O foco da SGM no desenvolvimento de produtos LED  

O foco da SGM no desenvolvimento de produtos LED  
julho 19 13:44 2019

Melhores processos, estudo detalhado da tecnologia LED, novos produtos e tendências. Veja mais nesta entrevista.

Há anos, a empresa SGM concentra seu trabalho na produção de aparelhos de LED e o estudo dessa tecnologia permitiu ter produtos cada vez mais especializados para diferentes segmentos do mercado.

Ben Díaz

Ben Díaz, que anteriormente era responsável pelo mercado da América do Sul, agora é gerente de produto da SGM e conta vários detalhes interessantes nesta entrevista.

M&M: Quais tendências da SGM você percebe no desenvolvimento de aparelhos de iluminação?

Ben: Acho que o mercado de iluminação está se movendo cada vez mais para parâmetros tecnológicos, em vez de se concentrar exclusivamente nos efeitos ou na constante renovação de produtos. Migramos das perspectivas iniciais nos anos 1970, quando tudo era novo e cheio de possibilidades, para uma situação na qual a premissa fundamental é tornar nossa indústria sustentável, sólida, adaptável. É aí que a tecnologia de alto nível tem peso e onde a SGM quer estar. Acho que seja um momento realmente fascinante. Pela primeira vez na história, todos no mundo da iluminação estão percebendo a importância de fabricar aparelhos com tecnologias bem projetadas, preparados para as necessidades reais de um mercado em constante mudança. Sentimo-nos confortáveis ​​nesse ambiente de inovação e detalhes.

M&M: Alguma coisa mudou na linha de produção da SGM nos últimos anos que você possa destacar?

Ben: Somos uma empresa bastante moderna nesse sentido, pois nosso sistema de produção é totalmente modular e nossos operadores são treinados para desenvolver múltiplas tarefas de acordo com as necessidades. A SGM ama o equilíbrio entre dedicação humana e precisão robótica. Investimos em máquinas de alta precisão para tarefas específicas de vedação e usamos cada vez mais a impressão 3D para prototipagem. Adicionamos mais máquinas de teste em nossos processos, porque estamos especialmente interessados ​​em prever o que pode dar errado no futuro. Estudamos cada vez mais o comportamento dos LEDs e componentes que montamos em nossas luzes, e temos mais túneis de calibração nas linhas de montagem para reduzir tempos e garantir o perfeito funcionamento de nossos algoritmos na cor.

Leia também:  W-DMX estabelece distribuição no Brasil

M&M: A empresa focou principalmente o uso da tecnologia LED. Quais foram os avanços ou mudanças nessa tecnologia nos últimos anos?

Empresa na Dinamarca

Ben: Para nós, o estudo do LED é fundamental, pois não produzimos nenhum outro tipo de fonte de luz. Passamos muito tempo pesquisando a incidência do calor no LED, bem como sua manipulação precisa. Estamos interessados em tornar o LED cada vez mais controlável e eficiente, e acreditamos que a chave está no gerenciamento térmico, na seleção baseada em parâmetros confiáveis e no desenvolvimento de software. Como avanço do próprio LED, gostaria de destacar o fato de que os LEDs brancos estão se tornando mais poderosos e mais confiáveis, e, portanto, mais interessantes.

M&M: A empresa continua fabricando tudo na Dinamarca ou tem dado passos em direção à China?

Ben: Continuamos a projetar e fabricar tudo na Dinamarca, sim. Mantemos todo o controle sobre peças e montagem, o que nos permite elevar continuamente os padrões, oferecer excelentes prazos de entrega sem reduzir os processos de qualidade e não depender de empresas externas. Eficiência e design funcional estão no DNA desse país. Há um grande senso de independência e isso permite que nossos funcionários ofereçam um desempenho enorme, além de um grande interesse em melhorar cada processo. Aprendemos com a nossa equipe todos os dias, pois os departamentos de produção e desenvolvimento estão intimamente relacionados. Todos esses fatores são muito valiosos para a SGM e dependem de que os produtos sejam projetados e construídos no mesmo local.

M&M: Que produtos da SGM são os mais vendidos no mundo todo?

Ben: Nossas vendas dos P-10, Q-10 e P-6 dispararam. Os usuários tradicionais da SGM entenderam suas possibilidades desde o primeiro dia graças ao impacto do P-5 e do Q-7 no mercado, e os novos usuários adoram ter tanto impacto quanto versatilidade. Nossos movings G-Spot e G-Profile Turbo continuam a vender de forma excelente, e estamos vendo cada vez mais pedidos de G-4 Wash do mundo de broadcast. Mas, sem dúvida, o nosso catálogo de POI está fazendo a diferença. Somos cada vez mais populares no segmento arquitetônico.

Leia também:  Chauvet: Lançamento TriShot LED

M&M: Quais foram os mais recentes lançamentos da empresa?

Ben: Recentemente começamos a produção do G-7 Spot, e tem sido um grande desafio para nós, pois estamos implementando tecnologias completamente diferentes de outros movings que temos em nosso catálogo. O G-4 Wash Motorized Barndoors tem sido o nosso grande lançamento para ambientes televisivos e teatrais, e nossos VPL impactaram fortemente instalações como fachadas interativas, cassinos ou cruzeiros. E, claro, o P-6, um wash que, a julgar pelas vendas, está destinado a ser nossa grande ponta de lança nos próximos anos.

 

M&M: No que a empresa está trabalhando atualmente? Pode adiantar alguma coisa?

Ben: Apresentamos na feira Prolight+Sound um moving diferente de tudo o que fizemos antes. Foi mostrado como um protótipo, então não posso confirmar seu nome definitivo ou suas especificações 100%. Mas estamos falando de um projetor móvel que combina um feixe de extrema coerência e longo alcance com um estrobo-blinder muito poderoso. Não estamos falando de um híbrido, mas algo além disso. Este produto não emula diferentes ângulos de feixe ou aplicações; literalmente tem duas fontes de luz completamente diferentes montadas no mesmo aparelho. A melhor maneira de imaginar o que você pode fazer é pensar em um refletor parabólico de grande abertura capaz de gerar efeitos diferentes através de um beam concentrado de alto contraste. Se você adicionar um estrobo no centro do refletor, com a mesma potência e ângulo que dois Q-7, mas em um espaço quatro vezes menor… então falamos de um efeito completamente diferente de tudo o que foi visto até agora. É provisoriamente chamado de “G-7 Beam” e temos certeza de que vai dar muito que falar.

Leia também:  T1 Profile da Robe é a luz mais recente da marca

M&M: Para onde você acha que irá o futuro da iluminação? 

Ben: Bom, continuamos insistindo na confiabilidade dos aparelhos e o tempo provou que estamos certos. Quando a SGM falava sobre luzes IP65 em 2011, nem todos entenderam sua função. Hoje ninguém fala de mais nada. Nos últimos dois anos, temos elevado o padrão até o IP66, e inventamos e desenvolvemos o conceito do desumidificador eletromecânico, que, em nossa opinião, é tão importante para a iluminação quanto a invenção da tecnologia LED aplicada. Vemos o futuro da iluminação focado na redução do consumo, aumentando eficiências e otimizando o gerenciamento térmico. Felizmente, estudamos esses processos desde 2009.

M&M: E as telas LED?

Ben: Acreditamos que a convergência entre luz e vídeo é praticamente inevitável. É algo que pode ser visto claramente na proliferação de instalações de iluminação nas quais o mapeamento de pixels ou a integração de imagens se tornam muito importantes. Achamos que também nesse sentido a confiabilidade dos sistemas desempenhará um papel fundamental. Projetamos nossos VPL para isso, e também para reproduzir fontes de vídeo, geradores de efeitos e parâmetros de iluminação sob o mesmo sistema modular. Será interessante ver para onde o desenvolvimento dessas tecnologias nos levará.

Distribuidor no Brasil: Hot Machine

 

 

Comentários
view more articles

About Article Author

Redacao MM
Redacao MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles