Pride Music: sem Pearl mas com DDrum, Toca e QSC Audio

Pride Music: sem Pearl mas com DDrum, Toca e QSC Audio
setembro 21 19:40 2009

Importadora dá continuidade à sua política de distribuição e assume Toca, ddrum e QSC Audio


A Música & Mercado foi ouvir o gerente de vendas da Pride Music, Marcos Brandão, para saber os próximos passos da importadora após a abertura da Pearl Brasil. Conheça as novidades da Pride.

Existe alguma linha de produtos que irá substituir a Pearl no portfólio da Pride?

Sim. Inicialmente assumimos a distribuição da marca ddrum (www.ddrum.com) e os produtos já estarão disponíveis para entrega a partir da Expomusic 2009. Acreditamos que ddrum tem enorme potencial para disputar o mercado de entry level [produtos de entrada] e conquistar rapidamente uma participação significativa neste segmento. A Pearl não dispunha de uma linha de produto competitiva neste importante nicho de mercado, que concentra cerca de 80% dos negócios da Mapex no Brasil. Portanto, tratamos a introdução da marca ddrum mais como um novo segmento de mercado do que propriamente uma substituição.
Com relação aos segmentos intermediários e High End [produto de última geração], apesar da ddrum possuir produtos para competir nesses mercados, globalmente, é ainda uma marca em construção e, por esta razão, enquanto desenvolvermos o mercado para ddrum, acompanharemos o mercado, e já estamos negociando a distribuição de outra importante marca a partir de Janeiro/2010.
Quanto ao mercado de hardware e acessórios, por desconhecer de antemão os planos da Pearl para o Brasil, perdemos a oportunidade de distribuir a marca Gibraltar, pertencente à Kaman Music, e que era distribuída pela Turbo Percussion. Desde o final do ano passado, a Kaman Music negociava e buscava um novo distribuidor no Brasil e, no inÍcio do ano, optou por substituir a Turbo Percussion pela Musical Express. É claro que a Pride Music perdeu uma excelente oportunidade de negócios, mas a marca Gibraltar estará em boas mãos a partir de agora e, certamente, será muito competitiva no segmento de hardwares e acessórios.

Leia também:  ProShows apresenta novos produtos para a Expomusic

Como a Pride pretende trabalhar a Ddrum?

Em nosso cast figuram 29 marcas e, em sua maioria, as mais importante em seus segmentos de mercado. Todos os principais revendedores especializados brasileiros são importantes clientes e dealers oficiais dessas marcas. Isso, por si só, é uma força motriz impressionante para a introdução de qualquer linha. Para a ddrum preparamos um plano agressivo de introdução de linha, com prazos de pagamentos e preços especiais, além de uma campanha de anúncios nas revistas especializadas, e estamos negociando com o fabricante a contratação de endorsers e clínicas para divulgação da marca pós-Expomusic.

Durante a Expomusic’09, o mercado brasileiro conhecerá melhor a marca ddrum, que é muito mais que as linhas mais simples, até então distribuídas no Brasil. Uma apresentação de modelos e configurações nunca antes mostradas no País está planejada e reservada para público e revendedores.

Com a saída da Pearl houve alguma mudança no sistema de distribuição dos produtos?

A saída da Pearl não altera em nada nosso sistema de distribuição. Nossa equipe de vendas atende aos clientes como uma conta gerenciada, e não setorial. Cada vendedor trabalha todas as marcas e cada um de seus clientes recebe suporte de uma única pessoa, seu contato e “gerente” para todos os assuntos Pride Music. Os clientes dizem que preferem ser atendidos assim e até que digam o contrário, é assim que manteremos nosso formato de distribuição.

O que significa, para a imagem da Pride, deixar de distribuir a Pearl no país?

Consideramos a saída e entrada de marcas como um fato comum em qualquer mercado com forte participação de distribuidores independentes, num mercado tão competitivo como o nosso. Também é sabido que estas mudanças acentuam-se em períodos de crise, foi assim em 1999, 2001 e 2002. Essas mudanças são cíclicas e previsíveis – e nosso último ciclo havia ocorrido no inicio desta década, quando deixamos de distribuir algumas marcas até mais importantes, financeiramente falando. Na época, cada uma das linhas foi substituída e sua perda absorvida. Outras marcas foram assediadas, umas mudaram, outras permaneceram conosco e nenhuma das que saíram retornaram ao nosso cast após o fechamento da Hermes Music Brasil.

Leia também:  Percussion Show: Conheça o evento

A Pearl é uma das principais marcas do mercado, mas de modo algum sua saída afeta nossa imagem, uma vez que a marca declarou que investirá, desenvolverá e trabalhará o mercado diretamente, por meio de uma empresa própria de importação, distribuição e suporte aqui no Brasil, e não um simples escritório e um operador logístico transitório. Até agora, continuamos a acreditar nisso ao invés de desperdiçarmos tempo com conversas, fofocas e boatos aqui no Brasil e nos muitos fornecedores internacionais.

Houve algum problema na distribuição de baterias da Pearl?

É uma pergunta que nós também gostaríamos de conhecer a resposta. Até a Namm (em janeiro de 2009), nenhuma reclamação ou descontentamento havia sido percebido por nós. Recentemente, o antigo funcionário da Pearl [Eduardo Martinez], que cuidava de nossa conta e que antecedeu ao atual, disse-nos que a Pearl gostava muito do nosso trabalho de marketing e de nossa pontualidade nos pagamentos, que agradecia pela nossa paciência por não ter podido nos oferecer os produtos adequados ao nosso mercado nos últimos anos, e também por ter demorado a perceber que o seu novo concorrente era maior que os concorrentes antigos.

Não importa. Isso é passado. Isso é passivo. Agora nos importa apenas o ativo, principalmente quando nada devemos de passivo. Foram oito anos de uma importante relação comercial para nós e assim preferimos acreditar que tenha sido para a Pearl.

Você gostaria de acrescentar algo que não foi perguntado?

Não. Respondemos às questões em consideração e respeito ao mercado e ao veículo, mas tratamos o assunto como passado. Agora nos importam apenas ativos e, em nosso cast, três novos ativos foram recém- incorporados este mês[setembro]: Toca Percussion (www.tocapercussion.com.br), ex-Turbo Percussion e sem distribuição no Brasil há alguns anos; ddrum (www.ddrum.com); e QSC Audio (www.qscaudio.com)

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles