6 dicas de marketing digital para o mercado da música

6 dicas de marketing digital para o mercado da música
abril 06 08:59 2018

Dicas de marketing digital e aplicativos para empresas, lojas físicas e on-line

Por falta de percepção para o mundo digital, muitas empresas e lojas perdem grandes oportunidades de divulgação, quando não desperdiçam dinheiro tentando fazê-la da maneira errada. Não se relacionar com o público, ignorar as plataformas de vídeo, não conhecer a diferença entre as mídias sociais são alguns dos erros mais comuns. Ana Tex, empreendedora, palestrante e consultora em marketing digital, e uma das maiores referências em novas mídias, separou algumas dicas e aplicativos para quem quer MMportuguesalavancar seu negócio. Confira!

1.  Faça um planejamento

O primeiro passo para quem quer promover seus produtos nas mídias sociais é fazer um planejamento. Com o mercado musical não é diferente. Antes mesmo de dar início à divulgação do seu trabalho, o empresário precisa saber quais são seus objetivos a curto, médio e longo prazo. Ciente de seus objetivos, ele deverá definir sua identidade, a mensagem que quer passar com seu trabalho, seu público e os passos para atrair essa audiência. Querer ser uma referência em seu segmento é um objetivo muito genérico. O lojista que quer inovar precisa ter um diferencial. Comece fazendo uma pesquisa de mercado, analisando a concorrência, descobrindo quais são as deficiências do seu nicho e, acima de tudo, procure identificar o que o público está buscando e que ainda não foi suprido. Uma ferramenta interessante para mensurar o que as pessoas estão buscando na internet é o planejador de palavras do Google AdWords, que faz um relatório completo da palavra-chave de seu interesse. Você pode digitar no campo de busca “bateria”, por exemplo, e ele te dará um relatório dos últimos meses mostrando quantas pessoas estão procurando por essa palavra e como elas estão procurando, além de mostrar outros dados. Outra ferramenta interessante é o Google Trends, que também faz esse relatório de pesquisa por palavra, além de mostrar o ranking dos países e estados que mais buscam pelo assunto, quais as pesquisas relacionais no Google e por aí vai.

2. Conheça e inspire seu público

Hoje em dia existem diversas maneiras de identificar o seu público-alvo. O Google Adwords e o Google Trends, citados anteriormente, podem ajudar nesse processo, bem como o SimilarWeb, específico para a análise de concorrência. O Similar faz um relatório completo de qualquer site. Ele apresenta a classificação do site segundo o ranking global, nacional e nas classificações do seu mercado, além de outras informações, como tráfego e tempo de visitas. Para monitorar as redes sociais, existem o Sumorank e o Wisp social. Específico para monitorar seguidores no Instagram, o Wisp informa dados como gênero dos seguidores, idade e de onde eles são, o que é muito relevante caso você queira fazer um evento em determinada região. Também há o Sumorank para o Facebook, com o qual você pode analisar as interações, definir o melhor dia e o horário mais popular, que tipo de post e vídeo geram mais engajamento e assim por diante. O empresário ainda pode optar por atrair mais audiência por meio dos grupos de seu produto nas mídias sociais, elaborando ações específicas para ele. No entanto, precisa ter consciência de que o mais importante é a qualidade do seu público e não a quantidade. Casando a sua mensagem com o público certo, você aumenta em até 70% as chances de sucesso. Por mais que você não considere sua audiência tão expressiva, procure inspirar e fidelizar esse público. O aumento no número de seguidores será uma consequência natural da recomendação e do compartilhamento por parte dos seus clientes. Logo, conheça quem são as pessoas que acompanham seu trabalho e interaja com elas. Seja por meio das lives do Face e do Instagram, dos textos do Twitter, fazendo campanhas no Facebook, publicando fotos com seus fãs no Insta ou  teasers dos lançamentos etc. Existem múltiplas formas de inspirar seu público, basta ter força de vontade.

Leia também:  Entrevista com Fabiana Batistela, diretora da SIM São Paulo

3. Saiba como divulgar seu material nas mídias 

As mídias sociais podem ser utilizadas de diversas formas para divulgação. Algumas das mais populares são o Instagram, o Facebook e o YouTube, que estão no Top 10 das maiores redes sociais do mundo. O Instagram é mais específico para postagem de fotos, mas possui recursos de lives e vídeos de curta duração, que podem ser direcionados para outras mídias por meio de links. Outra vantagem dessa mídia é o Stories, que pode ser usado para educar e inspirar o público. Nele, empresas ou lojas podem registrar participação em feiras, marcar localização, hashtags, entre outros. O Instagram é uma das mídias mais promissoras, justamente pela praticidade e rapidez, já que muitos usuários do Facebook não têm paciência para clicar diretamente nas fanpages para visualizar conteúdo. O mesmo vale para o YouTube, que a cada dia mais assemelha-se a uma videoteca do que a uma rede social. A plataforma é a segunda maior fonte de pesquisa, perdendo apenas para o Google. Logo, é fundamental que a empresa tenha seu trabalho disponível nessa plataforma, aumentando assim as chances de ser encontrada pelo público. Além disso, pode-se utilizar o YouTube para fazer vlogs das marcas, bastidores da participação em feiras, vlogs de dicas de uso de produtos etc. Ao contrário do que muitos pensam, o Twitter também é uma plataforma valiosa. Não é à toa que está no ranking mundial. O trending topic do Twitter é referência quando se quer informação em tempo real. Dessa forma, a empresa pode tanto atualizar seus seguidores como também ficar por dentro das novidades das marcas e influências de seu segmento. Já o Facebook, maior rede social do mundo, possui algumas semelhanças com o Instagram, mas é mais abrangente, além de possuir ferramentas que ajudam na segmentação e em anúncios, como o Facebook ADS. No caso de um lançamento de produto, por exemplo, é possível fazer um anúncio direcionado para o público da cidade e ainda mensurar o alcance e outros resultados.

Leia também:  Marketplace para alugar instrumentos, Music In

4. Utilize os aplicativos de vídeo ao vivo

YouTube, Facebook e Instagram são as principais referências quando se trata de exibição de vídeos. Com a chegada das lives, essas redes ficaram ainda mais interativas. A empresa que quiser melhorar a divulgação do seu trabalho deve se valer dessas ferramentas. É possível fazer transmissões ao vivo das ações dentro de uma loja, interagir com o público pedindo fotos com seus instrumentos, anunciar a agenda de feiras, promover um bate-papo descontraído com os usuários. Porém, cuidado para não se empolgar demais e fazer cinco transmissões ao dia, ainda mais quando a mídia não é específica para esse fim. O Facebook, por exemplo, possui um algoritmo, que seleciona os assuntos mais relevantes do feed de notícias dos usuários, colocando-os no topo. Logo, várias transmissões ao dia não são reconhecidas pelo dispositivo como relevantes. Ou seja, uma ou duas transmissões na semana são o suficiente para essa mídia. Outra dica é fazer vídeos ao vivo somente quando tiver algo de relevante a dizer, do contrário as pessoas perderão o interesse no seu vídeo, o que certamente resultará na queda de audiência. Também é recomendável  recapitular várias vezes o tema do vídeo, a fim de atualizar os novos espectadores a respeito do assunto da transmissão. Além disso, a qualidade do vídeo e da conexão com a internet deve ser levada em consideração. As lives têm diferentes resultados quando realizadas no Facebook e no Instagram. A vantagem da primeira é a margem de alcance, que é muito maior, já que é a mídia social mais usada no mundo. Além disso, apresenta métricas com informações sobre quantidades de espectadores, pico da audiência, compartilhamentos, reações etc. Já o Instagram Live possui limite de transmissão de até 1 hora e não conta com um sistema de análise de métricas tão eficiente como o Facebok Live; também tem a condição de transmitir apenas pelo celular. Para quem quer variar e engajar mais audiência por meio dessas transmissões, já existem aplicativos específicos para lives. Dois exemplos são o Periscope e o Bigo Live. O Periscope é uma plataforma de streaming de vídeos que permite realizar lives direto do smartphone, além de suportar uma grande quantidade de espectadores de várias partes do mundo com capacidade para interações em tempo real. É possível abrir uma conta por meio do login do Twitter ou baixando o app. Uma das principais características do app é o mapinha que mostra em tempo real as transmissões que estão sendo feitas ao redor do mundo. Logo, o espectador pode ser direcionado para qualquer uma dessas lives sem ter a necessidade de ser seguidor dessas pessoas. O aplicativo é muito vantajoso pela margem de alcance, podendo atrair rapidamente novas audiências, inclusive de outros países. Semelhante ao Periscope, o Bigo Live também é um app de transmissões ao vivo, mas este já possui uma categoria específica para cada segmento. Os dois aplicativos contam com muitos recursos de interação e estão disponíveis para download nas versões Android, iPhone e IOS. Cabe ao empresário experimentar qual app gera mais audiência, lembrando que em ambos os casos ele precisa direcionar esse público para o seu canal no YouTube.

Leia também:  6 perfis de consumidores e o que fazer para eles nas mídias sociais

5. Cuide da qualidade do seu material e publicações

É de extrema importância ter um material de qualidade, pois como em qualquer outro mercado, o seu produto será comparado com outros. Logo, é indispensável que a empresa estabeleça um “padrão de excelência” para que seu trabalho não caia no esquecimento. Ainda que a produção seja mais sofisticada e demande mais tempo e investimento, no final você terá um retorno muito mais satisfatório por parte do seu público. Logo, opte por um bom estúdio para a gravação dos vídeos, produção das fotos etc. Com certeza essa escolha impactará o resultado final. Para facilitar esse trabalho, passe a acompanhar as páginas das marcas que são referência para você, ou até mesmo da sua concorrência. Você vai deparar com um conteúdo mais limpo e bem estruturado, que não está ali por acaso. Por mais simples que seja a postagem, ela certamente terá um fundamento. Por isso, não faça postagens aleatórias e sem sentido, até porque os seus perfis precisam ter uma linguagem padrão. Outro erro comum é a má utilização de recursos-chave — não marcar as hashtags de forma adequada, ou colocar demais; usar sempre as mesmas hashtags, sem distinguir as que já caíram em desuso no seu segmento. Ir a eventos e feiras importantes para a sua empresa e não marcar a localização do evento também é um vacilo. Outra situação de negligência é se esquecer de destacar os posts e anúncios mais relevantes para a sua página. Se a sua empresa está lançando um novo produto, ou está prestes a fazer um evento, esses assuntos precisam estar no topo. Falta de organização e de estratégias nas publicações também interfere na qualidade do seu trabalho, dificultando a credibilidade por parte dos seguidores. Esses são alguns pontos que merecem relevância desde o planejamento. Investimento em material e produção de conteúdo sempre será uma demanda constante.

 6. Conte com a ajuda de um especialista em marketing digital

Última e também uma das mais valiosas dicas: procure se inteirar mais sobre o marketing digital. Existem inúmeros cursos, até mesmo on-line, que podem ajudá-lo nesse processo. Lembre-se: estar nas redes sociais, hoje, é primordial para qualquer negócio.

Comentários
view more articles

About Article Author

Redacao MM
Redacao MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles