Review: Captador Sérgio Rosar Extreme Hot

novembro 13 08:59 2017

Captador Sérgio Rosar Extreme Hot: O santo de casa e seu milagre. Lá de Floripa, há um cara que acreditou ser possível fazer a química do litoral catarinense soar como a Califórnia. Duvida?

Se você é guitarrista já deve ter visto na internet aquele garoto sem os braços que arregaça tocando com os pés, o Jonathan Bastos, ou no mínimo já deve ter ouvido alguma música na rádio de algum cantor famoso embalado pelas harmonias de João Castilho, ou algum super solo virtuoso de Marcelo Barbosa.

Digamos que o ponto comum entre eles, além do talento impecável, são seus pickups, que dão um “leve empurrãozinho” no timbre de cada um.

Esses são alguns dos músicos que endossam a Sérgio Rosar, que é genuinamente brasileira e leva o nome do seu fundador. A empresa nasceu do sonho e da vontade do Sérgio em abrir seu próprio negócio, em um ramo que lhe desse o prazer de desenvolver produtos capazes de atender a demanda nacional, com a qualidade e o valor justo aos músicos brasileiros. Do sonho, estudo e muito suor nasceu a Sérgio Rosar Custom Pickups com seus timbres matadores.

Captador Sérgio Rosar Extreme Hot: captando a essência

Confesso que não dava muita atenção a marca, apesar de já conhecê-la, até usava em uma de minhas guitarras, um modelo de captador talvez mais ‘padrão’ da marca. Certo dia fui tocar em um evento ao lado do guitarrista Guilherme Pereira, que me presenteou com um captador que prometia calor, coisa quente, aquela pimenta forte na boca, o Extreme Hot, novinho, lacrado na embalagem. Aceitei o presente (óbvio) muito feliz, mas na dúvida acabei guardando ele por uns 6 meses, até que um dia fui mexer em uma Tele pra um evento importante e aproveitei a deixa.

Leia também:  Nagano lança baterias eletrônicas Nagano Tech

Na mudança de captador, pedi ao luthier que substituísse o original da ponte pelo Extreme Hot, e também que fizesse ligação em série, pois estava usando tensão 11 na guitarra e queria sentir se essa ligação ajudaria na tocabilidade do instrumento.

Você pode imaginar o resultado de uma ligação em série em um captador que, segundo a fabricante, é o produto de maior impedância e saída de sinal do seu mix de produtos. Pensa num captador empurrando o outro na mesma line. É muita pressão.

Extreme Hot

o Extreme Hot é um captador que atende bem em tudo

 

Extrema estabilidade de versatilidade

O captador era exatamente o que prometia, capturou toda a essência do que eu esperava e valorizou a sonoridade do instrumento, além de muito volume e muita estabilidade.

Como mencionei, optei pela ligação em série nesse captador, pois queria sentir a pressão máxima dele. Esse tipo de ligação tende a ser menos aveludado, porém oferece mais ataque. Nesse caso, apesar de ser alto ganho, o Extreme Hot é super controlado e estável, possuindo equilíbrio entre todas as frequências. Na prática ele não “bérra” e também não gera as inconvenientes microfonias além das naturais e intencionais. O grave do Extreme Hot tem um belo corpo, mas sem sobras. No geral percebi bastante médio, mas sem exageros, ideal pra solos bem definidos.

A grande versatilidade desse captador, são os 4 fios de conexão, proporcionando as ligações split, série e paralelo e o que mais for possível. Essas 3 ligações podem ser gerenciadas por uma mini chave seletora de 3 posições. Muitos guitarristas não usam por não saberem que um cap desse modelo pode oferecer 3 diferentes timbres, excelente principalmente para quem é sideman ou músico de estúdio, pois nesse caso é possível extrair 3 variados timbres do mesmo captador.

Leia também:  20 melhores marcas de amplificadores de guitarra do mundo (e os modelos notáveis!)

Se você não sabe como funciona essas 3 ligações, rola mais ou menos assim:

  • Split utiliza apenas um captador (uma das duas bobinas), gerando uma sonoridade single (tipo strato).
  • Série vai utilizar os 2 captadores juntos, porém um empurrando o outro, gerando mais pressão e ataque.
  • Paralelo vai usar os dois lado a lado proporcionando menos pressão, porém maior estabilidade e cremosidade.

Imagine essas 3 opções no mesmo instrumento. Essa é uma grande vantagem e os músicos precisam estar mais atentos quanto a essas possibilidades, e o Extreme Hot é um captador que atende bem em tudo. Mas lembre-se, é um captador de alto ganho, não espere tirar timbres clássicos de rock’n’roll dos singles de baixo ganho, a menos que seu guitarrista favorito use a mesma configuração em um captador com alto nível de saída. Mesmo assim vai ter dar um incrível som de single, sem dúvidas.

CONFIRA OS DETALHES

  • Resistência DC “ohms”: 17,0 K
  • Indutância “Henry”: 11,38 H
  • Saída milivolts: 455
  • Fiação (condutores): 4
  • Magneto: Cerâmico

 

Pontos positivos do Captador Sérgio Rosar Extreme Hot

O grande ponto positivo, além da qualidade sonora, é sem sombra de dúvidas o acabamento. Pelo preço de mercado, dificilmente se encontra um produto tão bem pensado e acabado, gerando confiança ao guitarrista na hora da compra

Pontos negativos do Captador Sérgio Rosar Extreme Hot

Eu diria que os pontos negativos não são exatamente do produto, mas da linha. A empresa ainda não possui captadores com cover, ou a capa de metal. Particularmente me parece que o som soa diferente, além da beleza visual clássica dos lipsticks tradicionais.

Outro ponto que poderia ser melhor é o marketing e a embalagem. Apesar de a embalagem permitir que o consumidor veja o produto, o que é muito bom, poderia melhorar a estética de entrega do produto, com mais luxo, sendo que outras empresas brasileiras já entregam seus captadores em latas personalizadas e melhor estofadas, além de que a atual aperta um pouco o produto contra a capa da embalagem. Mas me resguardo em dizer que esse pode muito bem ser uma opinião pessoal.

Leia também:  Fluence Signature: captadores resultantes de uma tríade

Prós: equilíbrio, definição e acabamento

Contra: embalagem e não ter modelos com cover (capa de metal)

 

 

 

Comentários

Review Summary

4 out of 5
Definição
5 out of 5
Volume
4 out of 5
Tocabilidade
5 out of 5
Acabamento
4 out of 5
Desempenho geral
5 out of 5
Custo-benefício

Confesso que não dava muita atenção a marca, apesar de já conhecê-la, até usava em uma de minhas guitarras, um modelo de captador talvez mais ‘padrão’ da marca. Certo dia fui tocar em um evento ao lado do guitarrista Guilherme Pereira, que me presenteou com um captador que prometia calor, coisa quente, aquela pimenta forte na boca, o Extreme Hot, novinho, lacrado na embalagem

4.5 Good 4.5 out of 5
view more articles

About Article Author

Alexandre Nunes Ferreira
Alexandre Nunes Ferreira

Guitarrista por amor, cristão e pai de família.

View More Articles