Palhetas Vandoren em embalagem antifraude

Palhetas Vandoren em embalagem antifraude
setembro 29 16:52 2008

Palhetas Vandoren lançou no mercado seu novo conceito de embalagem dos produtos: o flow pack.

As palhetas Vandoren são embaladas uma a uma com o objetivo de mantê-las mais seguras contra ações do clima, como umidade e tempo seco. No entanto, além aprimorar a preservação da mercadoria, as capas individuais vieram para buscar sanar um problema descoberto pele empresa há cerca de três anos: cópias falsificadas.

Originadas na China, as falsas palhetas Vandoren chegavam ao mercado em embalagens idênticas às originais. Após encontrar falsificações dos produtos por duas vezes, a empresa lançou o flow pack. “O mercado tenta falsificar nossos produtos há muitos anos. Na verdade, num catálogo de 1930 já havia um alerta para os músicos a respeito do assunto”, explica o gerente-geral da Vandoren, Emmanuel Tonnelier. A empresa francesa está no mercado desde 1905 e é distribuída no Brasil pela Izzo.

No entanto, apenas recentemente os modelos copiados vieram à tona, prejudicando os negócios. Segundo Tonnelier, após descobrir o fato, a empresa imediatamente promoveu ações com a ajuda de autoridades locais e interrompeu a venda dos produtos.

A utilização da nova embalagem, mais custosa e de difícil falsificação, foi a saída encontrada para diferenciar os modelos oficiais. Além disso, a novidade acabou por aprimorar a qualidade das palhetas. “Palhetas são feitas de cana,  material que tem propriedades mecânicas excepcionais, mas que está sujeito a mudanças quando exposto à falta ou ao excesso de umidade”, comenta o gerente.

Leia também:

Com a criação das embalagens individuais, a marca agregou ao produto um sistema que garante que todo o processo de fabricação passe por condições de umidade permanentes. “Então, podemos ter certeza de que as palhetas chegam ao músico tão ‘frescas’ quanto se tivessem acabado de sair da fábrica”, diz Tonnelier em entrevista à Música & Mercado.

Leia também:  Izzo entra no segmento de violinos e violoncelos para uso profissional

>> Qual é o principal mercado para a empresa em termos de participação e vendas?
Como é o caso de muitas empresas envolvidas com o segmento de instrumentos de sopro feitos de madeira, nossos principais mercados em termos de faturamento são os Estados Unidos e o Japão. Em termos de participação de mercado, temos a maior concentração na França, onde sentimos que praticamente todo músico profissional usa nossos produtos. Hoje temos orgulho do fato de que todos os professores do famoso Conservatório Nacional Superior de Música da França usam nossos produtos.

>> Qual foi o crescimento da empresa no ano passado? E as expectativas para 2008?
Nos últimos anos, temos desfrutado de crescimento anual de dois dígitos. Isso não é somente em decorrência das vendas de palhetas, mas também sobre a impressionante aceitação de nossas linhas clássicas de boquilhas para saxofone, além do mercado de jazz para saxofone, com o lançamento das boquilhas V16 e das palhetas Zz.

>> Qual é a sua opinião sobre o mercado brasileiro? Qual é a sua importância para a empresa?
Estou satisfeito em dizer que, em porcentagem, nosso crescimento mais importante nos últimos anos foi no Brasil. Desde que começamos a trabalhar com a Izzo, tivemos muitas oportunidades no País.

>> Sabemos que a fabricação de palhetas é um longo processo. Quanto tempo leva o ciclo de produção exatamente? A empresa tem dificuldade em encontrar boas canas?
A cana demora aproximadamente dois anos para crescer antes da colheita. Depois, mais dois anos são necessários para ela secar naturalmente. Hoje, quase todas as nossas plantações são na França e a cana que cultivamos é de ótima qualidade.

>> Qual é a sua opinião sobre o ‘fenômeno China’?
A China tem se tornado um mercado importante para nós. O país é hoje um dos dez primeiros países entre as nossas exportações. Infelizmente, há uma  conseqüência ruim do crescimento de nossa indústria em território chinês: os produtos falsificados. Essa é uma das razões pelas quais tivemos de mudar nossas embalagens no ano passado.

Leia também:  ProShows marcou presença na Expomusic 2015

>> Como vocês descobriram a falsificação?
O mercado tenta copiar nossos produtos há muitos anos. Em um catálogo de 1930 já havia um alerta aos músicos a respeito do assunto. Nos últimos três anos achamos cópias de nossas antigas embalagens por duas vezes. Imediatamente promovemos ações, com a ajuda de autoridades locais, e interrompemos as vendas. Foi também por isso que criamos o flow pack.

>> Como convencer os músicos a mudar a marca da palheta que usam por uma Vandoren ?
A família Van Doren faz palhetas de ótima qualidade há mais de cem anos. Existem milhares de produtos ofertados no mercado. Acredito que os músicos devem testar palhetas e boquilhas de diferentes marcas. Essa é sempre a melhor forma de descobrir o diferencial da Vandoren.

> Como os lojistas podem incrementar as vendas das palhetas?
As lojas não devem hesitar em expor várias linhas de palhetas e sugerir que os músicos as experimentem. A situação é a mesma para as boquilhas. Hoje nossas palhetas são embaladas individualmente. Lojistas podem ter certeza de que, quando vendem os produtos da Vandoren, os músicos terão em mãos palhetas em perfeitas condições.

 

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles