Sucesso que incomoda

Sucesso que incomoda

por 29/06/2006

Parece incrível, mas as pessoas não conseguem suportar o sucesso alheio. Por menor que seja esse sucesso. É só alguém ter algum sucesso pessoal ou profissional e lá vem “martelada”.


Tenho visto coisas incríveis. Pessoas que gastam tempo e energia para prejudicar alguém que tenha algum sucesso. Chegam mesmo a usar recursos consideráveis para montar uma armadilha ou criar uma cilada ou inventar uma estória que possa prejudicar, denegrir, manchar a honra de quem está trabalhando com dedicação e comprometimento e por isso tendo sucesso pessoal e profissional.


Embora essa seja uma realidade universal, às vezes tenho a tendência de pensar que o brasileiro é um pouco pior nesse aspecto. Quando é um estrangeiro que tem sucesso, tudo bem. Quando é um empresário estrangeiro que compra uma empresa brasileira, tudo bem. Porém quando um brasileiro tem sucesso, parece que tudo se transforma em pecado, proibido e logo se buscam as “verdadeiras razões” – sempre escusas – para esse sucesso. Essa pessoa de sucesso será sempre acusada de ter crescido por meios ilícitos no Brasil. E fazem verdadeira devassa na vida da pessoa para encontrar alguma coisa, em algum tempo, por mais passado que seja, que possa diminuir o seu valor. E para isso valem mentiras e meias-verdades.


Veja a imprensa. Quando é uma denúncia, lá está o nome da empresa em letras garrafais e manchetes em rádio e TV. Mas quando é um elogio, o nome da empresa não pode ser citada. É sempre “uma empresa do ramo tal….”. Elogiar parece ser proibido aos brasileiros no Brasil. Mas todo elogio a empresas estrangeiras tem citação completa, com nome e endereço. Assim é o caso da AmBev, por exemplo, que por ser de brasileiros, ninguém se conforma com seu tamanho, potencial de crescimento, etc. Se fosse uma empresa estrangeira comprando uma brasileira – tudo bem. Ninguém iria acusar alguém de qualquer coisa. Mas onde já se viu “brasileiros” tendo sucesso!? Não pode!
Essa inveja atávica do brasileiro desmotiva nossos empresários e empreendedores que têm que ser uns quase-an