LIDERANÇA: Amigos, amigos, negócios à parte

LIDERANÇA: Amigos, amigos, negócios à parte
novembro 13 14:58 2012

Até que ponto um líder deve ser sempre legal com os seus funcionários? Conheça aqui as dicas para entender, de uma vez por todas, qual é esse limite

No mundo dos negócios, a estratégia de fazer amigos e tecer boas relações é apontada, há décadas, como um dos mandamentos para o sucesso. Tanto que o livro Como fazer amigos e influenciar pessoas, escrito pelo americano Dale Carnegie em 1937, já está em sua 52ª edição.

Mas será que usar a inteligência emocional e não descuidar da diplomacia são táticas que sempre funcionam? Segundo o consultor e psicoterapeuta Alan Allard, elas só são efetivas para quem também sabe dizer não e se posicionar — mesmo quando isso significa contrariar os outros. “Algumas pessoas confundem ser legal com ser agradável o tempo todo. Dizem ‘sim’ para tudo e cedem com muita facilidade”, escreve Allard em seu blog.

Não se engane, ser o rei ou a rainha da simpatia pode ser prejudicial ao líder de uma empresa. “Se o empresário quer ter influência e causar impacto, precisa delimitar fronteiras, falar com confiança e não ter medo de ser rejeitado por seus valores e ideias”, afirma Allard.

Seu conselho para quem não gosta de desagradar é praticar o ‘não’. Ele conta que muitos empreendedores são bons em detectar as necessidades alheias. Mas é preciso ficar atento: quem percebe que atende a todos os pedidos deve parar para pensar em como isso toma tempo e afeta sua vida. “Pratique o seguinte discurso: ‘Gostaria de te ajudar, mas no momento não posso’. É muito bom ser legal com os outros, mas sem fazer isso à custa de sua energia”, diz Allard.

Leia também:  Bassani Representação Comercial entra no mercado da música

O segundo passo é não ter medo de desapontar alguém. “Se você acha que um é projeto ruim, mas pode ser salvo, critique-o com convicção e apresente mudanças viáveis”, sugere Allard. “Quem se manifesta e defende suas ideias de maneira apropriada é ouvido com respeito.”

Seja legal sem ser, necessariamente, um camarada


A maioria das pessoas passa muito mais tempo convivendo com gente do trabalho do que com a própria família. Por isso, colegas se tornam amigos. Com certeza, é interessante para um líder saber um pouco mais da vida das pessoas escolhidas por ele para integrar uma equipe. No entanto, muitos chefes podem se tornar mais descontraídos do que o aceitável e passar a impressão de que são, mais que tudo, amigos.

Tal atitude pode fazer com que alguns funcionários mais empolgados se esqueçam de quem manda e passem a desrespeitar ordens. Afinal, um amigo não manda no outro, não é mesmo? Quem comanda uma equipe precisa balancear a relação com seus colaboradores, manter um distanciamento de assuntos pessoais. A colunista Gwen Moran, do site da revista Entrepreneur, listou quatro dicas para que um chefe seja alguém legal sem ser, necessariamente, um camarada:

1 – Fale como um profissional: O comportamento de um chefe no seu local de trabalho vai indicar aos funcionários como deve ser a relação entre eles. Por isso, é interessante encontrar um tom mais profissional. Assim, fica mais fácil fazer com que as solicitações sejam cumpridas. Isso não quer dizer que um chefe precise agir sempre como um oficial do exército, delegando ordens sem ao menos olhar na cara de seus soldados. Chefes inesquecíveis são aqueles que mantêm o controle de seus negócios sem deixar de ser boas pessoas.

2 – Não fale tanto de assuntos pessoais: Depois de horas no mesmo ambiente, é difícil não compartilhar com os colegas de grupo alguns assuntos pessoais — a compra de um cachorrinho, um jogo de futebol, o crescimento dos filhos etc. A coisa complica quando os assuntos pessoais discutidos deixam de ser triviais. Por exemplo, um problema pessoal pode afetar a vida profissional de um colaborador. Mas se o chefe souber muitos detalhes, pode ser que o funcionário pense que seus problemas podem ser uma desculpa para o baixo rendimento no trabalho. Uma dica de Gwen Moran em uma situação do tipo é que o empresário ajude seu empregado propondo soluções que a empresa pode oferecer: um problema de saúde pode ser resolvido com o plano de saúde da companhia, por exemplo. Assim, o chefe contribui, mas não se envolve na vida pessoal de seus comandados.

3 – “Talvez seja melhor você não falar disso aqui no trabalho”: Às vezes, essa frase precisa ser dita. Há pessoas que adoram falar da própria vida e, por mais que você se distancie, elas continuarão contando tudo o que aconteceu em casa. Com uma atitude mais enérgica, o empreendedor mostra comando e rapidamente traz a conversa para onde interessa.

4 – Faça mais amigos: Muitas partes deste texto podem parecer um pouco duras. É importante deixar claro que não faz mal cantar parabéns no dia do aniversário de alguém! O problema é quando colegas de trabalho e seus chefes vão para a balada e, no trabalho, têm que guardar para si as fofocas da noite anterior. Se você é daquele tipo de empreendedor que só fica no escritório e não tem tempo de sair para se divertir, talvez seja bom fazer amigos que não trabalhem com você. Assim, fica mais fácil manter a vida pessoal e a profissional separadas e evitar que conflitos ocorram no trabalho.

*Esta matéria foi uma compilação de textos do blog Papo de Empreendedor: www.papodeempreendedor.com.br

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles