Sallaberry desenvolve E-REC para gravações

Sallaberry desenvolve E-REC para gravações
janeiro 18 17:33 2017

Roberto Sallaberry explica o que é o E-REC além de apresentar seu novo álbum e o equipamento usado durante sua produção

fundo-contracapa-copiaSallaberry, baterista, compositor e produtor musical, iniciou carreira solo em 2005, produzindo seus trabalhos sempre com foco nos ritmos brasileiros. A partir de então, a cada dois anos Sallaberry lança um novo álbum, sempre com a presença de muitos convidados especiais, a exemplo de Dennis Chambers, Billy Cobham e Airto Moreira.

Segundo o baterista, para viabilizar as gravações desenvolveu o E-REC – recurso que utiliza a internet para a troca de arquivos de áudio -, possibilitando que músicos residentes em diferentes cidades e até países pudessem gravar juntos.

O baterista acertou na mosca! O método de gravação via E-REC já rendeu artigos inteiros em publicações especializadas, bem como estudo publicado no International Journal of Social Science and Humanity – Vol. 4, No. 4, de Julho 2014. Ainda referente a produção musical, Sallaberry lançou em novembro a segunda edição do Manual Prático de Produção Musical, com informações inclusive sobre o E-REC.

Se os recursos para gravação são interessantes, a música produzida por Sallaberry não poderia ser diferente. ORIGEM, o sétimo álbum de sua carreira, com data de lançamento para o mês de janeiro, foi produzido em parceria com Guilherme Canaes, engenheiro de áudio do primeiro escalão que já trabalhou com BB King e George Benson, apenas para citar alguns. ORIGEM traz doze faixas, onde samba, baião, maracatu e bossa nova dão a tônica ao trabalho.

Leia também:

Produzido entre janeiro e novembro de 2016, Sallaberry gravou bateria, percussão e voz em seu estúdio Big Orange, em Orlando, nos Estados Unidos, país onde Sallaberry reside desde 2014. A partir de então, envolveu os músicos convidados Adriano Paternostro, Claudio Rocha, Dney Bitencourt, Deisy Araújo, Doug Felicio , Ed Côrtes, Fábio Valois, Fernando Moura, Flávio Medeiros, Fúlvio Oliveira, Guto Goffi, Itamar Collaço, Jorge Pescara, Luciano Magno, Mamoru Morishita, Marcelo Góis, Márcia Sallaberry, Marcus Cesar , Maurício Marques, Michel Freidenson, Paulo Soveral , Robertinho Silva e Sandro Haick, para finalizar sua produção.

Leia também:  NAMM: Vic Firth apresenta a baqueta signature de Keith Moon

Segundo Sallaberry: “A presença de músicos brasileiros, mesmo distantes fisicamente, foi indispensável para a textura de ORIGEM’, conclui. O album estará concorrendo ao Latin Grammy 2017, academia a qual Sallaberry participa como membro desde 2006.

Durante o processo de gravação, Sallaberry utilizou bateria Pearl Master Custom MRX, nas medidas 10×8, 12×8, 14×14 e 16X16, além de caixa Pearl modelo Chad Smith 14”x5”. Todos os tambores receberam peles Evans modelos Power Center Reverse Dot , EC2 (coated e clear) e UV1. Sallaberry tem modelo assinado de baqueta Vic Firth, e da mesma Vic foram utilizados mallets e vassouras.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os instrumentos de percussão gravados são da Contemporânea, além dos calçados da Urbann Boards. Todos os pratos são Zildjian, sendo crashes 15”, 16” e 17” K Custom Dark Crash, hihat K Custom Hybrid 13”, splashes A Custom 6” e 8”, ride K Custom High Definition 22”. Sallaberry ainda utiliza fones de ouvido da empresa dinamarquesa AIAIAI, além de acessórios das norte-americanas RimRiser e Gig Grips.

Linkedin

Comentários
view more articles

About Article Author

Redacao MM
Redacao MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles