Casio: De volta aos velhos tempo

Casio: De volta aos velhos tempo
agosto 17 08:00 2005

Casio realiza trabalho de revitalização de sua marca e mostra força ao ampliar sua participação no mercado.


O trabalho de reposicionamento de uma marca no mercado é um grande desafio para aquelas empresas que querem recuperar a tradição e credibilidade de seus produtos. Marcio Tadeu Furrier, autor do artigo “Para que serve uma marca, afinal?”, destaca a importância da marca no sucesso dos negócios. “Uma vez que as marcas residem, do ponto de vista de sua significação, na mente dos potenciais clientes. Seu emprego é praticamente ilimitado. As empresas vêm procurando tratar o assunto de forma mais técnica, entendendo a construção da marca como um processo crucial”.


O autor diz que a marca é ao mesmo tempo uma entidade física e espiritual. “Ela dá sentido e define a identidade do produto/serviço no tempo e espaço. Isso significa que a marca extrapola os atributos físicos do produto e sua embalagem incorpora conteúdos psíquicos na mente do consumidor. A posição que ela ocupa na mente do cliente pode ser seu maior diferencial competitivo sustentável”.


A Casio faz parte deste grupo. A empresa realizou um trabalho de revitalização de sua marca no Brasil. Tradicional fabricante de teclados, a Casio percebeu que estava precisando melhorar sua participação no mercado e decidiu mostrar que veio para ficar. “Há alguns anos, a Casio identificou que era necessário investir nos produtos semi e profissionais, para aumentar ainda mais sua liderança junto ao público iniciante”, explica Júlio César de Oliveira, gerente nacional de vendas da empresa.


Para executar esse trabalho, a Casio contou com o apoio de uma agência de comunicação. E partiu para a briga. A primeira fase de implantação das novas diretrizes durou 18 meses, de acordo com Júlio, e as estratégias adotadas foram simples. “Dar a oportunidade dos lojistas conhecerem os novos produtos da marca por meio da flexibilidade comercial e de anúncios nas revistas especializadas”.

Leia também:  Moug: primeiros passos

Júlio fala do momento em que se pensou na contratação de uma agência de comunicação. “O foco da empresa mudou e a contratação da agência foi essencial para dar ênfase a este novo direcionamento, buscando os músicos profissionais, público que tradicionalmente não consumia os produtos da Casio”.


Resultados
Os primeiros resultados deste trabalho de revitalização da marca já foram sentidos pela Casio. Em 2003, a empresa cresceu 3% a mais do que em relação a 2002. No ano passado, esse percentual subiu para 65%.


Oliveira afirma que esse crescimento foi reflexo da boa aceitação dos produtos no mercado. “A aceitação foi surpreendente para nós e este processo aconteceu bem mais rápido do que esperávamos. A alta tecnologia e a qualidade dos produtos caíram nas graças do consumidor, que passou não somente a consumir como também a indicar a Casio para seus amigos. O preconceito que existia quanto à qualidade de timbres, principalmente, deixou de existir por conta da performance significativa deste quesito em especial”.


Animado com a performance da empresa, o gerente enumera os recentes feitos. “Conquistamos o mercado mais conservador e tradicional, que tinha muitas reticências sobre a qualidade da Casio no passado. Passamos a atingir também o público semi e profissional com nossos 13 modelos, sendo o CTK 481, voltado para o público iniciante; CTK 591, para os estudantes de música; WK 1800 para o mercado semi, profissional e evangélico, e o PX 300, para músicos profissionais, sendo estes produtos campeões de vendas e performance”.


Planos
Os planos da empresa para este ano estão focados na continuidade deste trabalho. “Pretendemos manter nossa presença nas revistas especializadas e vamos aumentar nossa participação no suporte ao consumidor. Hoje já temos um serviço que esclarece dúvidas de manuseio de todos os teclados e pianos. Queremos ampliar isso para a Internet”, projeta Oliveira.

Leia também:  Quando o cliente é a prioridade

Além disso, de acordo com Júlio, está prevista a realização de vários eventos em conjunto com os lojistas. “Eles foram os grandes responsáveis pela nossa guinada no setor semi e profissional. A atenção e o desejo deles de mostrar ao consumidor que a Casio havia mudado e melhorado muito neste segmento foi crucial para o sucesso deste trabalho”.


Em relação ao mercado de instrumentos musicais para a Casio, Júlio explica que seu desempenho é positivo, pois mais de 80% da população inicia a vida musical tocando um instrumento Casio. “A meta agora é fazer com que este público continue fiel à marca, atingindo a mesma porcentagem junto aos nossos novos públicos. O mercado, como um todo, melhorou muito no ano passado, graças às boas condições econ

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles