Percussão brasileira procura mais mercado no exterior

Percussão brasileira procura mais mercado no exterior
Janeiro 15 14:20 2018

A Izzo está se destacando em mercados internacionais pela sua fabricação de cordas e instrumentos de percussão, que já fazem grande sucesso na Europa

Atualmente a Izzo exporta para 32 países. Falando só de percussão brasileira, um segmento que chama muito a atenção no exterior, destacam-se cinco mercados principais: Espanha, Inglaterra, Itália, França e Alemanha.

O setor de exportações da Izzo Instrumentos Musicais é liderado pelo gerente Maikel Barroeiro, que destaca três marcas da empresa que estão procurando novos mercados para continuar com sua expansão. São elas: a SG Strings de cordas, fabricada pela Izzo no Brasil, que passou por uma atualização na sua identidade visual e apresentou uma nova campanha de marketing para o mercado europeu; a Hering Harmônicas, que agora conta com distribuição exclusiva mundial por meio da Izzo; e a Timbra Top Percussion, fabricada também pela Izzo, que hoje é considerada uma das principais marcas de percussão brasileira na Europa.

Conheça mais nesta entrevista com o gerente de exportações Maikel Barroeiro.

M&M: Há quanto tempo você trabalha na Izzo?

Maikel: Estou na Izzo há quatro anos.

M&M: O que você considera um de seus maiores feitos na empresa?

Maikel: Sobretudo a expansão internacional. A Izzo fabrica um produto de extrema qualidade, a mão de obra dos produtos que exportamos é 100% brasileira. Trabalhei muito nos últimos quatro anos com o relacionamento com os clientes e a expansão internacional. Participar de feiras como a Musikmesse para nós é muito importante, porque o distribuidor vê que você está presente, vê a solidez da empresa e temos a oportunidade de trabalhar o relacionamento próximo, que é muito importante no trabalho de expansão internacional.

M&M: Falando da Musikmesse, o que chamou mais a sua atenção nessa feira?

Leia também:  Encontro de Negócios: Conheça o software da Sino3D

Maikel: Na última edição, a feira mudou muito. Tem muita gente que está criticando, mas o formato é bom. A Messe está com várias ferramentas de matchmaking, enfim, coisas que você não encontra nem na NAMM, você encontra aqui. Hoje, utilizando o sistema deles, você consegue colocar o que está vendendo e o site deles vai te elencar para os possíveis compradores do seu produto. Essa é uma ferramenta muito interessante, que passamos a utilizar no ano passado e por meio dela fizemos alguns bons contatos.

Existe muita procura por novidades, até por isso a SG fez muito sucesso na feira no ano passado, pois o dealer europeu está à procura de coisas novas. Podemos dizer que o produto brasileiro já é bem-visto sendo fabricado no Brasil, então, se você chega com uma cara nova, um design legal e uma proposta interessante, o empresário brasileiro consegue ter sucesso em uma feira como essa. Isso foi o que nós fizemos.

M&M: O que mais você aprendeu ao longo dos últimos anos?

Maikel: Que o segredo de tudo é a constância, o relacionamento, trabalhar de forma séria, saber que o resultado nunca é imediato. Tem coisas que você faz agora, mas só vai ver os resultados daqui a dois, três ou quatro anos. Acredito que para uma empresa brasileira funcionar bem no mercado hoje, precisa ter persistência, muita paciência e trabalhar com planejamento.

M&M: Qual você acha que seja a imagem do Brasil no exterior? 

Maikel: A imagem do Brasil está muito relacionada aos instrumentos de percussão, ao samba, à nossa cultura musical. Com relação à Hering, por exemplo, o pessoal acha até interessante quando dizemos que é uma marca brasileira, porque Hering é um sobrenome alemão, mas é uma empresa fundada por um imigrante alemão no Brasil. No geral, a visão que eles têm do produto fabricado no Brasil é muito boa.

Leia também:  Afinador Eclipse da D'Addario Planet Waves disponível na Musical Express

M&M: O que você espera para a empresa no futuro próximo?

Maikel: Alguns contatos foram feitos, por exemplo, na Musikmesse passada, então estamos abrindo novos mercados. Nossa intenção é viajar de novo para trabalhar os mercados emergentes europeus, os países que recentemente ingressaram em um espaço único europeu, como Bulgária, Hungria, Romênia. Queremos também trabalhar o relacionamento com os clientes de países primordiais. A partir do Brasil, trabalharemos os relacionamentos, os contatos, algumas vendas que fizemos durante a participação nessa feira. Eu provavelmente estarei viajando mais para a Europa para dar continuidade a esse trabalho, pois, como eu disse, tem de ser um trabalho com persistência, feito de modo contínuo.

Mais informações: izzomusical.com.br

facebook.com/IzzoMusicalOficial

Comentários
view more articles

About Article Author

Redacao MM
Redacao MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles