Hora de checar os números

Hora de checar os números
julho 23 16:00 2007

Planejar e controlar as finanças são obrigações de todo empresário responsável. No fim de cada ano, perdem-se poucos minutos para reflexão dos erros e acertos, com muito mais sentimento do que ferramentas e indicadores que mostrem os pontos fortes e fracos do negócio.

E como será o próximo ano? Melhor? Algumas perguntas devem ser respondidas: melhor quanto? Como? Quando? Para quê? Quem fará e o que fará para melhorar? É necessário montar um planejamento e definir táticas e estratégias.

Sugiro iniciar pelo orçamento, que servirá de ‘bússola’ para quase todas as tomadas de decisão. Por meio dele, calcularemos o volume de vendas que precisaremos alcançar, o nível dos custos e qual resultado poderemos esperar. Além disso, a forma tributária (Lucro Real, Presumido ou SIMPLES) também deve ser resolvida com base nesse orçamento. Esta análise pode trazer boas economias em impostos.

Obviamente outras características mercadológicas podem influenciar o resultado financeiro. Além disso, não é porque nos planejamos que os fatos deverão ocorrer exatamente dessa forma. Como precaução, analise e revise os números. Algumas empresas costumam revisar seus orçamentos semestralmente. Outras o fazem com freqüência, revalidando suas estratégias trimestralmente.

Muitos negócios sobreviveram sem a ajuda do orçamento, mas também com margens apertadas. Com a entrada dos produtos asiáticos, a competitividade só vem aumentando. Portanto, continuar ganhando dinheiro, mesmo não estando ‘ferramentado’, é questão de tempo ou sorte.

Para quem ainda não tem orçamento, não vale a pena deixar para o próximo ano. Monte o planejamento para o segundo semestre ou, pelo menos, para os meses que ainda faltam do ano.

Em seguida, estude o que poderá realizar e confrontar com o que previu, para saber sobre as oscilações (tanto para cima quanto para baixo). Analise as distorções. Ajustar as diretrizes faz parte do aprendizado. O orçamento também serve para estabelecer o fluxo de caixa (quando é hora de investir ou quando terá problemas com falta de dinheiro).

Leia também:  O cliente quer devolver, e agora?

Esta análise deverá contemplar os custos do produto ou serviço, as margens de cada um e o impacto no resultado global da empresa.

Lidar com finanças não é fácil mesmo. Não basta pensar em como vender, é preciso saber o resultado de cada negociação e os novos produtos que oferecemos. Porém, não são necessárias mais do que três ou quatro folhas A4 com informações importantes para tomarmos decisões rápidas e eficazes.

Invista tempo e organize sua vida financeira. Depois, para mantê-la, será muito mais simples.

* Márcio Iavelberg, de São Paulo, é administrador de empresas, com MBA em finanças pela USP e especialização em Direito Tributário pela FGV. Sócio da Blue Numbers Consultoria Financeira, especializada em pequenas e médias empresas.

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles