Bom planejamento facilita a tomada de crédito

Bom planejamento facilita a tomada de crédito
junho 11 11:02 2008

Em época de crise externa internacional e alta dos juros pelo governo brasileiro, a tomada de crédito para capital de giro e investimentos ficou mais cara tanto para o pequeno quanto para o grande empresário. A taxa média de juros para pessoa jurídica, que estava em queda e chegou a 4,05% em dezembro de 2007, subiu para 4,13% em fevereiro, segundo dados da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

No entanto, de acordo com o gerente da assessoria de Serviços Financeiros do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Fábio Campos, o cenário não é motivo para desânimo. Em entrevista à Música & Mercado, o especialista explica como um bom planejamento de negócios pode ajudar na conquista de melhores condições para empréstimo junto aos bancos. 

É possível contornar o momento da alta dos juros e conseguir crédito mais acessível?
Todo negócio vai bem se o empresário souber fazer um planejamento. É necessário elaborar um plano de negócios. Isso significa colocar no papel todos os gastos que se terão com o investimento pretendido.
Com os números em mãos, dá para se fazer uma projeção de fluxo de caixa e descobrir o montante necessário para o investimento. Um modelo de plano de negócio está disponível gratuitamente para download na página do Sebrae na internet (www.sebrae.com.br, campo “Quero abrir um negócio”). Uma vez coletadas as necessidades, deve-se ir ao banco onde já se é cliente e mostrar o plano de negócio. 

Por que o empresário deve ir à instituição financeira onde já tem conta?
Porque o banco já conhece o histórico de cada cliente, o que torna a operação de empréstimo mais acessível. Com o plano em mãos, é possível convencer o gerente de que o investimento é bom e conseguir melhores condições de financiamento, como juros menores. 

Leia também:  Feira Regional Música e Mercado

É importante pesquisar diferentes linhas de financiamento?
Claro. A pesquisa ajuda o empresário a encontrar a modalidade que melhor se encaixe na sua necessidade. No site da nossa entidade também há uma lista com todos os serviços existentes no mercado para comparação (www.sebraesp.com.br, campo “Melhorando seu negócio”). 

O empresário precisa mostrar a credibilidade do negócio na hora de pedir crédito?
Com certeza. Credibilidade é a palavra-chave. O planejamento mostra a efetiva rentabilidade do negócio e os recursos que serão gerados com o investimento. Isso vale tanto para micro e pequenas empresas como para as grandes. Tanto para o setor de instrumentos musicais como para o pipoqueiro da esquina. Um exemplo é a Vale (ex-Companhia Vale do Rio Doce), que ficou um ano fazendo contas para conseguir financiamentos de bancos para a compra da Inco, em 2006. 

Como é possível saber se o retorno do investimento pagará o empréstimo tomado?
O negócio tem de dar lucro sempre. O futuro investimento deverá ter rentabilidade suficiente para pagar os juros e ainda precisa sobrar um pouco para o lucro. Se nas contas do plano de negócios essa conta não fechar, o empresário precisa mudar a estratégia da empresa em busca de melhor retorno.

Comentários
view more articles

About Article Author

MM
MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles