Mudanças à flor da pele

Mudanças à flor da pele
dezembro 18 16:27 2008

Mudanças à flor da pele
A Luen investe em gestão profissional, amplia seu mix de produtos e avisa: quer conquistar um espaço cada vez maior no mercado de peles de bateria e instrumentos de percussão

Os ventos que estão passando pela Luen vêm transformando a empresa de forma contundente nos últimos quatro anos. A administração familiar saiu de cena e deu espaço a uma nova era, de profissionalização da gestão dos processos e das pessoas. Todos os departamentos da empresa de peles de bateria e instrumentos de percussão estão sentindo as benesses dessa metamorfose.

Mas a grande cartada começou a ser dada no segundo semestre de 2007, com a ampliação da fábrica: serão agregados 2.000 m2 aos 1.000 m2 atuais. O que aconteceu foi que o espaço tornou-se insuficiente para parte da produção e o ritmo não atingia a velocidade desejada. O resultado era perda de tempo e muitas brechas para erros e desencontros entre os funcionários no desempenho das funções. “Tarefas ficavam incompletas e havia falhas de comunicação em um mesmo setor”, exemplifica Lúcia Carlessi, diretora de marketing. Esses fatores combinados levaram a empresa, com sede em Cajamar, na Grande São Paulo, a ampliar a área da fábrica, com um investimento de R$ 400 mil.

Ainda que os dois novos andares não estejam concluídos — a previsão de término é no final de 2008 —, toda a parte de produção de instrumentos que funcionava desmembrada já foi deslocada. “Otimizamos o fluxo de produção, as peles de baterias foram para o seu lugar definitivo e a expedição também ganhou novo espaço, mais adequado para o armazenamento, a conferência e o embarque”, diz Lúcia.

Novo mix
De 2003 para cá, a Luen tem buscado uma maior abrangência de lojas e representantes. O plano da empresa está muito bem traçado: em dois anos, quer se consolidar como fabricante de itens de qualidade — e não apenas como uma opção de produto barato. O primeiro passo será o fortalecimento da área comercial e de marketing.

Leia também:  Falta de preparo x falta de interesse

A nova fábrica terá papel fundamental nesse processo. Após ouvir seus representantes e perceber que existe uma real demanda no mercado, decidiu-se ampliar e remodelar o mix da Luen. “Na linha de pandeiros, incluímos modelos de madeira folheada a pinho e em ABS natural ou pintura metalizada, e nos acabamentos, inserimos o verniz colorido sobre o alumínio nas cores vermelho, azul e verde”, explica. A decisão de ampliar o catálogo só aconteceu após um estudo de viabilidade técnica e de produtividade, com pesquisas de custos e preço final. “Não é nosso objetivo encarecer o produto, e sim melhorar a qualidade e a apresentação. Esses acabamentos têm um custo bem dimensionado e com isso oferecemos um produto diferenciado”, afirma Lúcia. Assim a empresa espera aumentar sua percepção também junto ao consumidor de produto de qualidade com custo-benefício.

Gestão profissional
A Luen também já vinha experimentando algumas transformações na área industrial, com pesquisas e investimentos em máquinas. O objetivo é se diferenciar na qualidade de produção e gestão. “Nossa atuação no mercado de peles profissionais expõe mais o lado técnico e profissional. Por isso, é importante estarmos prontos em todos os setores: comercial, financeiro, recursos humanos, com gerenciamento focado em nosso futuro. Sempre que percebemos que algum processo pode ser melhorado, não importa a área, vamos melhorá-lo”, avalia Lúcia.

Este novo trabalho de gestão ganhou um aliado de peso com a chegada de um novo gerente nacional de vendas, Antonio Engelmeyer Lopes. Ele terá função estratégica: atuará como um maestro, coordenando uma equipe tarimbada, implantando novos sistemas de vendas, prospectando novas praças de atuação e avaliando regiões de forma separada, para ter uma melhor visão do mercado. Isso deverá agilizar as decisões internas na empresa. Paralelamente, está em desenvolvimento um estudo aprofundado sobre como otimizar as vendas com uma administração mais profissional da produção para agilizar ao máximo o fluxo. Estão em análise os pontos fortes e deficiências de todos os processos, além do investimento no treinamento dos colaboradores de cada setor. “Com isso, teremos um gerenciamento mais dinâmico do processamento dos pedidos, acompanhamento e finalização, em conjunto com a apuração do sistema de cobrança, por conta da inadimplência”, complementa Lúcia.

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles