Review do Leitor

Colabore com a comunidade musical.

Search
Maximize seus lucros com criptomoedas usando as ferramentas avançadas do Neoprofit AI.

AES Brasil realiza evento no Rio de Janeiro

Com mais de 12 horas de programação, minicurso e evento especial, o encontro fechou a programação 2016 da associação.

José Anselmo, presidente da AES Brasil

José Anselmo, presidente da AES Brasil

A AES Brasil (Associação de Engenharia de Áudio) realizou nos últimos dias 17 e 18 no auditório da COPPE na UFRJ no Rio de Janeiro um Encontro Regional de Engenharia de Áudio. O evento contou com a presença de 14 palestrantes que abordaram diferentes temas concernentes ao segmento e atraiu mais de 200 visitantes entre estudantes e profissionais da área.

Durante a abertura, o presidente da associação José Anselmo destacou a importância deste tipo de atividade para o setor do áudio no país. “Além do encontro com outros profissionais e a troca de experiências, debater nosso segmento mostra todas as possibilidades de atuação que estão abertas para o áudio no Brasil além das óbvias. A missão da AES é levar e ampliar este conhecimento entre seus associados e todo o mercado”, afirmou.

Abrindo a rodada de palestras, o primeiro a tomar a palavra foi o engenheiro da Microsoft Leonardo Nunes que abordou o tema do Deep Learning na compreensão de imagens de áudio por máquinas. Durante a palestra, Nunes trouxe os diferentes modelos de algoritmos de aprendizado através do tempo até chegar à rede Alexnet, criada em 2012 e que tem sido a principal maneira utilizada para “ensinar” sistemas a reconhecer imagens e sons.

Em seguida foi a vez do Gerente de Áudio da Rede Globo tomar a palavra para falar das transformações na forma como a emissora lida com sua produção de áudio para dramaturgia. Apesar de ilustrar o passo-a-passo do trabalho, o palestrante deu grande importância a criação da nova equipe de Produtores de Áudio, profissionais responsáveis pelo planejamento da produção em parceria com diretores e criadores dos conteúdos. “Além disso, temos feitos diversos estudos já considerando o áudio imersivo em padrões como Dolby Atmos e a produção para conteúdo de vídeo em realidade virtual”, explicou.

Partindo para um lado mais acadêmico, Ricardo Eduardo Musafir fez uma exposição sobre as atividades do Laboratório de Acústica e Vibrações do Programa de Eng. Mecânica da COPPE. Nele o professor explicou as linhas de pesquisa, as atividades realizadas e os cursos oferecidos e ilustrou algumas experiências com imagens dando ênfase na importância do trabalho de pesquisa dentro do segmento do áudio profissional.

Destacando a importância da saúde auditiva para os profissionais do setor, a Dra. Katya Freire da Audicare tomou a palavra e explicou de maneira bastante didática a biologia por trás da audição. Além de expor os perigos que os profissionais do áudio se expõe todos os dias, a fonoaudióloga ilustrou os principais problemas debilitantes que podem atingir a audição humana e abordou diversas formas de proteção para garantir a continuidade de uma audição perfeita ao longo dos anos.

Já o engenheiro e membro da diretoria da AES, Joel Brito, aproveitou o tempo para apresentar melhor a associação para os presentes. Destacando a importância da entidade ao longo dos anos desde o desenvolvimento de tecnologias até a representatividade para os profissionais, Brito apresentou toda a extensão do trabalho da AES mundialmente, na América Latina e no Brasil.

Em seguida foi a vez de Sérgio Lima Nascimento falar sobre restauração de áudio. Realizando quase um trabalho arqueológico, o profissional ilustrou sua palestra com diversos exemplos de áudio capturado inclusive de discos de vinil que foram quebrados ou destruídos com o tempo, e a capacidade que as ferramentas digitais modernas possuem para trazer nova vida à estes materiais. Entre os exemplos, Nascimento tocou diversos áudios de discos do acervo do Museu de Imagem e Som, onde realizou um extenso e pioneiro trabalho de restauração.

Fechando o dia, o lendário produtor musical Mayrton Bahia subiu ao púlpito para fazer uma apresentação sobre o curso de produção musical da universidade Estácio de Sá coordenado por ele. Apesar do caráter expositivo, a palestra acabou debatendo as principais necessidades e competências do profissional de música, e o que precisa ser levado em conta na hora de formar um estudante que busca destaque nesta área.

O segundo dia de evento continuou com a rodada de palestras como a de José Antônio Apolinário, do IME, que falou sobre Audio Forense. Apolinário abordou a importância da análise de áudio que pode ser usado como evidência durante uma investigação criminal ou decisão jurídica. O principal destaque ficou para a análise acústica do sinal proveniente de uma arma de fogo.

Com o tema “Áudio Multicanal e Ambientes de Imersão Sonora” o palestrante da UFF José Augusto Mannis abordou sistemas e modelos de dispositivos de gravação e reprodução sonora para áudio imersivo. Durante a apresentação, o palestrante apresentou o projeto de pesquisa da UFF em parceria com a Unicamp no processo de registro sonoro, produção e reprodução 5.1 que foi desenvolvido por instituições de pesquisa francesas.

Continuando no formato mais acadêmico, o professor da UFRJ Luis Wagner Pereira apresentou os trabalhos do Grupo de Processamento de Áudio da universidade. Durante a apresentação, o Wagner trouxe exemplos práticos de trabalho que usam o áudio para muito além da música e possuem aplicações, por exemplo, para o segmento de telecomunicações.

A sessão “O Compositor e o Som”, ministrada por Rodrigo Cicchelli Veloso da UFRJ, trouxe uma discussão e diversos exemplos das diferentes estratégias de abordagem do som pelos compositores de música clássica do século XX até os dias de hoje. Ainda finalizando o debate educacional, Luiz Helenio da escola IATEC apresentou a instituição e a oferta de programas educacionais técnicos para o segmento de áudio.

Fechando o evento, o engenheiro de projetos acústicos José Carlos Giner trouxe um estudo de caso sobre os novos estúdios da Disney Latin América na Argentina. O palestrante abordou os desafios e as soluções encontradas para a montagem das 44 salas técnicas exigidas pela empresa e o papel do profissional nesta concepção.

Minicurso e Evento Especial

Além do ciclo de palestras, os participantes do Encontro Regional de Engenharia de Áudio tiveram a oportunidade de tomar parte em no minicurso “Edição de som para vídeo”, realizado ao final dos dois dias de evento. Ministrado pelo instrutor Cristiano de Abreu da ProClass, o treinamento focou-se em um debate e atividades práticas sobre os melhores procedimentos de trabalho entre profissionais de vídeo e os responsáveis pela edição de som.

Outro destaque na programação para os inscritos foi o evento especial realizado no dia 19 de Novembro no Museu de Arte Contemporânea em Niterói. O encontro extra contou com a palestra de Clement Zular que abordou as técnicas utilizadas para gravação de trilhas sonoras orquestrais para as novelas da Rede Globo Velho Chico, Meu Pedacinho de Chão e Dois Irmãos. Em seguida, foi a vez do compositor Tim Rescala falando do processo de criação, composição e arranjo destas trilhas destacando o fluxo de trabalho necessário.

Música & Mercado
Logo
Shopping cart