Unesp de SP realiza simpósio sobre problemas de saúde nos músicos

Unesp de SP realiza simpósio sobre problemas de saúde nos músicos

por 30/08/2016

O simpósio terá diversas palestras e aulas práticas nos dias 2 e 3 de setembro no Instituto de Artes da Unesp, em São Paulo, SP.

Os músicos, assim como os atletas, utilizam seu corpo de forma intensa: tronco, pernas, braços, mãos, dedos, lábios, garganta. Todo o corpo é exigido nas diversas práticas musicais. Por submeterem, muitas vezes, às demandas musculares extremas, ficaram conhecidos como “atletas de pequenos grupos musculares”.

Segundo o professor Paulo Celso Moura, coordenador do II Simpósio Paulista de Saúde do Músico e professor de música do Instituto de Arte da Unesp de São Paulo, a comparação com os atletas não é nenhum exagero: os limites do nosso corpo são constantemente testados, e diversas vezes ultrapassados, por quem decide ser músico.

“Quem já estudou bateria por mais de meia hora, se exercitou ao violão ou mesmo experimentou tocar um instrumento de sopro pode imediatamente imaginar o desgaste que uma rotina de mais de cinco horas diárias de dedicação impõe”, ressalta.

Levando em consideração toda esta questão, Moura explica que os músicos podem apresentar problemas musculares, ósseos, reumatológicos e, ainda, psicológicos e neurológicos, dependendo do tipo de problema desenvolvido. “Diversos estudos indicam que problemas de coluna, músculo-esqueléticos, além da fadiga intensa são algumas das queixas mais comuns. Muitas vezes a única opção é parar de tocar, o que pode significar até a interrupção da carreira”, alerta.

De acordo com Moura, o simpósio nasceu para difundir e sensibilizar os músicos sobre os riscos inerentes à profissão. Serão tratados também os tipos de prevenção e tratamentos, com apresentação de recentes estudos que abordam esta matéria.

A programação do evento, que ocorre dias 2 e 3 de setembro no Instituto de Artes da Unesp, em São Paulo, SP, traz palestras e aulas práticas com propostas de conscientização corporal e preparação de performance musical. Entre os pesquisadores que compõem a programação está o professor Paulo Bosísio, da Universidade do Rio de Janeiro (Unirio), um dos mais reconhecidos professores de violino e viola do Brasil. Também compõem a programação fisioterapeutas, fonoaudiólogas, terapeutas corporais, nutricionistas, preparadores corporais (dança, ginástica holística) e professores da área musical.

Para participar do evento, os interessados deverão fazer inscrição neste link.

*Por Maristela Garmes (texto publicado no site da Unesp)