Expomusic abre com recorde de visitantes e representantes internacionais

Expomusic abre com recorde de visitantes e representantes internacionais

por 21/09/2011

A feira, que começou hoje, 21 de setembro, antecipa participação recorde na 28ª edição. neste momento, filas enormes são o cenário da entrada do Expo Center Norte

 Pontualmente às 13hs, a maior feira de instrumentos musicais e áudio da América Latina, a Expomusic, teve suas portas abertas à visitação.

Uma das primeiras coisas notadas foi o grande número de pessoas que já faziam fila para trocar seus convites e acessar o evento, lembrando que os dois primeiros dias são restritos a profissionais do setor. Ao entrar, tanto o tamanho quanta a decoração dos estandes chamavam a atenção, são 200 expositores, entre fabricantes e importadores, reunidos nos pavilhões que comportam a feira.

De acordo com o Synésio Batista da Costa, presidente da Abemúsica, associação que promove a feira ao lado da Francal, a indústria musical espera movimentar R$ 700 milhões este ano, crescimento de 15% com relação ao ano passado. “Mas com a musicalização nas escolas se tornando cada vez mais efetiva, estamos prevendo ainda mais crescimento ano que vem”.  

Para ele, a obrigatoriedade escolar será o grande motor da indústria nos próximos anos. Inclusive, a Expomusic 2011 receberá 300 alunos de escolas públicas e particulares, que se inscreveram antecipadamente para visitar a feira, uma estratégia para já aproximar as crianças do universo musical.

Synésio também comentou as ações que o recém-criado Instituto Abemúsica pela Educação Musical está fazendo para incentivar  a demanda por instrumentos musicais com a obrigatoriedade escolar, já que 2011 frustrou a indústria com a pouca demanda gerada.

“Estamos conversando com o MEC (Ministério da Educação) e outras instituições para elaborar uma lista com os produtos para equipar a escola. Também nos foi pedido [à Abemúsica] uma recomendação sobre a média de investimento que cada colégio precisará dispender para montar uma sala de música”, explicou.

Ao ser idagado se a simutaneidade com o Rock In Rio influenciaria negativamente os negócios na Expomusic, Synésio foi enfático: “Não. Ao contrário. Tenho certeza que teremos alta demanda de procura por instrumentos, principalmente os de corda, logo após o Rock In Rio”. Ele também deixou claro que este ano, o número de estrangeiros visitando a feira bateu todos os recordes. “Chegou até a faltar vaga nos hotéis que somos parceiros”, confirmou.   

Se depender das filas na frente do centro de eventos e do número de pessoas circulando nos corredores, com certeza, a 28ª edição da Expomusic baterá muitos outros recordes. Ano passado, este número foi de 50 mil; vamos esperar.