, oferecemos planos personalizados para as empresas que desejem estar presentes em ambas as seções.

Leia também:  Livecab 315 AUQI, da Waldman

Em sua opinião, quais são os pontos fortes da nova configuração em ambas as feiras?
Mais facilidades e serviços B2B, e, simultaneamente, maior ênfase em atrair aficionados da música de todo o mundo. Com o novo conceito, provaremos que isso não é uma contradição. Além disso, a nova sequência de dias permitirá explorar o potencial dos visitantes da Musikmesse ao máximo. Em paralelo, o perfil da feira Prolight + Sound, que será realizada de terça a sexta no futuro, está sendo refinado e estamos dando-lhe o espaço necessário para expandir o espectro coberto em termos de produtos e categorias.

Há planos de fazer essas feiras na América Latina?
As pessoas na América Latina são mais fanáticas por música do que em qualquer outro lugar do mundo. Além disso, muitos fabricantes latino-americanos têm crescido em reconhecimento nos últimos anos, como pode ser visto na Musikmesse — especialmente com o boom do cajón, há alguns anos. Por outro lado, encontramos uma situação econômica difícil em várias partes do continente. Atualmente, as principais economias, como a Argentina e o Brasil, estão enfrentando enormes desafios. A decisão de realizar ou não uma feira sempre depende da situação no mercado em questão. Por isso, estamos observando delicadamente a situação na América Latina — é essencial que a demanda por uma área grande de espaço de exposição para instrumentos musicais e tecnologia para eventos atinja um nível alto e estável que justifique os altos custos relacionados com o estabelecimento de uma feira. Se chegarmos à conclusão de que esse é o caso, com certeza analisaremos as oportunidades.

O que você acha sobre o futuro da indústria?
Devido aos desenvolvimentos voláteis nos últimos anos, é difícil fazer uma previsão econômica. Existe, porém, um número de fatores que traz uma previsão positiva. Em particular, está o alto valor sentimental dos produtos — depois de tudo, todo músico apaixonado quer ter um bom instrumento, inclusive em tempos de dificuldade econômica. Além disso, o espírito inovador predominante no setor foi evidente mais uma vez na edição de 2015. Além de designs cada vez mais extraordinários e o desenvolvimento de instrumentos clássicos, sempre há inovações genuínas para ver — desde instrumentos híbridos que mesclam o mundo analógico e o digital, por meio da integração de aparelhos móveis, até instrumentos completamente novos. Estamos ansiosos por ver se essas forças criativas se desenvolvem para forças impulsoras sustentáveis a fim de crescer no setor — e visam a continuar fornecendo uma plataforma de apresentação ótima sobre a qual possam prosperar.

Leia também:  Paiste adiciona ferramenta online para auxiliar revendedores

Novas datas e horários

Musikmesse: quinta 7/4 a domingo 10/4, das 10h às 19h
Prolight + Sound: terça 5/4 a sexta 8/4, das 10h às 19 h
www.musikmesse.com
www.prolight-sound.com

Comentários
view more articles

About Article Author

Redacao MM
Redacao MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles