Nosso negócio são as igrejas

Nosso negócio são as igrejas
Maio 10 08:00 2006

A fabricante de amplificadores vem apostando no filão evangélico com uma linha especializada


Como a Moug avalia o mercado evangélico?

Flávio Bellotti: Como todo mercado, esperamos que tenha crescimento e podemos notar uma profissionalização cada vez maior. Mas, independentemente disso, não fazemos uma diferenciação desse mercado, ele é trabalhado como um todo. Existe um grande respeito pelo trabalho de fé desenvolvido e pelo profissionalismo que se busca em todos os empreendimentos desenvolvidos. Basta ver as feiras que, a cada ano, têm uma participação bem maior de fabricantes, gravadoras, editoras e afins. Acompanhamos todos os setores e sabemos do crescimento do meio gospel. Para nós, o que mais importa é saber que, dentro desse segmento, há grandes músicos que vão se beneficiar com nossos produtos.

 

Como foi o desenvolvimento da linha Transform?

Flávio Bellotti: Quando decidimos entrar nesse mercado, fizemos uma intensa pesquisa para chegar ao atual produto. A escolha teve como base uma linha de amplificadores com ótimo custo-benefício e qualidade. Mas o principal foi que ela atendesse ao tipo de sonoridade, mais aprimorada, que esse músico busca. Procuramos muita orientação e fomos atrás de esclarecimentos, inclusive com um dos grandes fabricantes de amplificadores nacionais, que nos prestou assessoria, enviando um projeto para esses aparelhos. Esse foi nosso pontapé inicial. Depois, colocamos

a mão na massa.

 

Desde quando existe essa linha?

Flávio Bellotti: Na verdade, essa linha veio da série Acoord, que surgiu logo que iniciamos nossos trabalhos como fabricante, em 2004. É um dos carros-chefes da Moug. Um ano após nossa inauguração, já presentes na Expomusic, sentimos necessidade de diversificar a linha, de acordo com a grande aceitação do produto, quando surgiu a linha Transform 480T/580T e, logo após, formou-se com as caixas 4.08 o System Transform.

 

Qual o objetivo da Moug ao lançar uma linha com essa especificação?

Flávio Bellotti: Temos uma filosofia de fornecer para o músico um equipamento que tenha um custo-benefício que caiba em seu bolso e, acima de tudo, primar pela qualidade, atendendo a suas necessidades. Essa é uma linha que supre o que o músico precisa, especialmente aquele que toca em locais em que não há necessidade de uma aparelhagem tão potente ou esteja com um único aparelho para plugar seu instrumento, microfone, aparelho de CD, enfim… Essa linha foi idealizada para atender ao segmento cristão evangélico, porque sabemos que, ao iniciar ou construir suas sedes, elas são idealizadas em espaços de porte menor, que podem vir a ser aumentados conforme o crescimento no número de fiéis. Dessa maneira, a linha pode adicionar duas caixas System Moug 4.08, transformando-se em um pequeno sistema de PA e atendendo a um lugar maior.

 

Isso possibilita adicionar, no próprio equipamento, mesas de som com a quantidade de canais desejada. É uma linha bem prática, que tem muitas utilidades de potência, acabamento e tecnologia satisfatórias.

Flávio Bellotti – Diretor da Moug Sound

Leia também:  Proshows e Chedas preparam workshop High Pro Audio

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles