OPINIÃO: O mercado brasileiro

OPINIÃO: O mercado brasileiro
setembro 10 10:54 2012

A realidade do mercado no Brasil pelos olhos de quem atua aqui há 15 anos, o diretor da Someco, Marcelo Palacios. O executivo mostra sua visão do setor, fala sobre temas polêmicos, como a importação pelo varejo, antecipa tendências e ainda conta o segredo para sua empresa prosperar no País

Por Marcelo Palacios*

 O Brasil experimenta uma fase extraordinária que provavelmente determinará sua posição no cenário político-econômico mundial durante as próximas décadas. Seu desenvolvimento econômico durante os últimos anos, somado ao tamanho de sua população e aos dilemas que enfrentam as grandes potências mundiais nos tornou um refúgio e uma fonte de esperança para muitos capitais estrangeiros. Para contribuir com a supervalorização do potencial brasileiro, o País organizará até 2016 os dois maiores eventos esportivos do planeta.

Mas para as empresas estrangeiras, atuar no mercado brasileiro não é tão simples. Em primeiro lugar, é preciso muito senso analítico e humildade para entender como o sistema brasileiro opera. Por outra parte, apenas empresas com estruturas de custo muito eficientes conseguem sobreviver num entorno tão complexo, com altíssima carga tributária, altos juros, luta fiscal entre Estados e enorme burocracia, que fomentam, por sua vez, a concorrência desleal.

Felizmente, o mercado de áudio e instrumentos vem abandonando aos poucos suas características mais amadoras. O processo é saudável, pois o aumento da concorrência está obrigando fabricantes, importadores, distribuidores e lojistas a revisar seus próprios modelos de gestão. Aliás, a tendência de empresas de varejo em desenvolver e comercializar marcas próprias acaba de alguma forma contribuindo positivamente para que fabricantes e importadores do segmento otimizem sua gestão desenvolvendo estratégias mais eficientes — inclusive isso exige uma ginástica especial, para evitar enxergar nosso cliente como concorrente.

Leia também:  EDITORIAL: Mudar é muito bom!

O preço do produto é sempre uma variável muito relevante. Porém, existem diversos exemplos de empresas que fracassaram, mesmo estando focadas em oferecer produtos de baixo preço. Por quê? Porque a maioria delas descuidou de aspectos fundamentais como a qualidade do produto, a atuação dentro da legalidade e a ética dos negócios, ou porque perdeu o foco na satisfação das necessidades dos clientes.

Nosso exemplo

A Someco Brasil está completando 15 anos. Desde o início das atividades no País, realiza um planejamento sistemático de longo prazo com o objetivo de fortalecer sua posição no mercado. As empresas precisam manter sua visão estratégica de negócios, mas levando em consideração fatos pontuais que afetam o contexto. Por esse motivo, através dos anos, temos mantido nossa visão de distribuir um número reduzido de marcas, mas cada uma delas oferecendo um amplo leque de produtos.

Consideramos que foco é tudo e que cada marca representada merece, além de especial atenção com os detalhes, um envolvimento sincero de todos os participantes no processo logístico e comercial. Particularmente, sempre achei preferível errar por excesso de ações do que por falta delas. Quando você realiza múltiplas ações atrás de um objetivo, também aumenta as chances de sucesso.

Reflexos da crise

Quando escrita em chinês, a palavra crise compõe-se por duas características: representa perigo e também oportunidade. Eu já não penso tanto em como a crise poderá afetar o nosso negócio. Penso mais no que iremos aprender com a crise e como sairemos dela numa posição fortalecida.

Em 2009, nosso mercado sofreu os efeitos da primeira grande crise econômica mundial do século, derivada da frágil situação do mercado imobiliário e financeiro norte-americano. No caso particular de nossa empresa, aproveitamos essa fase para ‘pôr a casa em ordem’.

Leia também:  AES 2016: The Best Som faz estreia oficial no mercado

Revisamos todo o fluxo de processos internos (administrativos, logísticos, comerciais e de pós-venda). Posteriormente, a partir da análise detalhada de nossas debilidades e oportunidades, implantamos um programa de melhoria em todas as áreas, graças à iniciativa de nossa própria equipe. Tiramos proveito da situação de stand by do mercado e hoje consideramos que a empresa está pronta para encarar com eficiência quase qualquer desafio que venha a surgir. E assim, por sua vez, o grupo redobrou as apostas no mercado brasileiro, com a certeza de que os pilares de nossa organização foram reforçados integralmente. Dificilmente teríamos feito isso numa fase de expansão, pois nessa situação você geralmente não tem tanto tempo para a autoanálise e a introspecção.

Todas as marcas comercializadas pela Someco no Brasil têm experimentado um crescimento constante nos últimos cinco anos. Algum tempo atrás nossas metas pareciam inalcançáveis para a maioria, mas foram amplamente superadas. Isso só foi possível graças a um planejamento minucioso e ao compromisso permanente de nossa equipe com a satisfação de nossos clientes e com a execução efetiva de nossos planos. Gostaria de agradecer a esta equipe e aos nossos clientes pela confiança depositada no grupo Someco.

*Marcelo Palacios é diretor da Someco.

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles