Exportando criatividade

Exportando criatividade
junho 11 10:43 2008

A Urban Boads – Drummer Shoes, única marca específica de calçados para bateristas no mundo, nasceu por meio de mera curiosidade de seu fundador, o empresário brasileiro Rodrigo de Castilhos. Há cerca de quatro anos, ele ficou intrigado ao ver o baterista de sua banda — a Urbanos, de pop reggae — trocar de sapatos antes de começar a tocar. Dois anos depois, em 2006, era lançada a marca. Os negócios deram tão certo que hoje a linha de acessórios com o mesmo nome está para ser lançada e as exportações começam até o meio do ano.

“Se não fosse aquele ensaio e eu não tivesse visto o baterista trocando de sapatos, acho que a Urban Boards não existiria. Obrigado, Nenê (Carlos Alberto Flores, o baterista), pela inspiração e ajuda com os primeiros protótipos”, agradece Castilhos, que hoje comemora os bons resultados da marca 100% nacional. Todos os tênis são fabricados na região de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul.

A comemoração do empresário não é em vão. Atualmente, os calçados Urban Boards são encontrados em mais de 80 lojas de instrumentos musicais no País. O otimismo também acontece em relação ao mercado externo. “Participamos este ano de feiras internacionais como a Namm, nos Estados Unidos, e a Musikmesse, na Alemanha. Vários distribuidores se mostraram interessados em levar a marca e o conceito para seus países”, diz.

Além do comércio exterior, a novidade para os próximos meses é o desenvolvimento de novos modelos e produtos, como uma linha de acessórios com o mesmo conceito. O projeto está praticamente finalizado — serão peças de roupas e luvas desenvolvidas também para os bateristas. “A idéia é fazer modelos leves para facilitar os movimentos do músico”, afirmou. Os bateristas suam bastante e fazem muitos movimentos, por isso, um dos tecidos usados para o vestuário será o Dri-fit (feito com poliamida e elastano).

Leia também:  2ª edição da Sul Music está perto!

Com todas essas novidades, a expectativa de crescimento em 2008 é de 30%. No ano passado, o acréscimo foi alto. No entanto, os resultados não podem ser comparados com o ano anterior, porque as atividades da empresa começaram no meio de 2006.

Conceito

Além da criatividade e da inovação, o segredo do sucesso está em saber traçar objetivos e construir uma identidade, como ressalta o empresário. “É importante ter um motivo, uma raiz para a marca e por meio disso formular o conceito. É preciso saber de onde veio e para onde se pode ir sem perder a identidade. Sem ela, todo o trabalho vai por água abaixo.” Castilhos acrescenta que a raiz da Urban Boards é a própria música, sem a qual a empresa não existiria. O know-how do mercado de calçado veio do próprio fundador, que é designer do setor há mais de 15 anos. A ajuda e as dicas de músicos profissionais também foram essenciais, uma vez que Castilhos não sabe tocar bateria.

Além disso, antes de entrar realmente a fundo no negócio, o proprietário fez uma abrangente pesquisa que revelou não haver, na época, nenhum calçado específico para a prática no mercado.

Mesmo com todo o conceito formado, o começo foi mais difícil do que o esperado. O empresário explica que, na época do desenvolvimento de alguns modelos, os bateristas Zé Montenegro e Aquiles, que ajudaram na elaboração dos tênis, quase o deixaram louco. “Tive de mudar coisas do projeto inicial. O mais difícil foi achar a sola certa, com o grip (aderência) e designs exatos”, explicou. Nessa fase, foram cinco meses de trabalho com os fornecedores.

Tudo isso para encontrar o modelo ideal para o músico. O conceito dos pares Urban Boards é oferecer tudo que um baterista pode precisar para melhorar sua performance com o instrumento: flexibilidade, sensibilidade, conforto, durabilidade e um design diferenciado. Castilhos explica que os tênis são de alta tecnologia e formulação especial. A fórmula proporciona o tão procurado grip ideal. Além disso, os forros possuem antibactericida, solução que deixa os pés sempre secos, amenizando até chulés. Outro diferencial está no peso: todos os modelos têm menos de 200 gramas.

Leia também:  Expomusic 2012: Auratec prepara estande montanha-russa

A empresa não conta com uma fábrica própria e produz a mercadoria com terceiros. A desvalorização do dólar, entretanto, não tem colaborado muito para os negócios. Por causa da concorrência do mercado internacional, as fábricas de calçados têm muita dificuldade de trabalhar, como explicou o empresário. “A região do calçado do Sul do País está prestes a ser extinta. Muitas fábricas já fecharam e continuam fechando.” Dessa forma, o bom desempenho da economia nacional, no sentido do real mais forte, prejudica o melhor desempenho da empresa e, conseqüentemente, a indústria nacional de calçados como um todo.

Vendas

Com o produto ideal em mãos, o segundo obstáculo encontrado pela marca foi aquele que soa estranho até para os consumidores em geral: a venda de sapatos em lojas de música. Foi essencial a aposta das primeiras lojas no produto. “Devo muito à Mil Sons, à Musical Carioca e à Playtech. Se não fossem elas, eu teria de pensar em outro caminho.”

Hoje, os tênis Urban Boars são comercializados apenas em lojas de música, mas já há a expectativa de expandir as vendas para as lojas convencionais. “Bolamos os mesmos tênis, mas com materiais comuns, para a venda em lojas. Dessa forma, dá para produzir um material mais barato que pode ser vendido ao mesmo preço do profissional nas lojas de calçados. Isso porque o mark up (multiplicador usado no varejo para chegar ao preço de venda) dessas lojas é mais alto.” No comércio, um par de Urban Boards custa em torno de R$ 150.

O fundador explica que, mesmo sendo modelos feitos especificamente para os bateristas, outros músicos e personalidades do meio também usam os calçados. “Isso nos inspirou a fazer uma linha fashion dentro do nosso conceito, com outro canal de distribuição, em que os modelos não competem entre si.” Castilhos acrescenta que a aceitação no mercado do conceito criado por ele é muito gratificante. “Depois de tantas dificuldades que encontrei no caminho, a aceitação do público em geral significa muito mesmo.”

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles