Expomusic divulga seus números finais

Expomusic divulga seus números finais

por 24/09/2013

Segundo os organizadores, a feira teve mais de 53 mil visitantes, 7 mil compradores e movimentou R$ 280 milhões em negócios. Conheça outros dados fornecidos pela organização

A assessoria de imprensa da Expomusic acaba de divulgar os resultados oficiais da feira, entre eles a movimentação de  R$ 280 milhões em negócios durante o evento, “40% de todo o faturamento do ano”, segundo o comunicado.

A mais recente edição da Expomusic também  teve os seguintes números destacados pelos seus organizadores: “53 mil visitantes – entre varejistas, compradores, músicos, DJ’s, profissionais e público pagante. Desse total, 7 mil eram exclusivamente lojistas e compradores corporativos“.

 

::: Faça o download do app da Música & Mercado em seu celular Android ::


Para Synésio Batista da Costa, presidente da Abemúsica que realiza a Expomusic conjuntamente com a Francal, o Rock in Rio irá ajudar a aumentar o faturamento no setor, assim como o ano eleitoral, em 2014: “Ano eleitoral ajuda a vender toda a cadeia, do microfone aos PA´s e caixas acústicas”, disse.

Segundo os dados divulgados, o setor se desenha com a seguinte configuração para consumidores finais: “o fã do rock, que representa 15% do mercado, seguido dos  evangélicos (12%), católicos (5%), sertanejos (5%), e outros”.

Já do lado dos fornecedores, “a indústria musical brasileira conta com 25 fabricantes pequenos e 160 importadores e distribuidores, sendo apenas dois deles internacionais, Roland e Yamaha. Essa relação, no entanto, pende para o outro lado quando se sabe que 90% dos instrumentos são importados, contra apenas 10% de nacionais. “É uma questão de escala e custo de produção”, resume o presidente da Abemúsica”, revelou a divulgação.

De acordo com a Abemúsica, “a projeção de faturamento do setor para este ano é de R$ 700 milhões, 12% a mais que em 2012. O varejo movimenta perto de R$ 2 bilhões”.

Além de negócios, a feira propiciou mais de 500 horas de atrações nos estandes, entre pocket shows, workshops e sessões de autógrafos, além das 30 horas do Music Hall.

Leia, abaixo, o comunicado integral:

“EXPOMUSIC GERA R$ 280 MILHÕES EM NEGÓCIOS”

 Terceira maior feira de instrumentos musicais e acessórios do mundo completa 30 anos celebrando movimentação acima do esperado, com a presença de mais de 53 mil visitantes e 7 mil compradores. Realização do Rock in Rio, neste ano, e período eleitoral, no próximo, devem impulsionar ainda mais o setor.

Em ano de Rock in Rio, que tradicionalmente ajuda a acelerar as vendas de instrumentos musicais após sua realização, o presidente da Abemúsica, Synésio Batista da Costa, garante que a indústria tem mais motivos para comemorar os ventos que sopram a favor. Primeiro, a promoção da EXPOMUSIC, parceria entre a Abemúsica e Francal Feiras, em sua 30ª edição, que contabilizou números positivos e movimentou 40% de todo o faturamento do ano.

O maior promotor de vendas do setor, diz Synésio, já projetando 2014, é a política: “Ano eleitoral ajuda a vender toda a cadeia, do microfone aos PA´s e caixas acústicas”. Em matéria de consumidor final, em períodos fora da política, está o fã do rock, que representa 15% do mercado, seguido dos  evangélicos (12%), católicos (5%), sertanejos (5%), e outros.

A indústria musical brasileira conta com 25 fabricantes pequenos e 160 importadores e distribuidores, sendo apenas dois deles internacionais, Roland e Yamaha. Essa relação, no entanto, pende para o outro lado quando se sabe que 90% dos instrumentos são importados, contra apenas 10% de nacionais. “É uma questão de escala e custo de produção”, resume o presidente da Abemúsica.

A projeção de faturamento do setor para este ano é de R$ 700 milhões, 12% a mais que em 2012. O varejo movimenta perto de R$ 2 bilhões, segundo a entidade.

30 anos

A edição comemorativa da EXPOMUSIC recebeu 53 mil visitantes – entre varejistas, compradores, músicos, DJ’s, profissionais e público pagante. Desse total, 7 mil eram exclusivamente lojistas e compradores corporativos. Nos cálculos de Synésio, os 40% que a feira movimenta nos negócios do setor no ano equivalem a R$ 280 milhões.

Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal Feiras, confirma a vocação da EXPOMUSIC para a realização de negócios, e destaca também sua importância na relação do público com a música.

“A feira consegue balancear tanto a demanda dos profissionais – expositores e lojistas – ao abastecer o varejo com novidades, como também agrada o público, que tem oportunidade de testar os instrumentos, assistir aos shows e entrar em contato com músicos profissionais”.

O executivo refere-se às mais de 500 horas de atrações nos estandes durante os quatro dias da feira, entre pocket shows, workshops e sessões de autógrafos. Em comemoração à 30ª edição, a programação do Music Hall, espaço que abriga as apresentações oficiais da feira, foi ampliada neste ano, num total de 30 horas.

Realizada no período que, historicamente, é considerado pela Michael o mais próspero para os negócios, a EXPOMUSIC, segundo a gerente de marketing Priscilla Nunes, proporciona um retorno além do imediato: “As vendas e contatos realizados nesse período, sobretudo aqui na feira, rendem muitos negócios e ações futuras. A feira representa mais de 70% dos nossos negócios neste mês”, calcula.

Numa dinâmica de produção quase artesanal, a fabricante nacional Music Maker confecciona suas guitarras conforme a demanda. Para participar da EXPOMUSIC, a empresa organizou uma força-tarefa. Todas as guitarras expostas no estande da empresa foram feitas exclusivamente para negociação na feira. Segundo o presidente da empresa, Ivan Freitas, o resultado de tanto esforço foi além do esperado; a empresa vendeu todas as guitarras do estande nesses cinco dias: “Triplicamos a produção para encher o estande. Para completar a mostra, inclusive, tivemos que trazer o mostruário”, revelou Freitas.

Há três anos no mercado, a Fire investiu alto em sua segunda participação na feira, estratégia que, segundo o diretor comercial, Evaristo Fernandes, se refletiu nos negócios e na visitação: “Nos dois primeiros dias fizemos muitos e bons negócios que devem resultar numa estimativa de crescimento substancial; a visitação, aliás, foi bem qualificada”, observa. 

Com volume de vendas 20% superior ao do ano passado, a Pride Music registrou bons negócios durante a EXPOMUSIC 2013: “Abrimos novos clientes e os que já compravam de nós estão muito satisfeitos”, revela Mauro Martins, diretor da empresa. Com marcas como Fender e Körg, a empresa pelo segundo ano consecutivo abriu um espaço para que o público pudesse experimentar os produtos.  “

Comentários