Desmotivação, saiba como reverter este quadro

Desmotivação, saiba como reverter este quadro

por 21/05/2012

Estudo da Harvard mostra que um profissional demostivado, que rende 25% de sua capacidade, se incentivado corretamente pode aumentar sua produtividade para até 85%

Por Ricardo Barbosa*

 Os motivos que levam a desmotivação dos colaboradores de uma empresa são conhecidos. Dentre eles os mais relevantes são falta de um plano de carreira, desafios impossíveis,  falta de reconhecimento nos trabalhos desenvolvidos, falta de um plano de remuneração variável, clima organizacional ruim e problemas pessoais.

Porém, o resultado desses problemas para empresas podem ser muito mais graves do que os empresários pensam, dentre os quais destaco baixa produtividade, atraso na entrega de tarefas, faltas constantes, falta de comprometimento e até mesmo sabotagens. Para se ter ideia, a Universidade de Harvard tem estudos mostrando resultados interessantes nessa área.

Um dos exemplos que podemos citar foi extraído de pesquisas sobre motivação individual e de grupos: um profissional pode passar a vida com um rendimento de 25% de sua capacidade de trabalho e ainda assim manter seu emprego. O mesmo indivíduo, motivado corretamente, cresce em seu desempenho, chegando a atingir 80% de sua capacidade.

Assim, é ponto fundamental para os líderes das empresas detectarem os colaboradores que podem estar desmotivados e reverter este quadro. Um dos caminhos é realizar uma pesquisa de clima organizacional e obter constantes feedbacks dos colaboradores. Na verdade, o líder deve estar sempre atento, porque um colaborador que está começando a se desmotivar pode ser facilmente detectado no cotidiano o que facilita muito a mudança da situação.

Para ajudar seus líderes, a empresa pode implementar políticas que resultam em grandes resultados,  dentre as quais se destacam:

  • Realizar uma pesquisa de clima organizacional com metodologia bem estruturada e análise aprofundada dos resultados;
  • Implementar um plano de avaliação de desempenho com uma boa frequência e avaliação 360 graus;
  • Elaborar um plano de cargos e salários baseados em competências e com regras bem definidas que devem ser muito bem divulgadas;
  • Implementar um plano de carreira visando a retenção de talentos tão escassos atualmente;
  • Avaliar as necessidades primordiais dos colaboradores e fornecer pacotes de benefícios que possam supri-las;
  • Exercer política de comunicação adequada, não deixando espaço para ”rádio peão” e possibilitando que todos estejam de acordo com a missão da empresa.

*Ricardo M. Barbosa é diretor executivo da Innovia Training & Consulting. Também atua como professor de programas de pós-graduação em conceituadas instituições de ensino, é consultor em Gestão de Projetos há 15 anos e já trabalhou como executivo em grandes empresas como Ernst & Young Consulting; Wurth do Brasil; Unibanco; Daimler Chrysler.

Comentários

No Comments so far

Jump into a conversation

No Comments Yet!

You can be the one to start a conversation.

Your data will be safe!Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.