Feiras Musikmesse e Prolight + Sound lutam para recuperar sua importância

Feiras Musikmesse e Prolight + Sound lutam para recuperar sua importância
abril 28 14:38 2017

Mesmo com a diminuição das marcas famosas, Musikmesse e Prolight + Sound obtiveram resultados positivos

Cerca de 100 mil visitantes de 144 países e 1.922 expositores de 55 países estiveram presentes em ambas as feiras este ano. O que aconteceu nesta edição em Frankfurt?

Diferente do ano passado, o sentimento sobre a feira estava consolidado: quem expôs e visitou veio para fazer negócios, sem expectativas maiores motivadas pelo ausência de marcas como Sennheiser ou Fender. Para algumas empresas, entretanto, a frase que repetem é “a feira está morta”. Já do lado da organização a resposta é enfática: “Temos os recursos (entenda-se dinheiro) que vem de outras feiras e o desejo de fazer a Musikmesse e Prolight + Sound voltar ao patamar de antes”, explicou uma pessoa da direção que pediu para não se identificar.

É importante saber que as feiras internacionais passaram por um ajuste e reposicionamento. Feiras como a Musikmesse e Prolight + Sound, antes as maiores de suas categorias, tornaram-se feiras europeias – e é natural isto, considerando as feiras da China, voltadas ao mercado interno e ao OEM, ganharam mercado e as feiras americanas, como a NAMM, que vieram trabalhando exaustivamente para conquistar a posição de liderança no mercado de instrumentos e áudio profissional.

Considere ainda que a NAMM decidiu aproveitar a oportunidade — diante do sucesso registrado nas últimas edições — e anunciou que em 2018 incorporará um novo pavilhão separado, especialmente dedicado ao áudio profissional.

Em Frankfurt, os organizadores da Musikmesse e Prolight + Sound apostaram em apresentar um novo conceito para as feiras “É nossa responsabilidade fornecer uma plataforma de marketing orientada ao futuro, com eventos e formatos específicos para grupos objetivos. Levamos isso muito a sério e, assim, mais uma vez começaremos intensas conversas com expositores e associações para a edição de 2018”, disse Detlef Braun, membro do conselho executivo da Messe Frankfurt.

Leia também:  Music Show Nordeste: Sorteio de 10 passeios de helicóptero

Os números de 2017

De 4 a 8 de abril (ambas as feiras dividiram três dias em paralelo esse ano), cerca de 100 mil visitantes se reuniram em Frankfurt, vindo de 144 nações, comparadas com as 130 do ano passado. Em ambas, um total de 1.922 expositores de 55 países apresentou uma variedade de produtos de mídia, iluminação, som e tecnologia para palcos, passando por equipamentos para eventos, até chegar a instrumentos musicais, equipamentos eletrônicos, hardware e software. Como indicou o debute ano passado, mais de 20 mil fãs da música assistiram aos eventos do Musikmesse Festival, uma parte integral do novo conceito Musikmesse, com concertos de mais de 50 artistas nacionais e internacionais.

O que houve de diferente?

Para aumentar o valor agregado para todos os grupos de visitantes, Musikmesse teve novas atrações e um programa estendido de eventos complementares. Junto com o Musikmesse Festival, a expo ofereceu mais de mil eventos, desde concertos e atuações ao vivo até seminários e masterclasses.

De sua parte, na Prolight+Sound, com a alta demanda de entretenimento ao vivo e eventos de negócios, além de aumentar as expectativas de produções modernas, o setor de tecnologia para eventos continuou em desenvolvimento positivo, apoiado principalmente pela grande quantidade de expositores alemães.

Além de novos produtos relacionados com iluminação, som e efeitos, a tecnologia de mídia AV e de redes tem se desenvolvido em um segmento de produtos com mais importância.

Segundo estatísticas dos organizadores, o nível de satisfação na Musikmesse subiu, comparado com o dos últimos anos, tanto do lado dos expositores quanto dos visitantes. De fato, 83% dos visitantes disseram que puderam cumprir com seus objetivos pessoais durante a feira. Os varejistas do setor confirmaram os processos positivos que se puseram em movimento devido à reestruturação da feira.

Leia também:  Sulmusic: Entrevista com o idealizador da feira, Eduardo Maia

Parte dessa reestruturação se deve aos formatos educativos e experimentais, como o Drum Camp, que apresentou seminários e atuações de bateristas famosos. O conceito resultou na volta de várias marcas reconhecidas. Além disso, o conceito foi trasladado à área de guitarras pela primeira vez, intitulando-se Guitar Camp.

Outro setor que apresentou novidades foi o Musikmesse Trends, que incluiu o uso de novos tipos de materiais e métodos de produção, como um violino feito com tecnologia de impressão 3D, além de instrumentos híbridos que criam interfaces entre o mundo digital e o analógico do som.

A feira também se expandiu para o espectro temático para incluir tópicos do mundo do ensino e terapia musical. Por outro lado, mais de 2.600 pessoas aproveitaram o programa de conferências da Prolight + Sound para se atualizar com os desenvolvimentos mais recentes do mercado, um aumento de 40% ante o ano passado. Também teve boa aceitação a nova área Silent Stage, que apresentou um conceito de palco para som claro e monitoração efetiva.

A próxima edição da Musikmesse será de 11 a 14 de abril de 2018, enquanto a Prolight + Sound  acontecerá de 10 a 13.

Mais informações: www.musik.messefrankfurt.com e www.prolight-sound.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários
view more articles

About Article Author

Redacao MM
Redacao MM

Música & Mercado é uma revista empenhada em promover e divulgar o mercado e negócios para a indústria de áudio profissional, iluminação e instrumentos musicais. Nós amamos o que fazemos.

View More Articles