Tecnologia e técnicas especiais na Next Pro

Tecnologia e técnicas especiais na Next Pro
agosto 09 08:00 2017

Sempre privilegiando a qualidade e a inovação, a empresa aposta no potencial brasileiro e na fabricação local, fornecendo aos usuários amplificadores cada vez mais profissionais

A história começa com Marcelo Barros, CEO P&D, e Gilberto Grossi, CEO industrial, que são amigos de infância e passaram mais da metade de suas vidas juntos. Trabalharam sempre muito próximos e nas mesmas empresas, no ramo do áudio, por mais de 15 anos. Portanto, a Next Pro surgiu de modo natural, a partir dessa convivência. “Não havia como focar outro segmento que não fosse o áudio! Nunca pensamos em outra área”, disse Marcelo. “Simplesmente ponderamos como poderíamos trazer uma inovação genuína para esse ramo, então decidimos começar por amplificadores digitais com fontes chaveadas em formato modular para aplicações OEM.”

A FÁBRICA

A sede da Next Pro está em São Paulo, e pode-se dizer que o início da produção opera no sistema de contractor, em que a planta industrial de inserção e soldagem automatizada é arrendada de um grande montador por algumas semanas por mês. Assim conseguem ter total controle sobre o processo, que é realizado em Campinas, a poucos minutos da sede, onde têm acesso a equipamentos modernos, sempre atualizados e com a manutenção em dia. Já a logística de compra e gerenciamento dos componentes/matérias-primas, muitos dos quais são customizados, é integralmente feita dentro de suas dependências, assim como a montagem final dos produtos, testes e controle de qualidade, que são realizados por uma equipe pequena, mas extremamente eficiente.

“Todo novo produto surge de uma necessidade, mesmo que, às vezes, essa necessidade não esteja clara na mente de nossos clientes. Então, eventualmente nos antecipamos, fazendo uma leitura do mercado”, explica Gilberto. Com o esboço traçado, buscam um feedback por meio do Departamento Comercial, que consulta diretamente algumas peças-chave do mercado, ‘sentindo’ a reação deles à ideia inicial. A partir daí, os contornos do novo produto se tornam mais nítidos e o novo projeto é aberto. A estruturação teórica é o próximo passo, em que a viabilidade e as funcionalidades do novo produto serão testadas em conjunto em ambiente virtual por ferramentas de simulação, a maioria delas desenvolvida por eles mesmos. O próximo passo é a engenharia em si, na qual um modelo inicial é projetado, construído e ensaiado, objetivando atingir certos resultados predefinidos. A partir desse primeiro exemplar construído, desse ‘demonstrador de tecnologia’, digamos, é que o produto final surge.

Leia também:  Marketing de relacionamento

CONCORRÊNCIA

Ao falar sobre como superar a concorrência das grandes marcas internacionais e da fabricação chinesa que entra no País, Marcelo Barros responde: “Com foco, pessoalidade, agilidade e inovação. Somos pequenos, portanto ágeis. Então usamos isso a nosso favor. Temos contato pessoal com muitos usuários e sabemos o que eles pensam, suas necessidades. Temos a mente focada no futuro e sempre procuramos trazer a inovação de forma muito rápida, livre dos processos burocráticos que regem as grandes corporações. E não podemos deixar de mencionar o nosso talento para a inovação: possuímos uma reconhecida criatividade e buscamos trazer isso à superfície em qualquer novo produto. Mas reconhecemos que competir com a fabricação chinesa está cada vez mais difícil, principalmente diante da atual desindustrialização e descapitalização que nosso país vem atravessando”.

Outro ponto a favor é que a Next Pro mantém 100% dos produtos em estoque ao longo de todo o ano, estando presente em todos os estados do Brasil, seja por meio de lojas, seja pelos representantes locais.

A totalidade dos produtos é fabricada no Brasil, assim como a maior parte das matérias-primas estratégicas. “Sabemos que isso será cada vez mais difícil daqui para a frente, diante da desindustrialização e da enorme carga tributária, que, aparentemente, nunca para de aumentar. Mas é nossa intenção continuar dessa forma até quando for possível”, adicionou Marcelo.

PRODUTOS ESTRATÉGICOS

Atualmente a Next Pro tem 14 produtos distribuídos em três linhas: a Série Pro-R, o carro-chefe da empresa, voltada para o mercado de sonorização e de locação (os PAs); a Série Nano, que é uma linha desenvolvida para sonorização interna (indoor) e instalação fixa, como teatros, igrejas e cinemas; e, por fim, a Série NanoBox, uma família de amplificadores no formato módulo OEM para ativar caixas acústicas.

Leia também:  Digitech lança linha de amplificadores nacionais

Atualmente 90% dos amplificadores Next Pro contêm a tecnologia MultiFlex, que  começou despretensiosamente na Série Nano e, diante da grande repercussão, a empresa tratou de estender a técnica para as outras séries, como a Pro-R e a NanoBox.

Além disso, a empresa reconhece que o mercado local sempre foi ávido por novidades e que a tendência nos últimos anos eram a compactação, a redução do peso e a transição para o digital — algo alcançado pela Next Pro no momento da sua fundação.

“O mercado hoje aponta para um aumento da conectividade, com maior capacidade de controle, assim como um aumento da densidade de potência. Em outras palavras, mais potência, menos peso/volume e mais controle. Ainda dispomos tudo isso em uma marca 100% nacional — tecnologia mundial desenvolvida e fabricada aqui”, comentou Gilberto.

Mas como se posicionar nesse mercado com tantas marcas? Neste momento, uma das principais estratégias da Next Pro é a informação. E, nesse contexto, a internet é a principal ferramenta. O site da empresa é sempre atualizado com bons artigos e vídeos, trazendo grandes quantidades de informação confiável, de qualidade, de forma gratuita e democrática. Também fazem ostensiva divulgação dessas informações pelas redes sociais.

“Não alimentamos ilusões com respeito a 2017-2018. O objetivo é apenas passar pelo furacão. Crise à parte, sabemos que no Brasil não dispomos de ferramentas para o real desenvolvimento sustentado. Não há crédito de verdade, não há apoio efetivo nem algo que realmente faça a diferença para as pequenas empresas inovadoras — e já não havia antes da crise! Como todos estamos testemunhando, os mecanismos que supostamente deveriam promover o crescimento, como o BNDES, por exemplo, na prática servem apenas às ricas megaempresas, enquanto as pequenas são ignoradas e deixadas à própria sorte. Uma estrutura tributária dominada por incentivos fiscais reservados aos setores ‘preferidos’ criou um sistema injusto, no qual gigantes multinacionais pagam menos impostos do que nós, que somos pequenos… Desde o começo já tínhamos a intuição de que estaríamos sempre sozinhos, e se quisermos crescer, teremos de fazê-lo com nossas próprias forças, tendo ainda que carregar um elefante tributário nos ombros”, declararam os CEOs da empresa. Apesar disso, a Next Pro continua seu trabalho diário de desenvolvimento e otimização dos seus amplificadores, visando fornecer melhores produtos para o mercado, tudo feito no Brasil!

Leia também:  FBT Audio: sonorizando em Singapura

Mais informações: http://www.amplificadoresnextpro.com.br/

https://www.facebook.com/oficialnextpro/

 

Comentários
view more articles

About Article Author

Redacao MM
Redacao MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles